Filé recheado com pasta de grão de bico

Standard

Esta receita foi criada pela filha casada para um jantar com o marido. Ele adorou e então ela me enviou para postar aqui. A moça é perita no tempero e preparo de carnes e é autora de outras receitas de filé, inclusive recheados, aqui do blog. No meu curso de culinária, uma das aulas mais requisitadas pelas minhas alunas é justamente como abrir um filé para recheá-lo. Clique aqui para ver como se faz. Se achar difícil, peça ao açougueiro para abrir o filé em manta e preste atenção como fazer.

Nesta receita, usamos a pasta de grão-de-bico tradicional da culinária árabe- a homus. Prepare-a antes de iniciar esta receita. Clique aqui para ver como é feita, é muito fácil. O que sobrar do preparo do filé pode ser guardado na geladeira por uma semana; sirva como pasta para passar no pão.

Filé recheado com homus e presunto de Parma

O mais importante desta receita é ter a manta de filé bem aberta. Tenha também a pasta de grão-de-bico pronta. Compre um bom presunto de parma, de preferência o original italiano. Se não achar em sua cidade, pode substituir por um presunto cozido de qualidade.

Prepare o tempero do filé: para 1 kg de carne coloque em uma xícara: 1 colher de sobremesa cheia de sal com alho, considerando que tenha usado 1 a 2 dentes de alho para fazer a pasta. Acrescente 1 pitada de pimenta do reino, 1 colher de chá de molho inglês e 1/2 xícara de café de vinho tinto. Misture bem e passe dos dois lados da manta de filé. Enrole-a e deixe pegando tempero por meia hora.

Coloque o filé aberto sobre uma tábua de cozinha. Distribua as fatias de presunto de modo a ficarem juntas, sem buraco e a 2 centímetros das bordas. Passe o homus com uma colher, obedecendo a mesma distância das bordas. Enrole o filé, dobrando-o sobre si mesmo. Se sobrar recheio para fora, retire-o e feche bem as bordas. Se necessário, no caso de uma peça de filé grande, prenda as bordas com palitos e enrole o filé com um barbante. O filé fechado deve ficar como um rocambole, bem redondinho.

Pré- aqueça o forno a 250 graus. Tome uma frigideira, deite 2 colheres de manteiga ( ou de óleo) e leve ao fogo alto para aquecer. Quando estiver bem quente, coloque o filé e doure-o de todos os lados. Coloque o filé em um refratário e leve ao forno para terminar de assar e corar. Deve levar uns 10 minutos, se quiser a carne ao ponto para mal passada.  Se quiser mais bem passada, vigie para a carne não ressecar. Retire do forno e deixe esfriar um pouco antes de cortar a peça em fatias de 2 cm. de espessura com ajuda de uma boa faca e com cuidado para não abrir o filé.

Se quiser fazer um molho para regar a carne, proceda da seguinte maneira: depois que tirar a carne da frigideira, acrescente à borra 1/2 xícara de café de água fervente e mexa com uma colher de pau para agregar toda a borra. Reserve. Assim que terminar de assar o filé, junte o caldo que ficou no refratário ao caldo que está na frigideira, reacenda o fogo e mexa bem. Acrescente 1/2 xícara de café de vinho tinto e espere até que o aroma do álcool exale. Retire um pouco do caldo e misture à parte, em uma xícara, com 1 colher de café de amido de milho. Junte ao caldo, aos poucos, abaixe o fogo e misture até obter um molho liso e de boa consistência. Se precisar, coe-o. Use-o para humedecer a carne depois de cortada.

Sirva o filé com um risotto. Acesse aqui para ver a receita do risotto de abobrinha, de aspargos ou de limão siciliano. Ou então sirva junto com um arroz de brócolis e batatas coradas. 

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Canoinha de beringela

Standard

Esta receita é ideal para aquele prato único que você deixa semi-pronto para a noite. Pode ser preparada com antecedência e levada ao forno quando for servir. Varie o recheio, por exemplo, retirando a carne ou trocando a carne de boi moída por carne cozida desfiada, carne de porco desfiada, carne seca ou linguiça picadinha. Esta versão que apresento em seguida é a favorita da família.

Canoinha de beringela

Ingredientes: 1 beringela grande, 2 colheres de sopa de cada: cebola ralada, pimentão vermelho e pimentão amarelo cortados bem miudinho, molho de tomates, queijo parmesão* ralado. 1 xícara de chá de carne moída duas vezes ( prefiro chã-de-dentro, aparas de miolo de alcatra ou patinho). 1 colher de sopa de óleo e 1 colher de café de sal com alho.

Tome uma panela, esquente o óleo, doure a cebola e o sal com alho, junte a carne. Mexa até que mude de cor. Deixe corar ligeiramente. Reserve.

Prepare a beringela: corte-a ao meio no sentido do comprimento e retire o miolo com a ajuda de uma colher. Pique-o.

Junte o molho de tomate, os pimentões e a beringela picada à carne. Acenda o fogo novamente e misture tudo. Recheie as canoinhas. Cubra com o queijo ralado. Leve ao forno a 180 graus para derreter o queijo. Se for comer mais tarde, leve ao forno apenas quando for servir (o queijo endurece se levado ao forno por duas vezes).

Acompanhe com arroz branco e salada ou legumes cozidos.

  • substitua o parmesão por queijo minas sem lactose se tiver intolerância à lactose.Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Torta de bacalhau da mamãe

Standard

Esta receita é uma das prediletas de minha família materna ( minha avó veio de Ouro Preto para Belo Horizonte na fundação da capital) e vem passando de geração em geração desde o século XIX, quando meus antepassados ainda viviam em Portugal. Esta versão foi escrita pela minha filha mais velha. Depois de ganhar essa torta de presente da avó, ela não sossegou enquanto não aprendeu com a própria avó como faze-la. É muito importante incentivar nos jovens o desejo de saber cozinhar para não se perder a nossa cultura e tradição culinárias.

Torta de bacalhau

Anote os ingredientes: 1 alho poró, 2 colheres de sopa de farinha de trigo, 2 colheres de sopa de manteiga, 300 ml de leite (pode ser desnatado), 1 caixa de massa folhada pronta (gosto da Arosa), 250 ml de creme de leite fresco e 300 gr de bacalhau já dessalgado e desfiado (veja como prepara-lo aqui), azeite, noz moscada e sal a gosto.

Corte as folhas e a base do talo do alho poró e lave-o bem. Corte-o em rodelas e depois em pedacinhos bem pequenos. Passe-os numa panela com azeite já aquecido até que amoleçam. Reserve.

Numa panela funda, faça o roux: derreta a manteiga e imediatamente junte a farinha de trigo, mexendo sem parar. Quando formar uma pasta homogênea, acrescente o leite (em temperatura ambiente) aos poucos até obter um creme bem espesso (veja a primeira foto). Tempere com sal e um tico de noz moscada, a gosto (lembre que o bacalhau já está salgado e a noz moscada não pode roubar o gosto do alho poró). Reserve.

Numa frigideira antiaderente, deite o azeite e frite o bacalhau até que mude de cor. Não deixe que resseque, pois ainda vai ao forno.

Agora esquente o roux acrescentando o creme de leite fresco e em seguida junte o alho poró e o bacalhau. Misture tudo e desligue o fogo.

Desenrole a massa sobre um refratário já untado com um pouquinho de manteiga e pressione-a de forma a preencher toda a superfície. Sem cortá-la ainda, despeje o molho e feche com o restante da massa como um embrulho de presente. Corte os excessos e use-os para decorar.

Leve ao forno pré-aquecido a 200 graus até que a massa doure. Está pronta!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-la.

Doce de abóbora com coco

Standard

Monte Verde é um encantador vilarejo turístico situado ao Sul de Minas, a hora e meia de distância da cidade de São Paulo, que conta com ótimo parque hoteleiro e bons restaurantes. A diversão é caminhar pela lojinhas de artesanato da rua principal e comprar artigos de inverno e produtos da região. Todas as vezes que lá vou, não resisto- volto carregada de doces, biscoitos, chocolates, queijos, frios, licores e ainda renovo o meu guarda-roupa. Da última vez, o que mais fez sucesso em casa foi o famoso doce de abóbora moranga com coco. Fiquei triste o dia que comi o último pedacinho e então resolvi faze-lo em casa. Ficou bom demais, como diz o mineiro.

Doce de abóbora moranga com coco

Escolha uma abóbora moranga daquelas que têm o interior de cor laranja bem forte. É preciso estar madura, para que esteja doce. Para 1/2 abóbora média, compre um coco maduro. Separe uma xícara de chá de açúcar cristal.

DICA: Para partir o coco, coloque-o diretamente sobre a chama do fogão até sapecar os pelinhos da casca de todos os lados.  Como parto o coco? Do mesmo modo que fazia quando criança – vou até o quintal e jogo-o com toda a força no chão de pedra! Retiro a noz da casca dura e pico o coco em pedaços pequenos (não retiro a pele marrom). Se for fazer alguma sobremesa cremosa descasque a pele marrom com uma faquinha.

Descasque a moranga e pique-a em cubos. Tome uma panela funda e coloque o açúcar. Espere que derreta e junte a moranga. Deixe no fogo fraco, mexendo de vez em quando até formar uma pasta homogênea. Mexa com uma colher de pau até começar a desgrudar da panela. Acrescente o coco e misture. Deixe esfriar.

Dica: se quiser o doce no ponto de comer de colher, o ponto na panela é o de geleia. Se quiser o ponto de partir com faca, deixe mais tempo, até ficar escuro e difícil de não grudar no fundo da panela.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

 

 

Frango Ricoleta

Standard

Esta é uma variação do strogonoff de frango, que todos nós amamos mas que já está bastante batido. E, quer saber? Mais gostoso! Além disto é perfeito para convidar os amigos para um jantar gastando pouco, pois tem um ar sofisticado. Ainda mais se você servi-lo em uma louça bem bonita e acompanhar a refeição com um bom vinho servido em taças altas. Coloque ainda souplats sob os pratos e arranje os guardanapos com porta guardanapos. Certamente irá impressionar os seus convidados!

Ricoleta é o bairro mais descolado de Buenos Aires. Eu amo dançar tango e sempre que dá tempo e sobram umas milhas vou à capital portenha dançar e assistir aos belíssimos espetáculos. Porém quem sugeriu este nome foi uma grande amiga minha casada com um argentino, pois esta receita leva maçãs argentinas e tem a cor da Casa Rosada.

Neste dia servi o frango acompanhado de suflê de espinafre com parmesão.

Frango Ricoleta ou frango rosado

Esta receita serve 4 pessoas, calculando 150 gr. de frango já sem o osso por pessoa, ou seja, 600 gr. Separe: 1/2 xícara de café de cebola ralada, 1/2 xícara de café de molho de tomate caseiro ( ou pomodoro pelati ou o molho de sua preferência), 1/2 xícara de café de vinho rosé, 2 maçãs grandes e 5 colheres de sopa de requeijão cremoso.

Limpe o frango e passe-o na água fervente. Pique em cubos grandes, tempere com sal com alho e pimenta do reino ( 1 colher de sobremesa rasa). Deixe de meia hora a hora e meia no tempero.

Rale a cebola ou triture-a no processador. Coloque 1 litro de água para ferver*. Deite 2 colheres rasas de manteiga ou 3 de azeite em uma panela funda e doure a cebola. Junte o frango e deixe corar. Vá acrescentando a água quente*, aos poucos, pelas beiradas, nunca passando do nível do frango até que este esteja macio.

Junte o molho de tomates, despeje, se necessário, mais água quente* até o nível do frango. Acrescente o vinho e deixe que o aroma de álcool exale. Prove e retifique o sal. Abaixe o fogo.

Corte as maçãs em cubos e junte ao caldo. Vigie para que cozinhem só até ficarem ao dente.  Por último, já quase na hora de servir, acrescente o requeijão. Sirva acompanhado de arroz, risotto, batatas cozidas ou suflê.

*Dica: perceberam como na 3a. foto da primeira fileira o caldo do frango, mesmo antes de colocar o molho de tomates, está colorido? Dica: ao retirar os ossos do frango, não jogue fora. Coloque-os numa panela à parte junto com 1/2 cebola, 1 dente de alho e um raminho de salsinha e cebolinha . Complete com 1 litro de água, tampe a panela parcialmente e deixe ferver até obter um bom caldo. Coe e reserve. Acrescente este caldo ao frango (ao invés da água quente) depois que este estiver corado.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Molho de mostarda

Standard

Quem nos acompanha aqui no blog já sabe: evitamos ao máximo o uso e consumo de alimentos processados e industrializados. Sem dúvida este hábito se revela em nossa saúde e salta aos olhos na perfeita textura de nossa pele.

É muito saudável preparar nossos próprios molhos e temperos. Te-los sempre à mão na geladeira facilita o preparo de receitas e dá novo sabor às saladas, que tão bem fazem à nossa saúde. Essa receita de molho de mostarda caseira é super fácil de fazer e você pode adaptá-la ao seu gosto, alterando a semente ou a intensidade do gosto. É perfeito para fazer receitas como frango assado com mostarda e mel*, salmão crocante ao mel e mostarda*. Também pode misturá-lo com maior quantidade de azeite e bate-lo no liquidificador, tornando-o mais liquefeito para usar na salada do dia-a-dia ou misturá-lo com gema de ovos para temperar saladas especiais, como a salada Évora ou na salada de batatas alemã. 

Molho de mostarda

Separe os ingredientes:

Para o 1o. passo:  2/3 de xícara de chá de vinagre de vinho branco de qualidade (de vinho ou maçã), 6 colheres de sopa de sementes de mostarda natural (pode usar a amarela, preta, pequena, grande ou misturá-las).

Para o 2o. passo: 3 a 4 colheres de sopa de mostarda inglesa em pó, 1/4 de xícara de vinagre de vinho branco, 2 colheres de sopa de mel e 2 colheres de chá de sal.

Preparo:

Passo 1: Coloque as sementes dentro de um pote que possa ser fechado hermeticamente e cubra com a primeira quantidade de vinagre. Misture, tampe, e deixe em temperatura ambiente por 3 a 5 dias. Quanto mais tempo você deixar, mais forte ficará o molho.

Passo 2: abra o pote e com o  socador de um pilão esmague as sementes no vinagre tanto quanto conseguir (as maiores são mais fáceis de socar que as pequenas). Junte a mostarda em pó aos poucos, misturando bem. Junte a segunda quantidade de vinagre, o mel e o sal, misture bem, tampe e conserve o molho na geladeira. Pode ser usado imediatamente.

  • tendo este molho preparado não precisa acrescentar mais mel à estas receitas.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Salmão com amêndoas e purê de batatas com caramelizado de cebolas

Standard

O salmão é um dos peixes preferidos da mesa do brasileiro que mora nas grandes cidades. Não só pela facilidade de ser encontrado nas peixarias como pela praticidade do preparo. Sempre prefiro comprar o peixe inteiro ou parte dele ( se o peixeiro deixa) pois assim tenho a garantia de que é mesmo salmão. Pois o que mais acontece são outros peixes sendo vendidos como salmão, como a truta salmonada e peixes brancos que sofrem um processo de tingimento da carne por ingestão de ração colorida. Ai tem gente que diz que não gosta de salmão – claro, ou nem é salmão ou não sabe prepara-lo. Gosto de comprar o peixe inteiro, peço ao peixeiro para retirar a cabeça e o rabo, abri-lo até quase atingir a pele do outro lado e limpa-lo. Se vou servir para mais de 12 pessoas deixo-o inteiro, se vou servir menos gente, peço para cortar em 2 ou 3 partes e congelo em casa o que não vou usar. Importante, na véspera do preparo, é deixa-lo descongelar na temperatura natural ( nunca coloque no micro ondas). Outra coisa importante: só tempero com sal, não uso limão jamais – acho que não combina.

Esta é uma receita preparada pela minha filha para um jantar com o marido. Nada melhor para manter um casal apaixonado do que cozinhar e jantar juntos, a sós, uma vez por semana. Eles têm seguido isso à risca, ela cozinha e ele cuida de escolher e servir o vinho. Perfeito! Também pode ser o contrário – nós mulheres achamos o máximo do máximo um homem preparar um jantar para nós- garantia de paixão eterna!

Uma das maneiras mais fáceis de preparar o salmão é assa-lo. Para tal, unte a assadeira com azeite, coloque o salmão (espalhe sal sobre a superfície uma hora antes), regue-o com azeite e leve-o ao forno pré aquecido a 200 graus ( para filés altos) até que a carne fique bem colorida e macia. Enquanto assa, prepare o molho de sua preferência, como o imbatível Belle Meunière. No caso de servir menos pessoas – tratando-se de filés menores e mais fáceis de manusear, você pode sela-lo na frigideira antes de levá-lo ao forno – fica pronto mais rápido. Veja como minha filha fez a deliciosa receita de hoje:

Salmão com crosta de amêndoas acompanhado de purê de 2 batatas coberto com cebolas caramelizadas

Ingredientes para 2 pessoas: 400 gramas de salmão sem pele, 1 batata inglesa, 1 batata doce  (sendo as duas equivalentes em peso),  1/2 vidro de leite de côco, 3 colheres de sopa de manteiga ( ou azeite), 1/2 xícara de chá de amêndoas em lasca, 1 fatia de pão dormido, 1/2 cebola branca, 1/2 xícara de café de aceto balsâmico, 1 colher de sobremesa de açúcar mascavo. Sal, pimenta branca e gengibre

Antes de tudo tempere o salmão com sal e pimenta do reino branca (deixe no mínimo 30 minutos). Coloque as batatas para cozinhar na panela de pressão, com casca e tudo. Conte 20 minutos após o início de pressão (quando começar a apitar) e então desligue o fogo. Dica: para abrir a panela sem risco, coloque uma colher sob a tampinha para retirar a pressão ou então coloque a panela debaixo d’água. Retire a pressão com cuidado, abra e espere esfriar para retirar o conteúdo. Deixe as batatas esfriando.

Pique o pão em pedaços pequenos e coloque-os em um processador de alimentos com as amêndoas em lascas. Quando estiverem bem picadinhos (mas não em farelos), misture uma colher de manteiga e faça uma massa uniforme para a crosta.

Corte a cebola em fatias bem finas e coloque-as para dourar na manteiga com azeite. Quando estiverem translúcidas, acrescente o açúcar mascavo e mexa bem para colori-las por completo. No fogo baixo, acrescente o aceto balsâmico e deixe que reduza. Tempere a gosto e reserve.

Numa frigideira, coloque azeite para esquentar e sele o salmão de ambos os lados, deixando o seu centro cor de rosa claro.Transfira-o para um refratário untado com azeite e passe a crosta de pão e amêndoas por cima do peixe. Coloque-o no forno pré-aquecido a 200 graus (deve levar uns 30 minutos para chegar no ponto, mas observe até a crosta ficar dourada).

Retire a casca das batatas com a ajuda de uma faca (não as coloque na água fria) e transfira-as para uma panela funda. Amasse-as com a ajuda de uma espátula de silicone, acrescente uma colher de manteiga e o leite de côco aos poucos até obter um purê lisinho. Tempere a gosto com sal e um tico de gengibre ralado.

Agora é só montar o prato! Retire o salmão do forno, decore-o com lascas de amêndoas tostadas na frigideira e sirva ao  lado o purê de batata e a cebola caramelada por cima.

Experimente acompanhar com um chardonnay francês e terá um jantar dos deuses!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo