Jantar espanhol

Standard

Para surpreender seus amigos, nossa sugestão para o seu próximo jantar ( ou almoço) é um cardápio bem típico do Norte da Espanha.

Obs: este cardápio foi publicado na minha página sobre culinária do Jornal Primeira Linha, de Belo Horizonte.

 

Culinária espanhola

Para quem prefere sabores mais próximos aos de nossas raízes culturais, a gastronomia do Norte da Espanha é bem próxima da culinária tradicional portuguesa que é a base da comida mineira. Vivemos uma experiência singular ao percorrer o Caminho de Santiago, de Burgos, na região de Castilla-Leon até Santiago de Compostela, na Galícia, pois além de curtirmos uma paisagem de, literalmente, tirar o fôlego, o esforço da caminhada foi largamente recompensado. Belas, charmosas e acolhedoras vilas e cidades nos aguardam ao longo do caminho,  cheias de gente bonita, saudável e feliz. Nos bares de tapas, nas tabernas e nos restaurantes a comida é generosa e o vinho abundante. Há bons hotéis, pousadas e albergues onde se faz novas amizades com pessoas do mundo inteiro. E o melhor de tudo: a oportunidade de experimentar um tour gastronômico de primeira qualidade!

 

SOBREMESA

Torta Santiago

A famosa torta de amêndoas, que se vê em todas as vitrines das muitas confeitarias de Santiago de Compostela, é uma verdadeira instituição da região da Galícia. Desde 2006, tem denominação de origem protegida, como o queijo Minas para os mineiros e o champagne para uma determinada região da França. A versão mais comum conta que essa torta, então com o nome de Torta Real, foi oferecida a D. Pedro de Portocarrero em sua visita à Universidade de Santiago de Compostela, em 1577. A primeira receita, como a torta é saboreada hoje, data de 1838 e está escrita nos cadernos de Luis Bartolomé de Leybar.

Para a massa da torta separe: 160 gr. de farinha de trigo, 90 gr. de manteiga, 1 ½ colher de sopa de açúcar refinado, 1 ovo e 1 colher de café de extrato de baunilha. Misture tudo até obter uma massa homogênea, faça uma bolota e deixe na geladeira por 30 minutos. Unte com manteiga uma forma redonda baixa (que solte o fundo). Estenda a massa abrindo-a sobre o fundo e as laterais até a borda da forma. Fure a massa com um garfo. Reserve.

Para a cobertura separe: 3 ovos, 120 gr. de açúcar, 180 gr. de farinha de amêndoas (separe à parte 2 colheres de sopa), 30 gr. de manteiga derretida e a casca ralada de 1 limão. Bata os ovos com o açúcar, acrescente a farinha de amêndoas e a manteiga. Misture as raspinhas de limão. Despeje o creme sobre a massa enformada, espalhe e uniformize a altura. Molde as bordas da massa. Polvilhe com o restante da farinha de amêndoas. Leve ao forno a 200 graus até corar por cima e ficar bem assada. Desenforme somente depois de fria.

Para seguir o modelo tradicional, desenhe a cruz de Santiago em uma folha de papel e recorte. Coloque o molde sobre a torta e polvilhe açúcar de confeiteiro em volta.

 

TAPAS ( APERITIVO)

Polvo à galega

 Esta é a forma como o polvo é preparado no Mercado de Santiago de Compostela e servido nos bares de tapas.

Para 4 pessoas: um polvo grande inteiro recém-descongelado, 4 dentes de alho e 1 cebola descascados, sal e 1 maço de ervas frescas. Azeite de oliva extra-virgem, páprica e sal grosso.

Em uma panela grande, ferva 1,5 lt. de água com o alho, a cebola e as ervas. Coloque o polvo imerso e deixe cozinhar por cerca de 10 a 15 minutos. Espete o garfo para verificar se está ao dente. Retire o polvo, escorra e corte-o com a tesoura em pedaços de 2 cm. Cubra uma tábua de madeira com azeite. Disponha o polvo, regue com o azeite e salpique páprica e sal grosso. Sirva a palito.

 

ENTRADA

Tortilla de batatas

 Em Calzadilla de la Cueza há uma taberna famosa por sua deliciosa tortilla, fofa e dourada, preparada de acordo com um bem guardado segredo de família. Mas com muita conversa e fartos elogios consegui espiar o fogão para ver como é feita.

Para 6 pessoas: 6 batatas inglesas grandes e 6 ovos. Corte as batatas em lascas finas e enxugue-as com um pano. Bata as claras até dar volume e junte as gemas. Tome duas frigideiras de 30 cm. de diâmetro e unte-as com óleo. Aqueça uma delas primeiro. Deite a terça parte dos ovos batidos, salpique sal, coloque a metade das batatas e espalhe sal. Repita e finalize com os ovos. O segredo é fazer esta operação com muita rapidez. Emborque a outra frigideira e vire as duas juntas para a tortilla corar do outro lado. Retire do fogo e sirva imediatamente.

 

PRATO PRINCIPAL

Arroz de pato

 A receita típica do interior da Espanha é preparada com pato e embutidos. Esta receita serve 4 pessoas. Primeira parte: 2 coxas de pato, ½ cenoura, ½ cebola, ½ talo de alho poró, 2 dentes de alho; cebolinha, salsinha, hortelã, louro, sal, pimenta do reino e ½ xícara de café de vinho tinto. Coloque tudo dentro de uma panela de pressão, junte água até a metade e cozinhe por 40 minutos. Aproveite apenas a carne do pato e desfie-a em lascas grandes. Coe o caldo e reserve.

Segunda parte: 1 xícara de chá de arroz, azeite, sal com alho, 1 cebola, 1 cenoura e 1 palmo de linguiça defumada e pré-cozida. Frite a linguiça, a cenoura e a cebola picadas, depois o sal com alho e o arroz. Refogue e junte o pato. Cozinhe o arroz pingando, alternadamente e nas mesmas quantidades, o caldo e água quente.

Jantar tailandês

Standard

Com este menu tailandês iniciamos uma série de sugestões de cardápios completos para você convidar seus amigos para um jantar (ou almoço) bem original. Todos os cardápios foram elaborados a partir de pratos que degustei em seus países de origem e depois reproduzi em casa, adaptando-os para o nosso paladar e usando ingredientes que podem ser encontrados no Brasil.

Obs.: Todas as receitas desta série já foram publicadas em minha página de Culinária no Jornal Primeira Linha, de Belo Horizonte.

Culinária tailandesa

Entre os bons prazeres da vida está o de reunir família e amigos em volta de uma mesa. E se for em nossa casa, com o carinho de um almoço ou jantar feito por nós, pode ter certeza que terá momentos inesquecíveis. Mas a variedade de receitas oferecidas nos livros ou nas mídias é imensa, o que torna difícil a escolha de um cardápio onde os pratos combinem entre si. Uma ótima ideia é apelar para um menu temático, por exemplo, inovar com um cardápio de culinária internacional e escolher um país ou região como tema. E se ainda decorar a mesa com um toque do lugar escolhido, o sucesso estará garantido!

Desde muitos anos tenho viajado pelo mundo provando um pouco de tudo e trazendo receitas para refazer em casa, adaptando-as ao nosso paladar e aos ingredientes possíveis de se conseguir por aqui. Na minha casa fazem muito sucesso! Agora é a sua vez de experimentá-las!

 

PRATO PRINCIPAL

Pad Thai

 É o prato mais tradicional da Tailândia – é como se fosse o risotto para os italianos ou o mexido para os mineiros. Em comum, todos têm o arroz como base misturado aos ingredientes à disposição. Tanto em Bangkok como nas praias é bastante popular, oferecido aos turistas em barraquinhas de feiras.

Para que a receita seja feita corretamente, é importante comprar dois produtos importados: a pasta de arroz (tipo talharim branco) e o tempero para pad thai à base de tamarindo. Os demais ingredientes são fáceis de achar. É aconselhável usar uma panela wok para fazer a receita.

Para 4 pessoas: 1 pacote de 200 gr. de pasta de arroz. 1 peito de frango pequeno, 150 gr. de lombo, 200 gr. de camarãozinho rosa. 3 ovos, 1 xícara de chá de broto de feijão, ½ cebola, 1 dente de alho grande, 40 gr. de amendoim torrado e moído. Molho para pad thai, coentro em pó, pimenta do reino, sal, salsinha e cebolinha.

Corte o lombo e o peito de frango em cubinhos de 2×2 cm. e tempere-os com sal e alho. Limpe e tempere o camarão com sal. Triture o dente de alho e fatie a cebola bem fininha. Lave e escorra bem os brotos de feijão, pique a salsinha e a cebolinha. Esquente água em um caneco à parte. Em uma panela wok, salteie o alho triturado com a cebola e o camarão. Reserve. Em outra panela, frite em pouco óleo, até corar, primeiro o lombo e depois o frango. Vá pingando água quente até que fiquem macios, deixando um pouco do caldo no fundo da panela. Reserve. Veja as instruções de cozimento da pasta de arroz no pacote e siga-as para cozinha-la. Reserve. Volte para a wok, empurre o camarão para as laterais e despeje os 3 ovos. Assim que o ovo ficar branco e amarelo mexa e misture o camarão, o frango e o lombo (com o caldo, grosso). Acrescente o broto de feijão, a salsinha e a cebolinha, mexendo sempre. Junte o tempero de pad thai aos poucos e prove, depois complete o típico sabor tailandês com o coentro e a pimenta do reino. Prove. A esta altura a pasta de arroz já deve estar cozida (atenção: ao dente) e recém escorrida. Na wok, acrescente a pasta à mistura e mexa com um garfão, tomando cuidado para não partir os fios da pasta. Finalize distribuindo o amendoim  igualmente sobre o prato. Sirva, de preferência, em uma gamela de madeira.

Obs: se não achar para comprar o molho para pad thai, misture: 1 colher de sopa de molho de tamarindo, a mesma quantidade de molho de peixe e 1 colher de açúcar.

 

ENTRADA FRIA

Salada de frutos de mar e terra

Para 4 pessoas: 8 a 12 camarões, 2 lulas fatiadas, 4 tronquinhos de kani picados em 4 partes. Folhas (alface americana e rúcula), pimentão vermelho em fatias finas, manga e coco em lascas. Molho: 100 gr. de iogurte natural consistente, 2 colh. sopa de suco de manga, 1 colh. chá de vinagre branco, 1 colh. chá de azeite, casca de limão ralada, coentro e pimenta in natura picadinhos. Sal e açúcar.

Limpe e tempere os camarões e as fatias de lula com sal e limão. Prepare o molho e deixe-o na geladeira. Entremeie as folhas com os frutos do mar, fatias de pimentão, manga e coco. O molho é servido à parte.

 

PRIMEIRO PRATO

Kaeng Kai ( Caril de frango)

Para 4 pessoas: 1 peito de frango cortado em cubos, 1 batata em cubinhos, ¼ de pimentão vermelho e ¼ de pimentão amarelo picadinhos, ½ alho poró fatiado, 5 cogumelos-de-paris frescos grandes em fatias, 1 xic. de chá de brotos de feijão, óleo de coco, sal com alho.

Tempere o frango com 1 colh. chá de green curry cooking sauce (ou uma mistura de gengibre, curry e lemongrass em pó com leite de coco, ervas frescas picadinhas, suco de limão e sal). Doure o frango no óleo de coco, acrescente a batata, os pimentões e o alho poró. Pingue água fervente até o frango ficar macio. Deixe caldo como para uma sopa, prove o tempero. Junte o broto de feijão e os cogumelos, mexa e desligue o fogo.

 

SOBREMESA

Sangkhyaa Fak Thong (Doce de coco na abóbora)

Ingredientes: 1 abóbora japonesa pequena, 6 ovos caipiras, 1 ½ xic. de açúcar refinado, 200 ml. de leite de coco, 1 xic. chá de coco ralado.

Ligue o forno a 250O. Esquente 1 lt. de água. Na batedeira em velocidade alta, bata bem os ovos até clarearem, vá acrescentando o açúcar aos poucos até formar um creme consistente. Desligue, misture o leite de coco e o coco ralado. Bata de novo, em baixa velocidade, só para misturar. Leve o doce para assar em uma travessa refratária, em banho-maria. Ao mesmo tempo, asse a abóbora. Deve demorar uma hora. Deixe esfriar. Corte uma tampa na abóbora e retire o miolo. Preencha-a com o doce e leve à geladeira por 12 horas. Sirva as fatias.

Brownie

Standard

Um brownie é um sonho e um pesadelo. É tão, mas tão gostoso que só de pensar em comer um pedaço desse bolinho de chocolate quentinho junto com sorvete de creme parece que estamos sonhando no paraíso. Mas assim que começamos a comer vira um pesadelo porque queremos comer até o último pedacinho! Mas para tudo tem solução: chame sua família e seus amigos para saboreá-los juntos. Assim cada um come o suficiente para não ficar com a consciência pesada e todos ficarão felizes!

Brownie

Sinto muito, mas não dá para fazer esta receita só com as nossas medidas comuns aqui no blog: xícaras e colheres. Para ficar perfeito tem mesmo que pesar alguns ingredientes. Vamos lá: 200 gr. de manteiga, 
170 gr. de chocolate meio amargo, 
3 ovos, 
1 1/2 xícara de chá de açúcar; 
2 xícaras de chá de farinha de trigo, 
3 colheres de chá de fermento em pó
e 170 gr.  de nozes picadas. 
Manteiga e farinha da trigo para untar e polvilhar.

Primeiro pré aqueça o forno a 180°C (temperatura média). Unte uma assadeira média com manteiga e polvilhe com farinha de trigo.
 Reserve.

Tome uma travessa e uma peneira larga e passe a farinha e o fermento em pó da peneira para a tigela. Misture e reserve.

Para derreter o chocolate amargo em banho-maria, escolha uma tigela de vidro (ou de inox) que se encaixe sobre uma panela. Pique o chocolate. Transfira os pedaços para a tigela e junte a manteiga.
 Sobre a água em fervura, no fogo baixo, vá misturando o chocolate com a manteiga, com uma espátula, até que derreta. Reserve.

Em uma batedeira, junte o açúcar e os ovos. Bata em velocidade alta até que a mistura fique esbranquiçada. Desligue a batedeira e, aos poucos, misture com uma espátula o chocolate derretido.

Adicione, aos poucos, a mistura de farinha e fermento com a massa de chocolate. Acrescente as nozes picadas, mexendo delicadamente. Transfira a massa para a assadeira untada.

Leve ao forno por cerca de 20 minutos. Depois do bolo assado (faça o teste do palito), corte-o em quadrados de aproximadamente 5 cm. de lado. Polvilhe com açúcar e canela ( ou chocolate em pó).  Sirva ainda quente com sorvete de creme ou de menta.

Se quiser fazer brownies recheados, corte-os ao meio depois de prontos e recheie com doce de leite, mousse de chocolate ou o sabor de sua preferência. Se fizer brownies de vários sabores pode pincelar por cima, para diferenciá-los, com um toque do recheio.

Peixe a cinco ervas

Standard

Além de ser muito fácil e rápida de se fazer, esta receita de peixe inteiro assado tem uma bela apresentação. Outra vantagem é que não precisa ser feita imediatamente antes de servir: o peixe já assado aguenta ficar no forno, já desligado, por até 1 hora para depois ser aquecido na hora de servir. Assim você pode receber os seus convidados sem ficar de castigo na cozinha tomando conta da comida.

 Peixe assado recheado e temperado com cinco ervas

Escolha um peixe fresco inteiro de tamanho médio – entre 1,5 e 2,5 quilos. Calcule 200 gr. por pessoa. Peça ao peixeiro para passar uma faca no couro para retirar as escamas e para abri-lo apenas por baixo e limpá-lo bem, retirando os ossos da coluna dorsal e as vísceras. Ao chegar em casa, lave-o bem e seque-o com um pano. Guarde-o em um saco plástico. Se puder prepará-lo sem ter que ir à geladeira, muito melhor. Mas se for usar no dia seguinte, ou ainda depois, congele-o tomando cuidado para que não deforme. Antes do preparo, deixe o peixe descongelar naturalmente, o que pode levar de 4 a 6 horas.

Recheio do peixe: dentes de alho cortados ao meio; cebolas brancas, alho poró e tomates maçã cortados em fatias finas.

Meia hora antes de colocar o peixe no forno, escolha uma assadeira grande (que caiba o peixe todo) e forre-a com uma folha grande de papel alumínio – o suficiente para envolver todo o peixe. Ponha-o sobre a folha de alumínio ( com o lado brilhante para cima) e passe uma camada de sal por fora e por dentro.

Abra o peixe e regue o interior todo com azeite. Recheie com a cebola, o alho poró, o tomate e por cima, o alho, dispondo-os apenas na parte inferior do peixe. Pique as cinco ervas: salsinha, cebolinha, coentro, hortelã e manjericão. Distribua-as sobre a camada já feita. Feche bem o peixe, regue-o com azeite por fora e envolva-o com o papel alumínio, fechando bem as bordas.

Pré-aqueça o forno a 250 graus e ponha o peixe para assar. Depois de 30 a 40 minutos verifique se está assado: a carne deve estar completamente branca e macia. Antes de servir, retire a pele raspando-a com uma faca. Despreze a pele e o papel alumínio e transfira o peixe para uma travessa com a ajuda de uma tábua fina de polipropileno. Sirva imediatamente.

Salada de camarões no abacaxi

Standard

Quando quiser uma salada de efeito para impressionar seus convidados em um almoço ou jantar de verão, ofereça esta salada servida dentro do abacaxi. Querendo sofisticar, reserve as coroas dos abacaxis para decorar, inclusive colocando as metades dos abacaxis sobre folhas de palmeira, entre strelitzas ou outras flores tropicais. Imagine como ficará lindo!

Salada de camarões servida no abacaxi

Preparo dos abacaxis: escolha os pequenos para não ter que servir uma porção exagerada de salada para cada pessoa. Retire a coroa fazendo um corte reto para que depois possa colocá-la em pé para decorar. Parta o abacaxi ao meio e retire a polpa. Cada abacaxi dá para 2 pessoas. Deixe a polpa no freezer por 15 minutos para ficar mais fácil de cortar. Retire a parte central mais dura e corte em cubos de 1,5 cm. de lado. Deixe-os escorrendo em uma peneira.

Outros ingredientes – para cada 4 pessoas, ou 2 abacaxis, separe: 2 talos de aipo (ou salsão), 2 maçãs verdes, ¼ de cenoura, folhas de hortelã. Mais 4 a 6 camarões por pessoa, dependendo do tamanho. Para o molho: 2 colheres de sopa de maionese, a mesma quantidade de creme de leite sem soro, 1 pitada de açúcar e outra de sal.

Corte os talos de aipo em cubinhos de 1 cm. de lado. Raspe e corte as cenouras em cubinhos bem pequenos, de ½ cm. de lado. Prepare o molho misturando os ingredientes. Junte o aipo, a cenoura e o abacaxi escorrido. Misture com cuidado.

Descasque e corte as maçãs em cubinhos de 1 cm. de lado e vá juntando à salada a medida que for cortando, para não escurecer. Por último, junte as folhinhas de hortelã rasgadas. Misture e coloque dentro dos abacaxis. Deixe na geladeira até a hora de servir.

Limpe os camarões e deixe a cauda. Afervente-os ligeiramente na água com sal, de modo a deixá-los ao dente. Antes de servir, distribua os camarões, ainda mornos, sobre as metades dos abacaxis com a salada já fria.

Fettuccine na tinta de lulas com molho de camarões

Standard

Certamente você já viu em fotos de revistas ou comeu em algum restaurante sofisticado massa (ou pasta) feita com tinta de lulas. É aquela bem escura, quase preta. Na Itália e na Croácia é mais comum de ser encontrada pela facilidade do mar próximo, onde a lula é abundante. Mas no Brasil? Aqui a lula é cara!

Foi a primeira vez que o trio do blog salcomalho.com fez essa massa pois foi o meu pedido de jantar de aniversário para as duas filhas gourmets. Depois de termos provado a maravilha ( com o sabor muito diferente das que já comi) pensei bem e cheguei à conclusão que todas as massas com tinta de lula que já comprei provavelmente eram apenas tingidas para ficarem escuras. Sabem porque? Uma lula grande só dá para tingir aproximadamente 60 gr. de massa, ou seja, são quase 2 lulas por pessoa. Imagine o preço de um pacote de 500 gr.! E também não haveria lulas suficientes nos mares para tingir a quantidade de massa à base de tinta de lula que tem à venda!

Fettuccine na tinta de lulas com molho de camarões

Primeiro limpe as lulas e retire a tinta. Veja aqui como fazer.

Preparo da massa caseira

A receita da massa é a mesma que utilizamos sempre* – veja aqui a receita básica-, com uma pequena alteração: misture a tinta de lula com os ovos antes de adicionar ao restante dos ingredientes.

Misture tudo até ficar uniforme (mãos na massa) e forme uma bola. Enrole-a em plástico filme e deixe descansar por meia hora. Depois é só abrir com a máquina ou um rolo e cortar no formato de fettuccini (abra a massa em lâminas longas de mais ou menos dois milímetros de espessura e, com uma faca, corte-as em tiras com pouco mais de um centímetro de largura). Deixe as tiras de massa secando por 1 hora, de preferência em um varal. Esfarinhe-a depois de seca. Obs: Você pode guardar a massa pronta dentro de um saco plástico, em local fresco e seco, para usá-la depois, dentro da mesma semana.

*Nesta receita usamos: 200 gr. de farinha de trigo de grano duro, 200 gr. de farinha de trigo comum, 4 ovos, 1 colher de sopa de azeite e 1 colher de chá de sal. O total dá aproximadamente 500 gr. de massa, suficiente para 6 pessoas.

Preparo do molho

Como o molho gasta 10 minutos para ficar pronto (depois de ter deixado o camarão no tempero por 15 minutos), prepare-o pouco antes de servir.

Ingredientes para 6 pessoas: 1 quilo de camarões limpos, 600 gr. de vôngoles limpos (fora das conchinhas), sal e limão, 2 colheres de sopa de azeite, 1 talo grande de alho poró, ½ colherinha de café de sal com alho, 1 pitada de pimenta branca.

Tempere os camarões e os vôngoles, separadamente, com sal e limão. Deixe por 15 minutos. Corte o alho poró em fatias finas.

Em uma frigideira, frite os camarões em um fio de azeite quente até ficarem vermelhos. Coloque mais um pouquinho de azeite no centro da panela, frite o sal com alho e, em seguida, o alho poró, até que amoleça. Coloque os vôngoles na panela, misture tudo e deixe o vôngole dourar. Regue com o restante do azeite. Tempere.

Finalização:

Meia hora antes de servir esquente água em uma panela grande. Assim que ferver, jogue um punhado de sal. Quando levantar fervura de novo, coloque toda a massa e deixe cozinhar até ficar ao dente. Atençao: massa fresca cozinha bem depressa! Escorra e misture imediatamente com o molho já pronto.

Ao servir à mesa, cubra o prato com uma leve camada de queijo pecorino ou parmesão ralado.

Na Itália, é costume servir a pasta acompanhada de pão para que você possa raspar o prato até o último vestígio do molho!

Dica: Limpeza de lulas e preparo da tinta

Standard

Se você quiser tingir uma pasta (ou massa) com tinta de lula, saiba que é um processo trabalhoso, mas o resultado vale muito a pena! A massa irá adquirir uma cor bem escura e, quanto ao sabor, nem se compara com a pasta comprada pronta. É simplesmente deliciosa!

Limpeza da lula e preparo da tinta:

Para tingir 500 gr. de pasta (que dá para 6 pessoas), compre 8 lulas grandes inteiras. Peça ao peixeiro que manuseie com cuidado para não estourar os sacos de tinta por acidente.

Primeiro lave-as bem. Para limpar a lula, use luvas de borracha para não tingir as mãos caso algum saco de tinta estoure. Coloque-as dentro de uma bacia e siga o passo-a-passo abaixo com cada uma delas, com cuidado:

– Identifique onde está a cabeça e puxe-a delicadamente, separando-a do corpo. Os órgãos internos devem sair com ela. Reserve a cabeça para extrair a tinta.

– Separe os tentáculos da cabeça cortando-os abaixo dos olhos (na culinária gourmet tentáculos valem ouro, portanto separe-os e congele para serem aproveitados em outra receita, como um risoto).

– Note que na cabeça, entre outras partes, tem um saco prateado com um líquido escuro dentro. Essa é a tinta (e tinge mesmo – cuidado com a roupa!) Esprema, com cuidado, em um recipiente à parte. Reserve.

– Descarte a cabeça e as vísceras.

– Na parte interna do corpo, existe uma estrutura de cartilagem transparente (parecendo plástico). Puxe-a, enfiando os dedos dentro do corpo. Certifique que não ficou nenhum outro pedaço (se precisar vire do avesso).

– Despele a lula. Raspe a superfície externa com a ponta da faca para retirar as manchas. A carne é branca e escorregadia. Lave-a novamente e congele para usar em outra receita.

 

Obs.: É possível adquirir a tinta de lula em empórios ou supermercados gourmet, e até pela internet (caso só encontre a lula já congelada ou não consiga extrair a tinta). Costuma ser vendida em saquinhos de 10 gramas, suficiente para 300 gr. de massa.