Costelinha de porco com purê de banana-da-terra

Standard

A carne de porco é bastante apreciada em Minas Gerais. Quem mora ou já morou no interior adora uma costelinha de porco cheia de carninha pra se comer com as mãos. Sim, não há outra forma de aproveitar as partes mais gostosas da costelinha e esta é uma prática usada no mundo todo, até os chefs famosos se permitem comer com as mãos. E nada melhor para acompanhá-la do que um purê de banana-da-terra. Chame os amigos e faça um almoço mineiro! Complete o cardápio com feijão tropeiro e couve. E suflê de goiabada com sorvete de queijo! Fechou!

Esta receita é mais sofisticada do que a costelinha frita tradicional mas é mais gostosa e muito prática de se fazer. Além disso, fica tão macia que solta dos ossos, não sendo necessários comer-se com as mãos.

Costelinha de porco com purê de banana-da-terra

Para 4 pessoas, anote os ingredientes. Para a costelinha: 1kg de costelinha de porco com os ossinhos, 2 xícaras de caldo de frango caseiro aquecido. Para a marinada: 1 xícara de vinho branco, 4 folhas de louro, 1 colher de chá de mostarda em pó, 1/2 colher de chá de cominho,

1 colher de sopa de páprica picante, 1 cebola grande, 4 dentes de alho amassados, sal e pimenta-do-reino a gosto (1 colher de chá de cada é suficiente).

Ingredientes para o purê: 1/4 de cebola batidinha, 4 bananas-da-terra maduras,1 colher de manteiga em temperatura ambiente, 1/2 xícara de leite, sal e  pimenta branca a gosto.

Prepare a marinada misturando os temperos e o vinho branco e despeje-a sobre a carne dentro de um saco plástico. Faça com que toda a carne tenha contato com o líquido. Coloque o saco fechado sobre uma assadeira na geladeira por 12 a 24hs (quanto mais, melhor). Vire o saco de lado na metade do tempo.

Coloque as bananas no freezer. Lembre de retirá-las a tempo de descongelarem para fazer o purê.

Retire a carne da geladeira no mínimo 30 minutos antes de ir ao forno. Ela não pode sofrer um choque térmico quando for assar.

Pré-aqueça o forno a 200 graus e transfira a carne e a sua marinada para uma assadeira limpa (pode ser o refratário que irá servi-la). Despeje o caldo de frango já aquecido. Tampe com um papel alumínio e leve ao forno por no mínimo uma hora e meia ou até verificar que a carne está soltando dos ossos (se espetar um palito entre os ossos verá que ele afunda facilmente).

Enquanto isso prepare o purê. Esquente uma panela funda com azeite e doure a cebola já batidinha (ou cortada o menor que puder). Retire a polpa das bananas de dentro da casca e leve-as à panela. Junte o leite e a manteiga. Amasse as bananas enquanto mexe a massa em fogo baixo, até que fique com uma consistência quase lisa. Se quiser um purê menos rústico, bata-o no liquidificador antes de servir.

Passado o tempo do cozimento da costelinha no forno, aqueça uma frigideira e verta um pouco de azeite. Retire a carne do forno e, com a ajuda de um pegador, transfira-a para uma frigideira para que grelhe e fique bem bonita (só de um dos lados, escolha o que não tem os ossos aparecendo). Volte com a carne para o refratário ou monte os pratos, aproveitando o molho e os pedaços de cebola e alho, se quiser.

Sirva com o purê de banana-da-terra.

Para os amantes do vinho, sugerimos um tinto espanhol, Tempranillo, Crianza da região de Rioja. Uma harmonização perfeita!

Pernil de porco assado

Standard

Em Minas Gerais, em ceia ou almoço de Natal não pode faltar pernil de porco ou leitoa. Como leitoa é difícil de conseguir e tem gente da novíssima geração que não come porque tem muita gordura, é melhor fazer um pernil pois é unanimidade: todo mundo adora. Na minha família quem faz o pernil todo ano é a minha mãe, para o almoço do dia 25. Mas eu sei a receita de cor e salteado pois acompanho o processo desde pequena. Conto pra você o segredinho de família do tempero!

Pernil de porco assado

Com antecedência, peça ao açougueiro para reservar um pernil para a véspera do dia em que pretende assá-lo. Um bom pernil pesa entre 6 e 8 quilos, então dá para umas vinte pessoas comerem, com folga. Quando for buscá-lo, peça para cortar a ponta do osso para poder caber em um forno caseiro. Pese o pernil sem o osso.

Tempero: para cada quilo de pernil, separe: 1 colher de chá de sal triturada no pilão com 1 dente de alho, 1/2 cebola triturada, 2 folhas de louro picadinhas, 1 colher de sobremesa de molho inglês, 1/2 copo de vinho rosé e 1/2 copo de suco de limão capeta maduro (aquele que tem a casca da cor de cenoura e rugosa) e 1/2 colher de café suco de pimenta malagueta.

Fure o pernil todo com um trinchante (aquele garfão com 2 dentes). Esfregue o sal com alho nele todo. Misture todos os outros temperos e mais 1/2 copo de água.

Coloque o pernil inteiro dentro de um saco grande de plástico grosso e entorne o tempero. Vire de um lado e outro para que todo o pernil fique banhado com o tempero. Feche o saco, coloque-o deitado em uma assadeira e deixe-o imerso nesta salmoura, dentro da geladeira, por 24 horas (ou pouco mais). Na metade deste tempo, vire o saco do lado contrário.

Passado esse tempo, pré-aqueça o forno a 300 graus. Tire o pernil do saco, retire as folhas de louro e o excesso de tempero e despeje a salmoura em um caneco. Unte uma assadeira bem grande e funda com óleo e coloque o pernil no meio. Asse por aproximadamente 1 hora ou até observar que o pernil mudou para cor de carne cozida. Vire-o do outro lado e deixe mais 1 hora. Então abaixe a temperatura para 250 graus e deixe assar por aproximadamente mais 4 horas, regando a cada hora com o caldo que ficou no caneco. No meio do tempo, vire o pernil outra vez. Se começar a querer dar crosta por cima, cubra com papel alumínio. Quando espetar um garfo e verificar que a carne está macia, pode retirar do forno.

Adorne o pernil com rodelas de abacaxi frito na manteiga com um pouco de açúcar para dar um tom dourado. Junte cerejas e ameixas pretas para dar um colorido.

Se quiser fatiar, faça-o com o pernil morno e é mais fácil usar uma faca elétrica. Corte contornando o osso.

 

Feijoada magra

Standard

Como todos sabem, a feijoada é o prato típico brasileiro mais consumido nos estados do Sudeste. Presença indispensável no bufê dos restaurantes de comida a quilo nas sextas-feiras e servida no cardápio dos restaurantes tradicionais no sábado, é também inspiração e razão para muitos almoços e festas, tanto familiares como de comemorações sociais.

Até mesmo a nova geração saudável, que tem como credo uma dieta restrita em calorias, não deixa de escapulir, uma vez ou outra, e se esbaldar numa boa feijoada. É o caso de minha família, que durante a semana toda praticamente só se alimenta seguindo uma dieta light. Mas à feijoada da mamãe no domingo ninguém resiste. Só tem um detalhe: cedo estão na cozinha para conferir se estou mesmo tirando a gordura das carnes! Diz-se que á a gordura que dá sabor. Desafio! Experimente esta receita de feijoada – menos calórica é impossível de ser feita – e prove o seu delicioso sabor! Tem mais: é de fácil digestão e não dá aquele sono e sede habituais de quando se ingere comidas pesadas.

Para 6 pessoas pode-se calcular 60 gr. de feijão preto por pessoa x 6= total 360 gr. Escolhi apenas os ingredientes de nossa preferência: 400 gr. de lombo defumado, 300 gr. de costeleta defumada, 200 gr. de paio e 200 gr. de linguiça tipo calabresa. Para o preparo da feijoada vai precisar de 50 gr. de bacon, 1 colher de sobremesa de óleo, 1 colher de sobremesa rasa de sal com alho ( ou 3 dentes de alho e uma colher de chá de sal), 1 cebola média, 3 folhas de louro e pimenta malagueta. Para a finalização, 1 colher de sopa cheia de salsinha e cebolinha picadas. Importante: inicie o preparo da feijoada pelo menos três horas antes do horário que pretende servi-la.

O feijão: comece colocando, de véspera, o feijão preto, catado e lavado, de molho em uma quantidade de água que o cubra por 2 dedos. No dia seguinte, verá que os bagos dobraram de tamanho pois absorveram toda a água. Assim gastará muito menos tempo para cozinhá-los. Despeje o feijão na panela de pressão e coloque água fria até cobri-lo por 2 dedos. Ponha do fogo forte. O tempo de cozimento dependerá do tempo de colheita do feijão e do calor do fogo. Normalmente, depois que a panela começa a apitar marque 10 minutos e desligue. O ponto certo do feijão cozido é quase duro, oferecendo um pouco de resistência ao ser mordido.

As carnes: enquanto o feijão cozinha, corte, sem dó, as gorduras brancas e amarelas do lombo e da costela, rapando ainda com a faca para tirar toda a gordura externa. Corte as costelas entre os ossos e o lombo em cubos de 3 cm. de lado. Corte o paio em fatias de um pouco menos de 1 cm. e a linguiça em tronquinhos de 3 cm. Lave tudo com água quente, escorra e ponha para ferver em uma panela grande, cobrindo as carnes com água quente. Como o lombo leva muito mais tempo para cozinhar, coloque-o em uma panela separada. Afervente o paio, a linguiça e a costela por 15 minutos e o lombo por 30 minutos. Escorra a água e coloque tudo em uma travessa. Leve ao micro-ondas por 12 minutos – assim irá secar toda a gordura excedente.

 

Os temperos: enquanto as carnes fritam no micro-ondas, fatie o bacon em lâminas finas. Pique a cebola no processador para ficar tão fina quanto um purê. Bata o alho e acrescente o sal. Pique a salsinha e a cebolinha e reserve.Prepare também o vinagrete, cortando bem miudinho: 1 tomate tipo italiano maduro, 1 cebola média, salsinha e cebolinha que dê 1 colher de sopa cheia. Misture 1 colher de sobremesa de azeite e o dobro de vinagre. Não coloque sal e tempere com pimenta à gosto.Se tem na família a turma da pimenta, separe um pouco do vinagrete e coloque mais pimenta, de preferência, da malagueta picadinha.

A feijoada: Muita gente faz o feijão e as carnes separadas. Para mim, o bom da feijoada é o gostinho especial do caldo de feijão cozido junto com as carnes. Escolha uma panela grande e grossa, de preferência de ferro, para fazer a feijoada. Melhor que seja bem apresentável para poder ir direto à mesa, assim as carnes não se partem na passagem de panela para travessa.

Deite 1 colher de sobremesa de óleo na panela e coloque as lâminas de bacon para fritarem até quase torrarem. Retire-as. Na gordura que ficou na panela, frite o sal com alho e depois a cebola até amorenar. Acrescente 1/3 dos bagos de feijão cozido sem o caldo. Mexa com uma colher de pau até fritar. Amasse os bagos de modo a formar um purê grosso. Agora acrescente todo o caldo e os restante dos bagos que ficaram na panela de pressão e junte as 3 folhas de louro. Mexa bem. Coloque água para ferver em um caneco à parte e mantenha-a aquecida, para ir adicionando aos poucos à panela do feijão com as carnes.

Teste com um garfo todas as carnes. Se estiverem no mesmo ponto de cozimento, coloque todas no caldo do feijão; se alguma ( ou mais de uma) estiver mais dura, coloque-a primeiro e quando ficar no mesmo ponto das outras, junte todas na panela do feijão. Misture e prove o sal. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo médio. Vigie todo o tempo a quantidade de caldo – deve sempre tampar completamente as carnes e ainda sobrar cerca de 1 dedo. A pimenta deve ser dissolvida em um pouco de feijão à parte e este caldo apimentado deverá ser acrescentado aos poucos, já no final do cozimento. Prove se o tempero está perfeito, nunca coloque muito sal ou pimenta. Quando as carnes e os bagos de feijão estiverem macios, a ponto de cortar com um garfo, tire as folhas de louro. A feijoada está pronta, com cerca de 1 cm de caldo sobrando acima das carnes e do feijão. Normalmente, para esta quantidade, a feijoada deverá ter ficado cozinhando por cerca de duas horas. Eu sempre deixo a feijoada descansar por mais de meia a uma hora, pois é neste tempo que o gosto do feijão e das carnes se misturam.

Os acompanhamentos: enquanto a feijoada cozinha, faça o arroz branco. Corte a laranja – 1 pequena por pessoa – como mostram as fotos.

Ponha na geladeira a laranja e o vinagrete.

Perto da hora de servir, esquente o arroz, confira se a feijoada já está fervendo e então termine a couve e a farofa.

A couve: corte a couve como mostram as fotos. Coloque na panela uma colher de sopa de óleo ( se quiser que fique mais saborosa, aproveite o bacon já usado e deixe terminar de fritar em 1 colher de chá de óleo, azeite ou manteiga e depois retire o bacon). Quando estiver quente, jogue a couve e misture-a até que reduza o volume e brilhe. Desligue e sirva imediatamente.

 

A farofa: coloque 1 colher de sopa cheia para esquentar na panela. Acrescente 1 colher de sopa cheia de cebola processada ( fina igual a um purê). Doure 1 colherinha de sal com alho. Despeje 2 xícaras de chá bem cheias de farinha de mandioca. Misture bem e deixe começar a torrar, então desligue e sirva imediatamente.

Na hora de ira à mesa, espalhe a salsinha e a cebolinha sobre a feijoada. Coloque na mesa o arroz, a couve, a farofa, a laranja e o vinagrete.

DSCN1767

A feijoada é sempre precedida e até mesmo servida acompanhada de caipirinha.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Arroz com suã

Standard

Há muito tempo, havia uma amiga de uma amiga minha que vivia ameaçando de fazer arroz com suã. Só ameaçava; valorizava que só o dela era dos deuses e nunca convidava ninguém para comer o tal prato. Fazíamos parte de um mesmo grupo, no qual uma de nós preparava um jantar mensal e chamava as outras ( depois de um ano, quando chegou a vez dela, ela caiu fora!). Como rolava um pouco de competição entre nós duas, tipo quem cozinha melhor, eu não quis dizer que não sabia do que se tratava. Naquele tempo não tinha Google e fiquei na ignorância achando que deveria ser um trem de doido, como diz o mineiro, complicadíssimo e tal, de tanta propaganda que a mulher fazia. Tempos depois, descobri que suã era costelinha de porco! Ai, pensei: não precisa ninguém me passar receita, eu vou fazer. Ficou delicioso e aí está a minha receita:

Arroz com costelinha de porco

Primeiro de tudo é preciso conseguir uma costelinha de porco bem fornida de carnes. Lá no Mercado Central tem! Calcule 200 gr. por pessoa. No mais, óleo, cebola, arroz, cheiro verde e pimenta biquinho ou outra pimenta forte, se tiver coragem ou se algum antepassado seu é baiano.

Como sempre, uma boa carne é feita assim: tempere com alguma antecedência ( prefiro de véspera) com sal e alho. Refogue no óleo quente até corar, misture cebola picadinha ou ralada, deixe corar. Eu gosto de flambar com cachaça – veja a dica. Como irá precisar de bastante caldo, acrescente água fervente, cobrindo a costelinha com folga. Deixe cozinhando no fogo baixo até obter um caldo bem espesso e saboroso.

Em outra panela, deite um pouco de óleo, frite o sal com alho e a cebola batidinha, acrescente o arroz e mexa até corar e desgrudar do fundo. Agora acrescente o caldo da costelinha até cobrir o arroz em 1 dedo. Quando o arroz começar a secar, ou seja, o nível da água já estiver abaixo do arroz, misture a costelinha. Deixe acabar de cozinhar. Para finalizar, misture salsinha e cebolinha picadinha miúda ( bastante) e pimenta biquinho. Se quiser dar cor e frescor, pique tomate e jogue por cima. Fácil demais, não é?

Agora sirva e coma sem exagero. Nunca mais irá se esquecer do sabor! Delícia dos deuses mesmo.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Lombo de porco à mineira

Standard

Em um dos pratos mais tradicionais da culinária mineira, o lombo de porco é servido com arroz branco, tutu de feijão e couve. Muitas vezes vem acrescido de farofa de ovos ou  farofa de bijú de milho, outras vezes substitui-se o tutu pelo feijão tropeiro. Ótimos como acompanhamento podem ser também o abacaxi frito ou a banana da terra frita.

Lombo assado ou de panela?

Qual a diferença? O lombo assado é feito no forno e o de panela é feito na panela, óbvio! Fica especialíssimo se feito na panela de ferro ou na panela de pedra no fogão de lenha. Aí é mineiro mesmo, uai! Eu prefiro fazer na panela, acho que fica mais macio e saboroso; o forno resseca qualquer carne. Mas, se você não está a fim de ficar na cozinha mais de uma hora pajeando o lombo, pois a água tem que ser colocada aos poucos, faça no forno mesmo. Assim poderá dar uma passeada fora da cozinha enquanto o forno faz o serviço.

Tanto para um como para o outro siga estes passos:

Separe uma faca afiada, xícara, bacia de temperar carne, panela grande, caneco de ferver água, assadeira (se for fazer no forno)e garfão. E mais um saco grande de plástico grosso.

Limpe o lombo sem tirar a  gordura e a capa que vem de um dos lados da peça. A carne precisa de gordura para que fique tenra. Para saber a quantidade de tempero, calcule uma colher de sobremesa cheia de tempero sólido para cada quilo de carne. Um lombo inteiro médio costuma ter  aproximadamente 2 quilos, mas preste atenção quanto a peça pesará na balança do açougue ou verifique o peso na embalagem.  Importante: toda peça grande de carne tem que ser temperada com 24 horas de antecedência.

Tempero: prepare o tempero sólido (para cada quilo de carne) em uma xícara: ½ colher rasa de sobremesa de sal, 2 dentes de alho  picadinhos, 1 folha grande de louro triturada ou uma pitada de louro em pó, uma pitada de pimenta do reino preta. Agora junte os líquidos:  1 colher de café de molho inglês e 2 colheres de sopa de vinho tinto. Complete a xícara até a borda com água e misture.

Coloque o lombo em uma bacia e espete-o com um garfo. Agora esfregue o tempero na carne. Pegue um saco plástico e coloque o lombo com todo o tempero dentro. Feche o saco e guarde na geladeira até uma hora antes da hora que for assar. O mínimo de tempo no tempero não pode ser menos de 12 horas, o ideal é 24 horas. No meio do tempo, vire o embrulho ao contrário, para que a carne tempere por igual.

Cozimento: Se for fazer no forno, pré-aqueça o forno na temperatura de 280 graus.  No dois casos, ponha água para ferver.  Em uma panela grande, despeje uma colher de óleo, deixe esquentar e então coloque o lombo. Frite-o de todos os lados até que a carne mude de cor. Use um garfão para virar a carne. Quando a carne começar a agarrar na panela, despeje água fervente até a metade da peça. Raspe o fundo da panela com uma colher de pau para a borra formar um caldo. Tampe a panela e deixe por 15 minutos ou até que o caldo reduza pela metade. Vire a peça, coloque mais água fervente e deixe mais 15 minutos.  O caldo que fica na panela deve dar uma xícara cheia.

Se for continuar a fazer o lombo na panela,  prossiga com o cozimento no fogo baixo, sempre  pingando a água quente, aos poucos, de modo a manter a mesma quantidade de caldo. Vá virando o lombo de um lado para o outro até que a carne fique bem macia.

Se for fazer no forno, pegue uma assadeira grande e unte-a com óleo. Coloque o lombo de comprido no meio da assadeira com a capa de gordura por cima e despeje o caldo do cozimento. Leve ao forno por aproximadamente 20 minutos, então retire e vire a peça. Volte para o forno mais 20 minutos. Não deixe o lombo ficar sem caldo, se necessário, coloque água quente pelas bordas da assadeira. Ao fim deste tempo, verifique com a ajuda de um garfão longo, se a carne está toda macia. Se ainda não estiver, asse mais um pouco. Retire do forno.

Molho do lombo:

É sempre bom fazer caldo a mais na panela enquanto estiver fritando o lombo para que possa fazer um molho para cobrir o lombo quando for servir. Lombo seco é péssimo! Para qualquer molho, você tem que tirar o lombo da panela em que foi feito e aproveitar a borra que fica no fundo e nas laterais da panela. O caldo que fica na assadeira não presta para nada.

1- O molho básico é o que você só raspa a borra da panela e acrescenta água quente, deixando que a água evapore até o ponto que o molho fique de boa consistência. Se quiser, acrescente um pouquinho de molho de tomate para dar cor e mais consistência. Prove o tempero, acrescentando pimenta do reino, se quiser.

2 – Para enriquecer o molho basta colocar um pouco de vinho tinto misturado com um pingo de água logo que desfizer a borra e deixar ferver por 5 minutos antes de colocar mais água.

3 – Para um molho mais saboroso, frite cebola ralada ou bem batidinha antes de juntar qualquer líquido à borra.

4 –  Para o molho de cebola caramelizada como o da foto, corte as cebolas em fatias finas e frite à parte, com um fio de azeite ou óleo. Assim que estiverem douradas, afaste-as para a borda e coloque açúcar cristal no meio da panela. Vá mexendo com uma colher de pau até que o açúcar forme uma calda marrom clara. Junte a cebola e misture.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Lombinho na cachaça

Standard

Esta é a cara de comida de bar. E de bar lá do Mercado Central. Tem pratos que se adivinha pelo cheiro que vem da cozinha antes da comida chegar na mesa. Inebriantes, que escancaram seu apetite. Bom demais pra rebater uma cerveja gelada, prato que homem adora e que fazem com prazer. Aposte com seus amigos: quem acertar o que você está cozinhando não paga a próxima rodada. Vamos lá, dá um tempo na cerveja e vai pra cozinha.

Tiras de lombo flambadas na cachaça

Corte o lombo em filés de 1 cm e depois corte cada filé em tirinhas compridas. Tempere com limão, sal com alho e uma boa pimentinha, pode ser daquela caribenha ou a tal da malagueta, arretada!  Corte as cebolas em quatro e depois corte cada quarto ao meio. Pique cebolinha verde, separe a pimenta biquinho e o mais importante – aquela cachacinha mineira que você gosta de tomar um trago.

Coloque uma água para ferver em um caneco.  Tome uma frigideira e ponha no fogo com um pouco de óleo. Assim que estiver bem quente, jogue o lombo e revire até fritar. Quando começar a formar uma borra nas beiradas, passe ao ponto importante: flambar a carne. Aqueça uma concha com cachaça direto na trempe do fogão. Deixe esquentar até que, virando um pouquinho, o líquido pegue fogo. Passe o líquido depressa para a frigideira e deixe a carne pegar a chama até apagar sozinha. Agora frite a cebola. Assim que corar, despeje a água quente até quase cobrir a carne. Abaixe o fogo, tampe a panela e deixe cozinhar até secar a água. Teste com o garfo se já está macia. Acrescente a cebolinha verde picadinha, a pimenta biquinho para enfeitar e sirva quente.  Certamente receberá elogios!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Bife de porco acebolado

Standard

Tem dia que a gente passa em casa pra almoçar tão correndo que mal dá tempo de comer. Imagina ainda chegar em casa e não ter nada pronto! Filé de frango é rápido de preparar, mas todo dia cansa, né? Que tal variar para um bife de lombo? É uma carne magra e saudável e garanto que ficará bem alimentada e não terá fome antes da hora do jantar.

Bife de lombo acebolado

Tenha no congelador pedaços de lombo de porco já cortados, considerando 150 gr. de carne por pessoa. Descongele de véspera na geladeira ou com 2 a 4 horas de antecedência ao ar livre ou em  5 a 10 minutos no micro-ondas, depende do peso.

Preparo: Veja na foto como cortar o lombo para que fique um bife de bom tamanho: a dica é, na primeira fatia, não cortar até o final, só corte completamente na segunda fatia. Abra a fatia dupla e bata ligeiramente. Tempere com sal e alho dos dois lados. Se quiser, acrescente ao tempero pimenta do reino e molho inglês – uma pitada de cada. Tem gente que gosta de temperar carne com limão. Enquanto pega tempero, corte uma cebola em rodelas finas. Coloque óleo da frigideira – a conta de formar uma fina camada no fundo. Quando começar a chiar, ou sair uma fumacinha leve, coloque os bifes encostados ao fundo, sem deixar um por cima do outro.  Vigie quando estiver corado por baixo e aí vire os bifes para que corem do outro lado. Em seguida, cubra os bifes com a cebola. Pingue água fervente na frigideira, fora dos bifes e deixe fritar dos dois lados mais um pouquinho até formar um caldo. Ótimo, está no ponto de servir!

Para acompanhar nosso bife de hoje,  preparamos também couve e farofa de ovos, duas guarnições com combinam com carne de porco e que são de preparo rápido. Assim, você faz tudo ao mesmo tempo e em 15 minutos seu almoço está prontinho!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.