Gnocchi ou Nhoque?

Standard

O brasileiro já se apropriou do Gnocchi italiano e até mudou a grafia, adaptando-a à nossa pronúncia: nhoque. O nome gnocchi é na verdade plural de gnoccho, que significa algo como um pedaço de massa sem forma ou caráter específico. Por exemplo, dizer que uma pessoa é um gnoccho , não é nenhum elogio. Assim como outros grandes clássicos da cozinha italiana, o gnocchi era comida de campesinos, gente simples. E leva ingredientes também simples: batata, farinha e ovo. É típico do Norte da Itália, região fria e longe do mar, onde os produtos da terra são mais comuns. A receita de hoje é básica, o que varia é o molho. Usualmente, na Bologna comem o Gnocchi com ragu e em Gênova, com pesto.

Por aqui já temos versões de abóbora, mandioquinha, banana… Mas antes de inventar moda vamos ao básico:

Gnocchi básico

Limpe bem uma bancada lisa e separe uma panela grande e uma escumadeira e, se tiver, um amassador de batatas.

Ingredientes para 2 pessoas: 3 batatas, 1 xícara de chá de farinha de trigo, 1 ovo, 1 colher de café de sal.

Cozinhe as batatas com o mínimo de água possível, despele-as e amasse-as ainda mornas. Misture com o ovo e o sal. Amasse bem e vá acrescentando a farinha aos poucos, até formar uma massa uniforme com consistência suficiente para enrolar.*

Coloque a panela com bastante água para esquentar.

Polvilhe a bancada com um pouco de farinha e divida a massa em duas ou três bolotas com 4 dedos de largura. Tome cada uma delas e enrole até formar um rolo (ou mais de um) com aproximadamente 2,5 cm de diâmetro. Corte-o em pedacinhos também de 2,5 cm. Faça as ranhuras características com ajuda de um garfo – veja fotos.  Quando estiverem todos prontos, vá colocando-os, aos poucos, na água quente para cozinhar. Conforme forem subindo à superfície, retire-os com uma escumadeira e reserve-os em uma vasilha untada com azeite, para não grudarem.

Coloque os nhoques em uma forma refratária, envolva-os com o molho de sua preferência e sirva-os bem quentes.

*o ponto da massa vai depender do tipo de batata e de quanta água ela absorverá. Se necessário, coloque mais um pouco de farinha (cuidado, não muito) ou molhe mais um pouco. Deve ficar molinha, porém consistente, sem grudar nas mãos.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Sopas, caldos e cremes

Standard

Qual o seu prato predileto de inverno? Seguindo a ideia de hoje da Rádio CBN, fizemos uma enquete entre amigos e a resposta que ganhou foi: Sopas! Neste frio fora do comum, nada como uma sopa, caldo ou creme para nos aquecer à noite. Pois aqui vão quase quarenta receitas para você curtir o friozinho. Tem receitas tradicionais, criações de nossa autoria e ainda algumas das receitas mais famosas do mundo. Experimente!

Receitas com legumes e outros ingredientes

Creme de aspargos

Caldo de batata doce com alho poró

Creme de batata doce com cebola roxa caramelizada

Creme de baroa com alho poró

Creme de beterraba e batata doce

Creme de couve-flor

Creme de ervilhas

Creme de espinafre

Sopa de feijão branco com cogumelos e frango

Caldo de feijão branco com linguiça

Caldo de frango com arroz e legumes

Sopa de legumes com cogumelos

Sopa de lentilhas

Creme de palmito

Creme de tomates

obs.: Cremes levam leite e/ou creme de leite ou queijo na receita.

 

Receitas tradicionais da cozinha mineira

Vaca atolada  (mandioca e carne)

Canjiquinha com costelinha

Maneco sem jaleco ( fubá, couve, linguiça)

Caldo de feijão

Caldo de feijão fradinho com costelinha

 

Canja de galinha

Creme de abóbora com carne seca

Caldo de fubá com frango e milho verde

 Caldo de Inhame (ou cará) com linguiça

 

Receitas internacionais

Sopa de cebola à francesa – França

Crème aux champignons – França

Consommé aux champignon ( caldo com cogumelos) – França

Creme de feijão branco com gorgonzola – França

Sopa de grão-de-bico à Provençal – França

Caldo Verde – Portugal

Minestrone – Itália

Panhoca com creme de queijo – EUA

Creme de batata com queijo cheddar – EUA

Sopa Borsch – Rússia

Sopa Indochina (caldo de frango com vegetais) – Sudeste Asiático

Caril de frango – Tailândia

Creme Ha Long  (cremes de espinafre e de baroa) – Vietnã

Saladas

Standard

Saladas fazem parte do dia-a-dia de toda pessoa saudável porque as verduras e legumes são importante fonte de nutrientes indispensáveis ao corpo humano. Neste capítulo, separamos as saladas em três categorias: saladas clássicas internacionais, saladas composta e saladas light ( com informações nutricionais e calorias). Veja também dicas e molhos.

Saladas clássicas internacionais 

Elegemos algumas das saladas mais conhecidas no mundo para você servir em casa quando quiser dar uma sofisticada nas refeições do dia-a-dia. E, é claro, quando quiser apresentar uma salada bonita e saborosa aos seus convidados.

Salada Caesar

Americana – alface americana, croutons, bacon, frango desfiado, parmesão ralado e molho caesar

Salada Waldorf

Americana – aipo (ou salsão), maçã verde, nozes e molho supremo

Salada Caprese

Italiana – tomate, muçarela de búfala e pesto de manjericão

Salada Piemontesa

Italiana- peras, nozes, queijo de cabra

Salada Niçoise

Francesa – batata, vagem, ovo cozido, anchovas ( ou atum)

Salada de batatas

Portuguesa – batata, ovo, azeitona preta e cheiro verde

Salada de bacalhau

Portuguesa – bacalhau, batatas, cebola

Salada de feijão fradinho com bacalhau

Portuguesa – feijão fradinho, bacalhau

Salada Alemã de batatas

batata, cebola, salaminho, bacon e molho de mostarda

Salada Grega

tomate, pepino, cebola roxa, queijo feta, azeitona preta e hortelã

Tabule

Árabe – trigo, tomate, cebola e ervas

Salada Árabe

Grão-de-bico, pepino, tomate, cebola, coalhada

Salada Mexicana

abacate, tomate, pimentão amarelo, pimenta, molho tabasco e nachos

Salada Havaiana

abacaxi, queijo prato, presunto, milho, passa branca  e molho supremo

 

Saladas compostas

Varie das mesmas saladas que você come todos os dias. Criamos para você algumas saladas diferentes misturando ingredientes que combinam muito entre si, resultando em saladas coloridas e saborosas.

Com frutos do mar 

Salada Tropical

manga, palmito, brócolis, molho de iogurte com manga; opcional camarões

 Salada Mar e Terra 

camarão, kani, côco, manga, alface americana, iogurte, sorbet de côco

Salada de lulas marinadas

 

Com aves e presuntos

Salpicão de frango

frango, batata palha, maçã, milho

Salada de frango

alfaces, frango, palmito, tomate seco, muçarela de búfala e molho de hortelã

Salada Beverly Hills

rúcula, agrião, melão, uva rubi, presunto de parma, amêndoas, sorbet de frutas vermelhas

Salada de romãs com presunto de parma

presunto cru, tomate, romãs e folhas

Salada de batata com calabresa

batatas, cebola, calabresa

 

Saladas com queijos

Salada de endívias com gorgonzola

alface roxa, endívias, queijo gorgonzola, nozes e romãs

Salada de muçarela, tomatinhos e brócolis

muçarela de trança, tomates cereja, brócolis

 

Saladas vegetarianas

Salada Vegie

cenoura, couve-flor, arroz integral e gergelim

Salada Strelitzia

ervilha de folha, cenoura baby, abobrinha, cogumelo-de-paris, sorbet de limão

Salada Marroquina 

berinjela, pimentão vermelho e amarelo, passas, alho e azeite

Salada Évora

rúcula, pimentões assados, ovos cozidos, alcaparras, azeitonas pretas

Salada de lentilhas e cogumelos

rúcula, lentilhas com pimentão, cogumelos ao creme, moranga, tomate

Salada morna de legumes

beringela grelhada; cenoura, alho poró e abobrinhas; brócolis e tomate grelhado

 

Outras

Salada de cebolas

para acompanhar churrasco

 

VEJA TAMBÉM A PÁGINA DAS SALADAS LIGHT

 

Petiscos e Entradas

Standard

No “Meu caderno de receitas” catalogamos como Petiscos aquelas pequenas delícias que servimos para acompanhar uma bebida quando estamos conversando com nossos amigos em volta de uma mesa. Na França chamam de amuse-guele, na Espanha são os tapas, em Portugal e no Brasil são os tira-gostos e, na lingua inglesa, são os chamados finger foods. Como Entradas, catalogamos os pratos, frios ou quentes, servidos antes do primeiro prato ou prato principal, que também podem ser servidas volantes em um coquetel. Nesta categoria incluímos também os fondues. São mais de 40 receitas para você escolher!

 

Petiscos

Bruschetta de tomate

Canapé de beringela

Canapé de beringela com pimentões /  Canapé de beringela com azeitonas

Salada marroquina

Beringela com pimentões

Canapé de cogumelos

Canapés de queijo

Canapé de alho poró com queijo brie

Guacamole mexicano

Damasco com gorgonzola

Rocambole colorido

Enrolado de pesto ( pão)

Involtini de zucchini ( enroladinho de abobrinha) 

Linguicinha com cidra

Linguicinha ao vinho

Isca de frango com gergelim ao molho agridoce

Lagarto frio

Batatinhas com cebola e linguiça

Espetinho light de tomate e beringela

Enroladinho light de abobrinha com cream cheese

Cogumelos salteados

Conserva de tomatinhos cereja

Conserva de alho

 

Pastas e patês

Chutney de beterraba

Cebola roxa caramelizada

Chutney de damasco

Babaganush ( pasta de beringela)

Homus ( pasta de grão-de-bico)

Patê de tofú

Patê light de couve-flor 

Bolinhos

Bolinho de arroz 

Bolinho de bacalhau

Bolinho de boteco ( mandioca com carne)

Bolinho de espinafre

Bolinho de mandioca

 

Entradas

Causa peruana

Ceviche peruano do La Mar

Ceviche de frutos do mar

Caldinho de moranga com camarão

Rolinho primavera

Cogumelos com tofu

Kibe

Kafta

Espetinhos

Pão colorido da Vovó Lana ( pão recheado)

Torta Pasqualina ( ricota com legumes

 

Fondue

 

 

 

MEU CADERNO DE RECEITAS

Standard

MEU CADERNO DE RECEITAS

Com esta série começamos a organizar as 615 (até agora) receitas deste blog. Veja como: acesse http://www.salcomalho.com e selecione, na coluna da esquerda: Meu Caderno de Receitas. Veja os ítens apresentados – ali você terá todas as receitas separadas por assunto. Veja a setinha do lado direito. Por exemplo, se clicar em PETISCOS E ENTRADAS, irá abrir as receitas desta categoria diretamente, por ordem decrescente de data da postagem. Se seguir adiante e clicar em LISTA, terá a foto e o nome de cada receita já postada.  Nos próximos dias, continuaremos nosso trabalho de categorização e listagem, até completá-lo. E depois, novas receitas virão!

Agora ficará muito mais fácil organizar o seu próprio Caderno de Receitas. Há duas opções: um álbum virtual, guardado no seu computador ou um álbum tradicional, em papel impresso.

Álbum Virtual: crie uma pasta Meu Caderno de Receitas no seu desktop. Baixe as receitas que gostar ( podem ser todas!) em PDF (veja a indicação ao final de cada receita) e organize-as dentro dessa pasta, por assunto. A qualquer tempo, você poderá escolher a receita que quiser e imprimi-la.

Álbum de Receitas Tradicional (como o da foto): compre um arquivo fichário. Baixe, em PDF, as receitas que mais gostar e imprima-as. Organize-as por assunto, como nós fazemos no nosso álbum que você vê na foto acima. Como já são mais de seiscentas receitas, já temos quatro álbuns!

Então? O que está esperando? Hoje já organizamos a seção Petiscos e Entradas para você. Pode aproveitar o fim de semana pra começar seu álbum!

 

Pão sem glúten com linhaça, chia e sementes

Standard

Esta é uma excelente opção para quem quer consumir um produto saudável, sem glúten, rico em sementes nutritivas e excelente para o perfeito funcionamento do intestino. A receita é muito fácil de fazer. Eu costumo fazer duas receitas e, depois de frio, corto o pão em fatias (como pão de forma). Separo-o em quatro partes, distribuídas em sacos plásticos ou enroladas em plástico filme. Deixo uma parte para o lanche, outra na geladeira para usar em até quatro dias e as outras duas guardo no freezer, para uso futuro. Quando for comer, coloque as fatias na torradeira e terá o aroma e a crocância de um pão acabado de sair do forno!

Pão sem glúten com linhaça, chia e sementes

Separe todos os ingredientes. Ao fazer a receita, irá separá-los em 4 partes: o preparo do fermento, os secos, os líquidos e o que vai por cima, na decoração( opcional).

Preparo do fermento: 1 colher de chá de fermento biológico seco, 1 colher de sopa de açúcar demerara (pode ser mascavo), 1/2 xícara de água morna.

Secos: 1 xícara de chá de farinha mix* sem glúten (ou 1/2 xícara de farinha de arroz + 1/2 xícara de fécula de batata), 2 colheres de sopa de farinha de linhaça dourada, 1/2 colher de chá de goma xantana, 1/2 colher de chá de sal, 1  1/2 colher de chá de semente de chia, 1  1/2 colher de chá de semente de linhaça, 1 colher de chá de gergelim branco
1 colher de chá de semente de girassol.

Líquidos: 1 ovo + 1 clara (guarde a gema para pincelar ao final), 1 colher de chá de vinagre (de preferência de maçã), 1 colher de sopa de óleo vegetal.

Para decorar: 1 gema de ovo, sementes de linhaça e de abóbora.

Primeiro prepare o fermento: misture a água morna (tolerável ao toque – se estiver fria não ativa o fermento, se estiver quente pode matá-lo) com o açúcar até que se dissolva. Acrescente o fermento e espere que dê espuma.

Misture os ingredientes secos em uma tigela. Acrescente os líquidos. Por último, junte o preparo do fermento.

Unte uma forma pequena do tipo que se usa para bolo inglês. Se for fazer a receita dobrada, pode utilizar a forma tradicional do tipo para pão de forma. Despeje a massa e espere que cresça (cubra com um pano ou um plástico filme).

Pré-aqueça o forno a 180º.

Leve a forma ao forno e asse por 15 minutos (ou até que cresça bastante). Retire do forno e, rapidamente, pincele a gema de ovo para fixar as sementes, que irá colocar sobre o pão. Volte ao forno, espere terminar de assar (mais uns 10 minutos), cuidando para não queimar as sementes**.

Ao verificar que corou por cima, está pronto!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

*prefiro a da Amina ou da Beladri

**se preferir, decore desde o início com as sementes e leve ao forno, tampando a forma com uma assadeira, pelos primeiros 15 minutos. Depois, é só retirar a tampa e esperar terminar de assar. Sem este cuidado, as sementes ficarão torradas.

 

Coelho ao caçador

Standard

Pouca gente tem o costume de comer carne de coelho no Brasil. Acredito que as razões são culturais, pois a criação de coelhos, trazidos da Europa, foi introduzida tardiamente no país. Muitos se aventuram a cozinhá-lo tal qual se faz frango ou carne de porco, como não fica bom, passam a dizer que não gostam de carne de coelho. No entanto, sabendo fazê-lo, é um prato delicioso. Esta receita é proveniente da região da Toscana, na Itália, onde coelho é um prato muito comum e apreciado.

Nesta receita, servimos o coelho com nhoque grelhado e cenouras em corte palito, para dar um colorido ao prato.

Coelho ao caçador – com vinho e tomates

Como o tamanho o coelho varia, vamos tomar por base os ingredientes para preparar 1 (um) kg de coelho. Anote: 6 tomates tipo italiano maduros (ou 1 lata de tomati pelati), 1 cebola branca, 1 cebola roxa, 2 dentes de alho amassados (sem a casca, socados), 150 ml de vinho branco, 1 colher de chá de páprica picante, basílico ou manjericão, azeite, sal e pimenta do reino branca.  Vinho branco para a marinada.

Limpe o coelho e corte-o em pedaços. Prepare uma marinada com a cebola branca picada e os temperos verdes frescos de sua preferência, sal e pimenta do reino branca moída na hora. Para esta receita, além do manjericão, piquei salsinha, cebolinha verde e alecrim fresco. Junte vinho branco. Tome um saco plástico, coloque as peças cortadas do coelho, acrescente a marinada. Feche, deixe na geladeira por, no mínimo, 6 horas. Na metade do tempo, vire o saco de lado. Retire da geladeira e deixe voltar à temperatura ambiente.

Caso for usar tomates frescos: faça uma cruz superficial na lateral de cada tomate, com a ponta da faca. Coloque água para esquentar em uma panela. Quando a água estiver fervendo, desligue o fogo e coloque os tomates, um a um, retirando-os rapidamente, assim que a pele se soltar (use um garfão para não se queimar). Retire a pele com cuidado e parta-os em quatro, para tirar as sementes. Corte-os em cubos pequenos.

No caso dos tomates já pelados, retire as sementes, passando-os em um coador. Corte-os em pedaços.

Em uma panela funda, deite azeite e doure os pedaços do coelho. Retire-os e reserve em um recipiente à parte. Na mesma panela, doure a cebola roxa cortada em fatias. Acrescente a páprica e misture bem até incorporar. Pingue um pouco de água quente para a cebola não grudar na panela. Adicione o vinho branco e deixe o álcool evaporar. Acrescente os tomates, o alho e as folhas de manjericão.

Volte com o coelho para a panela e misture tudo. Acerte o tempero e deixe cozinhar, no fogo baixo, por, ao menos, 40 minutos, acrescentando água quente, pelas beiradas, de pouco em pouco,  até o completo cozimento da carne. Não deixe o molho secar, pois a carne deve ficar completamente envolvida no molho. Quando verificar que a carne está macia e o molho incorporado, está pronto!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

obs: sobrou coelho? Desfie a carne e guarde, junto com o resto do molho, no freezer. Quando precisar, terá  um ótimo ragú para rechear um ravioli caseiro.