Doce de coco na abóbora à tailandesa

Standard

Esta é uma das receitas mais conhecidas e apreciadas na Tailândia. Seu nome original é Sangkhyaa Fak Thong e é feita com a abóbora conhecida no Brasil como abóbora japonesa, justamente por ser de origem do Sudeste Asiático. O doce de coco também pode ser servido na própria casca do coco, mas na versão com a abóbora fica mais bonito, com a vantagem da abóbora ser comestível. Como esta receita leva 1 hora para assar e deve ficar na geladeira por, no mínimo, 4 horas, aconselho que seja feita com antecedência ou mesmo de véspera.

Doce de coco na abóbora

A receita pode ser feita com a polpa natural do coco, mas para facilitar usei o leite de coco e o coco ralado desidratado industrializados. Caso queira fazê-la com o coco natural, veja aqui a dica de como prepará-lo para a receita.

Vamos aos ingredientes: 1 abóbora japonesa pequena ( veja foto abaixo), 6 ovos (de preferência caipira*), 1 ½ xícara de açúcar refinado**, 200 ml de leite de coco e 1 xícara de chá de coco ralado.

Vai precisar de uma travessa refratária, de uma assadeira grande de borda alta e de uma outra forma de alumínio ou silicone redonda, que caiba a abóbora.

Primeiro ligue o forno a 250 graus e esquente 1 litro de água.

Bata na batedeira em velocidade média (na Planetária pode ser 4) os ovos (clara e gema junto) até formar uma espuma cremosa. Adicione o açúcar aos poucos, sempre batendo, até formar um creme consistente. Desligue, acrescente o leite de coco e volte a bater, em baixa velocidade, só a conta de misturá-lo. Coloque o creme imediatamente dentro de uma travessa refratária baixa. Tome a assadeira e despeje dentro a água quente até o nível d’água dar uma altura de aproximadamente 2cm. Coloque, lado a lado, a travessa e a forma redonda com a abóbora dentro ( veja foto). Com cuidado, leve-os ao forno para assar por volta de 1 hora nesse processo chamado de banho-maria.

Quando o creme de coco começar a corar por cima, espete um garfo para testar se está cozido. Se o garfo sair limpo, está pronto. Retire a assadeira do forno e deixe a abóbora esfriando. Misture o coco ralado no creme e deixe esfriar.

Com uma faca, corte e retire uma tampa ( diâmetro de 8cm) da abóbora. Com uma colher de sopa, cave e retire as sementes da abóbora até que veja as laterais lisas e firmes. Obs: pode-se abrir a tampa e retirar as sementes com a abóbora crua, só que corre o risco dela ficar muito mole ao assar e desmoronar no processo.

Coloque o doce dentro da abóbora até completar. Tampe e leve à geladeira por, no mínimo, 4 horas.

Na hora de servir, corte com uma faca longa e bem afiada as fatias de abóbora com o recheio do creme de coco (veja a foto principal).

* para o recheio ficar mais amarelo

** a receita original leva 2 xícaras de açúcar.

tipos_de_abobora

Foto: Wikipedia

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Pé-de-moleque

Standard

O pé-de-moleque é um dos doces mais tradicionais do Brasil e muito popular em Minas Gerais e no Nordeste. Sua origem remonta à influência árabe na Península Ibérica. Em Portugal é conhecido como nogat e no sul da Espanha como turrón, porém na Europa a receita era feita com mel de abelhas. A partir da introdução do plantio de cana-de-açúcar no Brasil Colônia, o doce passou a ser feito com o melaço da cana, que deixado endurecer é conhecido como rapadura. Sabe porque tem este nome? Nos tempos do Brasil colonial, as cidades mais ricas, como Ouro Preto e Paraty, eram calçadas com pedras redondas e uma mistura de argamassa à base de areia de rio. A este tipo de calçamento rude deram o nome popular de calçada pé-de-moleque, pois as pedras eram assentadas por moleques (garotos adolescentes) que usavam os pés para ajeitá-las no lugar.

Nas festas juninas mineiras e nordestinas, quando se comemora com grandes festas os dias de Santo Antônio (13/06) e de São João (24/06) este docinho não pode faltar. Hoje vamos dar a receita do pé-de-moleque original, que também tem o nome de “quebra-queixo” e ainda sugerir algumas variações.

Pé-de-moleque original

Para 8 doces separe 350 gr. de amendoim inteiro sem casca e 350 gr. de rapadura, ou seja, 1 1/2 xícara de chá cheia de cada um, considerando a rapadura já quebrada em pedacinhos.

Torre o amendoim em uma panela, virando de um lado para outro para que fique corado por igual. Enquanto isto, derreta a rapadura com água em outra panela, com a água no nível certo de cobrir os pedaços. Assim que a calda de rapadura estiver começando a fazer bolhas, junte o amendoim e continue batendo, sem parar e com energia, com uma colher de pau, até que o doce comece a soltar das beiradas. Retire a panela do fogo e coloque-a em uma bacia grande com água e continue batendo energicamente o doce até que a massa fique esbranquiçada. Já está no ponto de ser retirado da panela às colheradas.

Limpe bem uma bancada fria, ou uma assadeira, e passe um pouco de óleo ou manteiga na superfície. Coloque as colheradas do doce, como na foto. Deixe esfriar bem antes de retirá-los.

Nesta receita original o doce fica bem puxento. Se preferir fazê-lo sem puxa e mais macio, substitua a água por leite – este é o modo mais comum do doce ser encontrado à venda e o jeito preferido dos mineiros.

Há variações da receita – pode-se usar leite condensado ao invés de leite ( fica muito doce e enjoativo) ou pode-se usar leite de coco para quem tem intolerância à leite- nesse caso fica puxento por causa da gordura do leite de coco.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Veja abaixo o pé-de-moleque feito com leite e cortado em tamanho menor para a Festa de São João:

IMG_2388

Costeletas de cordeiro ao forno

Standard

Na nossa filial deste blog em Bruxelas, na Europa, a filha solteira sempre compra costeletas de cordeiro no mercado de Midi aos domingos. Lá custam pouco e são bem carnudas. Veja aqui a receita que fizemos na casa dela. Pode-se variar o modo de cozinhar: grelhada ou assada. A maioria das pessoas as prefere ao ponto. Quanto ao molho para acompanhar, pode ser um pesto de manjericão, um molho de vinho tinto, um molho ao vinho incrementado com suco ou geleia de frutas vermelhas, de jaboticaba ou de marmelo. De todo jeito são sempre deliciosas! Para quem se inicia na cozinha, a filha casada ensina o modo mais rápido e fácil de fazer as costeletas:

Costeletas de cordeiro com batatinhas ao alecrim

Veja os ingredientes para 2 pessoas: 500 gr de costeletas de cordeiro ( pode ser de 2 a 4 peças), 12 batatinhas baby, 2 colheres de sopa de alecrim fresco amassado ou desidratado, azeite, sal e pimenta do reino.

Separe as costeletas e cubra somente a parte do osso com papel alumínio – isto vai impedir que fiquem pretas durante o cozimento. Tempere-as com sal e pimenta do reino a gosto.

Enquanto a carne pega o gosto do tempero, cozinhe as batatas em água quente (ou na panela de pressão se estiver com pressa, mas cuidado para não amolecer – 15 minutos é suficiente pois ainda irão ao forno).

Pré-aqueça o forno a 180 graus.

Esquente um pouco de azeite em uma frigideira. Grelhe as costeletas até que mudem de cor.

Numa assadeira, disponha as batatas cortadas ao meio e salpique o alecrim por cima. Regue com um pouco de azeite e acrescente a carne.

Leve ao forno por cerca de 15 minutos. É o tempo da carne acabar de cozinhar e a batata ficar com aquele gostinho delicioso de alecrim. Retire o papel alumínio para levar as costeletas à mesa, adorne com as batatinhas e regue com o molho que ficou na assadeira.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Involtini di muzzarela

Standard

Esta receita é daquelas bem fáceis e práticas de se preparar quando for receber amigos em casa. Impressione-os com o sabor delicioso e a bela apresentação. E o melhor é ser uma ótima opção para quem não tem tempo para preparações elaboradas e ainda corre o risco de chegar em casa junto com os convidados.

Compre com antecedência no supermercado e guarde na geladeira: 1 manta de muçarela de búfala (se não encontrar, compre muçarela em fatias finas), 1 potinho de tomate seco com azeite e 1 molho de manjericão fresco (ou menor quantidade se encontrar na bandejinha).

O preparo leva, no máximo, 5 minutos.

Lave as folhinhas do manjericão e deixe-as secando. Bata o tomate seco no liquidificador ou no mini processador. Não deixe que vire líquido, deve batê-lo o suficiente para tornar-se uma pasta com pequenos pedaços.

Abra a manta de muçarela e com uma colher espalhe a pasta de tomate seco de maneira a cobri-la parcialmente (veja a foto). Em seguida, coloque as folhinhas de manjericão.

Corte a manta da espessura desejada e enrole delicadamente.

Para a decoração, espalhe o próprio azeite colorido de tomate que sair pelas beiradas e coloque um pedacinho de tomate seco por cima. Disponha folhinhas de manjericão para enfeitar e está pronto!

Fusilli com carne e molho de legumes

Standard

Sabe quando no domingo à noite bate aquela preguiça de sair pra comer fora? O recurso é dar uma voltinha e ver o que tem à mão na geladeira e na despensa. Não encontrou nada pronto? Não desanime!

Você acha que não sabe cozinhar ou tem medo de enfrentar um fogão? Coragem! Hoje é o dia! A culinária tem princípios muito elementares, é só conhecer os básicos e o resto fica por conta de sua imaginação. Comece preparando uma pasta com um molho bem gostoso. Se tiver uma carne pronta, use-a. Se não, também fica ótimo só com legumes.

Sempre tem alguma carne pronta que sobrou da semana, no caso achei uma carne de panela cozida, das que duram dias e dias na geladeira. Se não conhece a receita dessa carne tão gostosa e prática – pois serve para várias preparações de última hora – clique aqui.

Achei na gaveta de legumes: pimentão vermelho e verde, cebola, tomate, abobrinha e ainda cebolinha verde. Se não tiver esses legumes pode usar, por exemplo, cenoura e berinjela. O importante é variar na cor e no sabor – no caso tenho ingredientes das cores amarela, vermelha e verde. Para temperar: sal com alho e pimenta do reino. Vai precisar de azeite ou óleo para fritar os legumes.

Pique os legumes em quadrinhos ou em fatias finas e em partes iguais. Todos juntos devem dar 1 xícara de chá bem cheia por pessoa. Pique também a carne em pedaços que dê para colocar na boca sem precisar de partir no prato. Calcule a quantidade por pessoa.

Escolha o tipo de pasta (fusilli, penne, tagliatelli, etc) Para calcular quanto vai precisar por pessoa despeje a pasta crua em um prato de sopa e veja a quantidade de acordo com o tamanho da fome. Veja as instruções de cozimento e coloque uma boa quantidade de água para ferver.

Se for intolerante a glúten compre nas lojas especializadas pasta feita à base de milho ou de arroz, como a da foto.

Tome uma frigideira e leve-a ao fogo com azeite espalhado no fundo (1 colher de sobremesa por pessoa). Primeiro doure a cebola e os pimentões ( ou os legumes mais duros, como a cenoura). Em seguida, frite o sal com alho, calculando ½ colher de café por pessoa. Agora junte os legumes mais moles, como o tomate fresco e a abobrinha. Assim que amolecerem, acrescente a carne e o molho da carne. Se a carne estiver seca, junte molho de tomate e água fervendo, aos poucos. Tempere com um pouquinho de molho inglês. Misture tudo e deixe ferver, a conta de incorporar os sabores. Prove o tempero, acrescente um tiquinho de pimenta do reino, se gostar e sal, se necessário.

Enquanto prepara o molho, cozinhe a pasta em água fervente com sal, no tempo adequado. Escorra bem e misture-a imediatamente ao molho quente, na própria frigideira. Desligue imediatamente. Veja como ficou bonito e que delícia! Sirva bem quente. Salpique parmesão ou grana padano ralado, se for do seu agrado.

Um prato assim pede um vinho tinto, de preferência um Chianti!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Cardápio para o Dia dos Namorados

Standard

Canapés, rosbife ao molho de frutas vermelhas e suflê de goiabada com sorvete de queijo

No mundo ocidental comemora-se a 14 de fevereiro o Valentine’s Day. É uma data dedicada à troca de mensagens e presentes entre pessoas que se amam, não só namorados. O Brasil é o único lugar do mundo onde existe um dia de comemoração só para os namorados – o dia 12 de junho. A escolha deste dia foi uma jogada comercial para melhorar as vendas do mês. Mas nem por isto vamos tirar a aura de romantismo desse dia, ao contrário. Nada como preparar um jantar a dois para embalar o romance! Aqui damos a sugestão de um cardápio sofisticado mas muito fácil de fazer.

Entrada: Canapés de queijo. Clique aqui para ver a receita.

Prato principal : Rosbife ao molho de frutas vermelhas acompanhado de risotto

Sobremesa: Suflê de goiabada com sorvete de queijo – uma nova versão do clássico Romeu e Julieta. Clique aqui para ver a receita

Rosbife ao molho de frutas vermelhas

Calcule 200 a 300 gr. de filé por pessoa. Vai precisar de 1 colher de café de sal com alho batido e óleo. Para o molho (2 pessoas) separe: 1 colher de café de manteiga de leite, ½ cebola pequena ralada ou batida (escorrida do excesso de água), 1 colher de chá de amido de milho diluído em 1/4 xícara de café de água , ½ xícara de café de vinho tinto ou 1 colher de sopa de vinagre de vinho tinto e mais 1 colher de sopa rasa de geleia de frutas vermelhas.

Tempere o filé com sal e alho e deixe pegando tempero entre 15 e 30 minutos. Aqueça 1 xícara de chá de água à parte. Tome uma frigideira, deite uma colher de chá de óleo e deixe esquentar bem. Coloque a peça de filé ( aproximadamente 500 gr.) na frigideira e deixe grelhar por baixo. Enquanto isto, ligue o forno a 180 graus. Quando verificar, pela lateral, que a carne já mudou de cor até a metade inferior ou que estão saindo gotículas do suco da carne por cima, vire a carne para grelhar do outro lado por aproximadamente o mesmo tempo. Verifique se está corada de todos os lados e retire-a da panela. Neste ponto estará ainda quase crua por dentro.

Passe a carne para uma assadeira e leve-a ao forno para cozinhar mais um pouco para que fique rosada por dentro. Cubra com papel alumínio para não ressecar. Não deve passar de 10 minutos de forno.

Na borra que ficou na frigideira, derreta a manteiga e frite a cebola ralada. Junte um pouco de água quente para limpar a borra e fazer um primeiro caldo. Despeje o vinho (ou o vinagre) e espere evaporar o álcool ( verifique que o aroma de álcool ou vinagre desapareceu). Acrescente a geleia e volte a misturar para que se incorpore ao vinho. Com uma espátula, misture o amido de milho diluído em água aos poucos até formar um creme homogêneo. Se ficar grosso, vá juntando água quente bem aos poucos até adquirir o ponto de molho. Está pronto!

Corte o filé em fatias bem finas, cubra com o molho quente e sirva imediatamente.

Para maiores detalhes clique aqui.

 

Risotto para acompanhar o filé. Escolha um destes:

Risotto tradicional. Clique aqui.

Risotto de abobrinha com queijo minas. Clique aqui.

Risotto de aspargos. Clique aqui.

Risotto com cogumelos. Clique aqui.

 

 

Canapés de queijo

Standard

Esta receita é tão fácil de fazer que foi a primeira que aprendi com minha mãe quando tinha quatro ou cinco anos de idade. Quando as pessoas saiam mais de casa para visitar a família e os amigos sempre chegava alguém em nossa casa sem avisar e a gente corria pra cozinha a fim de preparar algo rápido e bem gostoso para agradar ao visitante. Hoje as pessoas ficam em casa conversando pelas redes sociais. Pois perdem o prazer do encontro para comer e beber junto, rolando conversa à toa noite afora. Este convívio é bom demais! Hoje vou receber amigos em casa e lembrei-me destes canapés de queijo. Guarde a receita de memória para oferecer aos seus amigos na próxima visita.

Canapés de queijo

Use o pão dormido que tiver em casa – pode ser pãozinho francês, baguete ou pão de forma. Corte-o em fatias. Mineiro sempre tem queijo minas em casa e também manteiga, ovo, sal e pimenta do reino. Mas pode ser outro queijo qualquer ou uma mistura de queijo minas com os que tiver em casa sobrando.

Para um prato de queijo ralado grosso misture 1 ovo inteiro e 2 colheres de sopa de manteiga de leite já derretida. Amasse bem e tempere com sal e pimenta do reino. Para enfeitar o canapé use a imaginação: podem ser quadrinhos de bacon, de tomate, de damasco, de pimentão, de presunto ou pode ser também uma rodelinha de azeitona – use o que tiver na geladeira e que seja do seu gosto.

Passe a massa de queijo sobre as fatias de pão, distribua os enfeites e leve ao forno quente até o queijo derreter. Sirva quente.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.