O Cebreiro – comida típica do peregrino

Standard

Saindo de Ponferrada, que deve seu nome à antiquíssima e ainda perfeita ponte construída pelos romanos, seguimos de ônibus até o pé da serra para enfrentarmos o trecho que iria requerer todo o nosso esforço. Foram 8 km. de subida íngreme em trilha, pisando em pedras  e cascalho, porém respirar o ar puro e fresco de altitude nos encheu de energia. Só a vista que se tem lá de cima vale muito mais esforço – é belíssima!

O Cebreiro é o local mais visitado de todo o roteiro jacobeu de Compostela.  É parada obrigatória de todo peregrino porque no alto do morro, na igreja de pedra do século IX – Santa Maria de la Real – está o cálice do Santo Graal. Segundo a tradição e a lenda local, este é o verdadeiro cálice que recolheu o sangue de Cristo. O gracioso vilarejo ainda conserva o casario de pedra bruta com cobertura de palha, característica que vem do povo celta que ali habitou em tempos imemoriais. Apesar do caráter sagrado do lugar, atestado pelo grande número de peregrinos religiosos, o ambiente é de total descontração, com turmas de amigos – a maioria ciclistas – espalhadas aqui e ali à sombra das frondosas árvores,  a fim de descansar, conversar e trocar experiências.

A comida servida em todos os restaurantes é, por tradição, praticamente igual e é chamada propriamente de “comida de peregrino”. Consta de três fartos pratos e mais sobremesa. Primeiro servem uma substancial sopa de legumes conhecida por Caldo Gallego. É daquelas “levanta defunto”, feita com couve rasgada, cenoura, batata e ervilha fervidas no caldo em que se cozinhou aparas de carnes de porco com osso. Em seguida, não pode faltar a tortilha de ovos e batata – o prato típico por excelência da Espanha. Como prato principal escolhe-se entre chuleta, costeleta ou lombo de porco servidas com uma caprichada porção de batatas fritas, que por aqui são absolutamente deliciosas – não se consegue parar de come-las! De sobremesa, servem a característica marmelada da região, feita como a nossa goiabada mineira: quatro horas mexendo a polpa da fruta em um grande tacho de cobre sobre o fogão de lenha. Também não pode faltar o famoso “queixo” do Cebreiro*, queijo fresco de massa mais mole feito com  leite de vaca ( pode entrar também leite de cabra e/ou ovelha) Para coroar a lauta refeição, a tradicionalíssima Torta de Santiago, feita com ovos, açúcar e pasta de amêndoas. Esta torta farei para vocês neste mês de dezembro. Aguardem a receita!

  • interessante acessar o site para conhecer o galego ( idioma falado e escrito da Galícia, entre o espanhol e o português)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s