Ovos de Páscoa

Standard

Hoje passamos para vocês duas receitas deliciosas de ovos de Páscoa- daqueles de comer o recheio com colher. Corra pra comprar os ingredientes e surpreender a família no próximo domingo! As receitas são criação de minha filha mais velha.

Aliás, minhas dedicadas filhas a cada dia superam todas as minhas expectativas no preparo de receitas novas e deliciosas. Uma, a mais velha, está se tornando uma expert em preparos sofisticados de carnes e de massas, e a outra, a caçula, insuperável nos pães artesanais ( a diferença de idade entre elas é de apenas dois anos). Durante a semana trocamos ideias para os pratos de domingo e, nesse dia, juntamos as três na cozinha para resgatar antigas receitas ou inventar novas para o almoço em família. E depois passamos tudo para vocês!

Segue a receita da filha também doceira de mão-cheia:

Continuando com o costume de passar o ano imaginando os recheios dos próximos ovos de Páscoa de comer de colher, pensei em duas preparações deliciosas para este ano:

Ovos de Páscoa com recheios de palha italiana e de mousse de chocolate com caramelo com flor de sal*

Ingredientes (para 2 ovos de 250gr cada):

Para as cascas:

2 barras de chocolate 70%

Para a palha italiana: 1 lata de leite condensado, 1 caixinha de 200 ml. de creme de leite, 2 colheres de sopa de chocolate em pó (do fradinho), 1/3 do pacote de biscoito Maizena, açúcar refinado para decorar.

Para a mousse com caramelo:

Mousse: 1 barra de chocolate 70%, 50 gr de manteiga, 50 gr de açúcar refinado, 2 ovos, 2 folhas de gelatina, 1/3 de xícara de chá de leite,

Caramelo: 1/2 xícara de chá de açúcar demerara, 30 ml de água, 35 ml de creme de leite, 1/2 colher de café de extrato de baunilha, flor de sal a gosto. Mais 2 chocolates Twix para decorar

Para começar, de véspera, derreta o chocolate em banho-maria e siga o passo-a-passo para o preparo das cascas dos ovos (clique aqui).

Dicas:

  1. Para fazer uma casca mais grossa, espere o chocolate endurecer e repita a operação.
  2. Para um chocolate mais brilhante, derreta-o em banho-maria.
  3. Para que não derreta após refrigerado, faça a técnica da temperagem: derreta 2/3 do chocolate a 45º. Após o derretimento, adicione o restante do chocolate sem derreter, mexendo sempre até o chocolate adicionado derreter por completo. Continue mexendo até que o chocolate atinja a temperatura de 29º a 30º C para o chocolate amargo, 28º a 29º C para chocolate ao leite e blend, e 27 a 28º C para o chocolate branco. Vale despejar o chocolate no mármore frio ou colocar a vasilha em cima de outra com água gelada para acelerar o choque térmico.

Preparo da palha italiana: quebre o biscoito Maizena em pedaços bem pequenos. Leve os demais ingredientes ao fogo baixo e só pare de mexer quando der o ponto de brigadeiro (veja a foto). Adicione o biscoito e mexa até incorporar. Espere esfriar para rechear duas metades das cascas de chocolate (não retire da forma). Se quiser decorar como na foto final, é só separar o suficiente para cortar em quadradinhos e envolver em açúcar refinado.

Preparo da mousse de chocolate com recheio de caramelo com flor de sal:

Derreta a manteiga e 80 gr do chocolate partido em pedacinhos em banho-maria, mexendo de vez em quando. Desligue o fogo quando estiver derretido e misture para que fique uniforme.

Enquanto isso, coloque as folhas de gelatina em água fria durante 3 minutos (não mais, senão derrete!). Despeje o leite numa panelinha para aquecer. Esprema as folhas de gelatina e junte-as ao leite. Mexa bem para que dissolva e desligue o fogo.

Ponha o açúcar numa tigela grande que possa ser acoplada na batedeira (se sua batedeira for portátil, escolha uma bem funda). Separe outra tigela para colocar as claras.

Quebre os ovos e separe as gemas das claras. As gemas vão ser misturadas ao açúcar e as claras na outra tigela à parte.

Bata as gemas com o açúcar até obter um creme esbranquiçado. Junte o chocolate aos poucos, mexendo bem até verificar que a mistura começou a descolar da tigela. Acrescente o leite (com a gelatina) e bata mais um pouco.

Bata as claras separadamente até o ponto de neve e junte-as ao chocolate aos poucos, mexendo devagar e com cuidado com uma espátula de silicone.

Recheie as outras cascas de ovo até a metade da forma – veja a foto acima (reserve o restante fora da geladeira).

Leve as cascas novamente à geladeira e espere firmar para acrescentar o caramelo.

Para o caramelo, misture levemente o açúcar, o extrato de baunilha e a água em fogo baixo até que fique na cor âmbar – veja as fotos abaixo (cuidado para não caramelizar). Desligue o fogo e adicione o creme de leite, misturando com um foeut. Acrescente a flor de sal aos poucos, provando para temperar a seu gosto. Espere esfriar.

 

Despeje o caramelo nas cascas de ovo semi cheias de mousse de chocolate ( veja a foto acima) e volte-os para a geladeira. Quando firmarem, cubra com o restante da mousse que sobrou e volte para a geladeira para endurecer.

Para retirar os ovos da forma, vire-a de cabeça para baixo e pressione levemente com a ponta dos dedos. Elas se soltarão facilmente. Depois, decore como nas fotos.

 

Observação: *Muito usado na finalização de sobremesas, a flor de sal não deixa o caramelo salgado, mas sim realça o doce. Cuidado na hora de comprar: flor de sal não é flor do sal! Verifique a procedência (a flor de sal é um aglomerado de cristais que se forma à superfície da água do mar e são recolhidos artesanalmente – não é o mesmo que sal grosso moído).

Bolo de Reis para intolerantes

Standard

Uma das razões de pessoas do mundo inteiro gostarem tanto deste blog é porque estamos sempre inventando novas receitas para quem tem problemas de intolerância ou alergia à glúten e à lactose, ou pior, às proteínas do leite – o que é o meu caso.

Por isto, compreendo perfeitamente a vontade dessas pessoas de comer muitas coisas gostosas que para nós se tornaram alimentos proibidos. Só que, como não me conformo de ver o que não posso comer e ficar só na vontade, sempre consigo fazer substituições e ter a grata surpresa de preparar e degustar alimentos deliciosos! Nessa experiência conto com a grande ajuda de minhas filhas, sempre me surpreendendo com ótimas receitas que experimentam e me trazem de presente. Esta receita foi feita pela minha filha mais velha como presente de Dia dos Reis para mim.

Bolo de frutas secas sem glúten e sem lactose

Ingredientes para um bolo pequeno (para um bolo maior, dobre a receita): 1 xícara de chá de mix de farinha sem glúten (use a marca Beladri ou 1/2 farinha de arroz e 1/2 fécula de batata), 1 xícara de café de açúcar mascavo peneirado, 1 colher de chá de canela,1 xícara de café de óleo vegetal, 2 ovos. Frutas secas: 1 xícara de café de passas pretas e outra de passas brancas, a mesma quantidade de amêndoas descascadas e laminadas, 5 damascos secos picadinhos, 1 colher de sopa de fermento químico, água bastante para dar liga (2 colheres de sopa, dependendo do tamanho dos ovos) e 1 colher de sobremesa de açúcar demerara.

Inicie o preparo untando uma forma de bolo pequena com um filete de óleo (passe um guardanapo para tirar o excesso e uniformizar) e farinha polvilhada. Reserve.

Aqueça o forno a 200 graus.

Misture a farinha, o açúcar mascavo e a canela. Acrescente o óleo e os ovos e mexa até ficar uniforme. Adicione 3/4 das passas, amêndoas e damascos. Reserve o restante.

Depois que tiver misturado tudo, veja o quanto adicionar de água – a massa deve ficar nem muito líquida, nem muito espessa. Adicione o fermento e misture bem, delicadamente.

Pingue um pouco de óleo (usamos o óleo de coco) no fundo da forma já untada e polvilhada. Polvilhe com o açúcar demerara para fazer uma finíssima camada. Distribua no fundo da forma as passas, amêndoas e damascos restantes (veja a foto).

Despeje a massa do bolo na forma e dê umas pancadinhas leves para nivelar (ou faça isso com as costas de uma colher).

Leve ao forno por 30 minutos ou até verificar que o bolo está corado e assado. ( faça o teste do palito e veja se sai limpo).

Obs: não abra o forno antes de, pelo menos, 20 minutos de cozimento.

Laranjinha confitada

Standard

Aprenda a confitar laranjinhas e dê um toque sofisticado ao seu chá da tarde, ao café servido após o almoço ou use essas delicadas delícias para incrementar a receita de panetone ou bolos. Se quiser dar um toque inusitado ao lombo ou pernil de porco sirva-as como acompanhamento. A mesma receita pode ser feita com limão ou lima.

Laranjinha confitada

Para 3 laranjas pera use 3/4 de xícara de açúcar cristal e a mesma quantidade de água. Primeiro misture o açúcar na água e leve ao fogo para fazer uma calda bem rala.

Corte a laranja em fatias finas e escorra. Coloque-as na calda para cozinhar até que a calda seque – vai ficar grossa e começar a escurecer. Neste ponto é importante tomar uma colher de pau e ir mexendo, no fogo baixo,  para que as fatias grudem a calda por igual até ficarem da cor dourada. Cuidado para não queimá-las!

Deixe secar e guarde em um pote com tampa hermética.

 

Torta de mousse de chocolate

Standard

Quer uma torta deliciosa e diferente? Prepare esta sobremesa para o seu próximo almoço de família ou jantar com os amigos. Parece complicada mas é simples e fácil de se fazer. Anime e terá uma recompensa sensacional! Tem mais: pode ser feita para alérgicos e intolerantes a glúten e leite de vaca!

Torta de mousse de chocolate  

Ingredientes para 6 pessoas: 160 gr de chocolate 70% cacau (ou sem leite), 100g de manteiga ou ghee, 4 ovos, 100 gr de açúcar refinado, 4 folhas de gelatina, 1/2 xícara de chá de leite (usamos leite de amêndoas), amêndoa em lascas e cerejas para decorar.

Derreta a manteiga (ou ghee) e o chocolate partido em pedacinhos em banho-maria, mexendo de vez em quando. Desligue o fogo quando estiver derretido e misture para que fique uniforme.

Coloque as folhas de gelatina em água fria durante 3 minutos (não mais, senão derrete!)

Despeje o leite numa panelinha para aquecer. Esprema as folhas de gelatina e junte-as ao leite. Mexa bem para que dissolva e desligue o fogo.

Ponha o açúcar numa tigela grande que possa ser acoplada na batedeira (se sua batedeira for portátil, escolha uma bem funda). Separe outra tigela para colocar as claras.

Quebre os ovos e separe as gemas das claras. As gemas vão ser misturadas ao açúcar e as claras na outra tigela à parte.

Bata as gemas com o açúcar até obter um creme esbranquiçado. Junte o chocolate aos poucos, mexendo bem até verificar que a mistura começou a descolar da tigela. Acrescente o leite (com a gelatina) e bata mais um pouco.

Bata as claras separadamente até o ponto de neve e junte-as ao chocolate aos poucos, mexendo devagar e com cuidado com uma espátula de silicone.

Antes de despejar a massa na forma, molhe seu interior com água fria. Isso vai ajudar a desenformar depois. Leve à geladeira por, no mínimo, 6 horas.

Para desenformar, passe uma faca molhada em volta da parte interna da forma e mergulhe-a em água quente por apenas 1 segundo.

Vire sobre o prato e decore com as lascas de amêndoas e cerejas.

Brigadeiro de colher

Standard

Todos os brasileiros e brasileiras acima de cinco anos de idade sabem fazer o famoso e tradicional docinho de nome brigadeiro, que é uma bolinha de chocolate confeitada com chocolate granulado. Costuma ser a primeira receita que as crianças aprendem na cozinha. Não existe festa de aniversário de criança sem brigadeiro, pois se não tiver é só reclamação!

Antes de 1946, esse docinho era conhecido no Sul do Brasil como negrinho. Neste ano, uma turma de senhoras cariocas da UDN passou a fazer o doce e vender nos comícios do Brigadeiro Eduardo Gomes a fim de angariar fundos de sua campanha para presidente do Brasil, daí o nome.

Esta é uma versão da receita que minhas filhas fazem desde pequenas e que hoje oferecem às amigas quando estas vão à nossa casa para uma seção nostalgia da infância. A quantidade dá para dois adolescentes gulosos ou cinco adultos educados e se come às colheradas. Nota: é indispensável nos nossos aniversários em família.

Brigadeiro de colher com cobertura de pistache

Ingredientes: 1 lata (ou caixinha) de leite condensado, 2 colher de sopa de achocolatado da Nescau, 1 colher de sopa de manteiga com sal em temperatura ambiente e 1 gema sem pele.

Fora do fogo, verta, em uma panela funda, o leite condensado e acrescente os demais ingredientes. Misture bem até obter um creme homogêneo e leve ao fogo baixo.

Dica: o segredo é mexer sem parar, em sentido horário, de preferência com uma colher de pau. Assim poderá acompanhar a mudança gradual da consistência do creme para desligar o fogo no momento exato. Verá que, estando o creme mais espesso, ele começa a agarrar no fundo, formando bolhinhas quando se raspa a panela com a colher, mas ainda sem grudar. Este é o ponto! Veja a foto.

Espere esfriar – se conseguir – coloque em uma tigela e coma de colher. Se quiser sofisticar, acrescente uma cobertura, como pistaches ou mix de castanhas.

Confissão das milhas filhas: “depois de adultas, continuamos a fazer a receita mas agora comemos o doce acompanhado de um bom vinho tinto, de preferência Malbec.  Fica delicioso!!!”

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Mel de figos

Standard

Apesar de um pouco trabalhosa, esta receita é muito fácil de fazer e rende dois produtos deliciosos: 1) figo em pasta para canapés, para recheio de massa fresca e para uso em sobremesas; 2) mel de figo, que pode ser usado em várias receitas de massas, em doces e até para servir sobre torrada no café da manhã.

Aproveite a estação de figos deste final de ano para preparar maior quantidade desses produtos. A pasta pode ser congelada e o mel dura meses na geladeira.

Mel de figos

Esta receita foi feita com 16 figos grandes maduros. Lave-os bem e corte em quatro. Coloque em uma panela funda (de preferência de ferro ou com a base grossa). Junte água suficiente para cobri-los e leve ao fogo baixo por 3 horas ou até verificar que o caldo reduziu pela metade. Durante o cozimento, deixe a panela semi-destampada, mexendo às vezes e pressionando levemente, com uma colher de pau, os pedaços de figo.
Separe uma tigela grande e coloque sobre ela um pano limpo bem fino (ou daqueles usados para fazer queijo). Dica: inserir um coador entre o pano e a panela evita que o pano caia sobre o líquido.

Despeje a mistura de figos cozidos sobre o pano e deixe que o caldo escorra naturalmente. Sobrando só os figos, esprema-os com as costas de uma colher e extraia mais caldo.

Agora vem a parte mais trabalhosa porém necessária para tirar o resto do caldo de dentro dos figos. Junte as pontas do pano e fazendo uma bola vá pressionando-a com as mãos até que saia todo o líquido.

Volte com o caldo para a panela e deixe em fogo baixo até encorpar (vai se formar uma fina crosta por cima mas é só misturar bem e ela se incorpora). Mexa e vigie pata não agarrar no fundo da panela. Caso o figo não esteja doce o suficiente, acrescente um pouco de mel.

Se não for usá-los, porcione a pasta de figo que restou em um pote de plástico para poder congelar e armazene o mel em um pote para levar à geladeira.

Veja o rendimento ( potinhos de 250 gr.):

image-36

Kinkan – compota, geleia ou chutney

Standard

As kinkans apareceram no Brasil há poucos anos e são de origem oriental. Kinkan em japonês quer dizer “laranjinha de ouro”, porém a frutinha de cor amarelo dourada ou alaranjada não é uma verdadeira laranja, pertencente à espécie Citrus, pois pertence à outra espécie, a Fortunella. A mais comum é a Nagami, de forma oval e um tanto amarga, excelente para se fazer compota, geleia e chutney.

Compota

Lave as laranjinhas e deixe-as inteiras. Coloque-as para aferventar com uma quantidade de água suficiente para tampar a fruta. Assim que a água ferver, jogue a água fora e reinicie o processo por duas vezes. Escorra as frutas e reserve.

Faça uma calda dissolvendo açúcar cristal em água e deixando incorporar. A quantidade de calda deve ser o suficiente para cobrir as frutinhas e sobrar 3 dedos. Deixe que cozinhem no fogo brando até ficarem macias. Bem guardada em um ponto com tampa, conserva-se em geladeira por tempo indeterminado.

Sirva de sobremesa com queijo minas, requeijão, creme chantily ou sorvete.

 

Geleia 

Lave as laranjinhas, parta-as ao meio e retire o miolo. Bata no liquidificador ou processador para obter uma massa grossa, deixando ainda pequenos pedaços da fruta. Calcule a quantidade de açúcar que vai usar: a quarta parte do volume da massa, no mínimo. Derreta o açúcar em uma panela e assim que começar a dourar junte a massa da fruta. Adicione um pau de canela, cravos e estrela de anis inteiros (que serão retirados ao final). Outra opção é colocá-los dentro de um porta-temperos (veja foto). Deixe cozinhar em fogo médio. Quando começar a formar bolhas, mexa com uma colher de pau para não agarrar na panela, até dar ponto de geleia. Conservada em pote fechado dura muitos meses na geladeira. Dica: para que não azede, nunca retire a geleia do pote com colher usada e jamais devolva ao vidro geleia já servida.

Sirva para acompanhar torradas, como recheio ou cobertura de sobremesas, tortas e bolos.

 

Chutney 

Para fazer o chutney adicione à geleia, aos poucos, provando sempre: gengibre ralado, vinagre de maçã, aceto balsâmico, suco de pimenta malagueta e mel. Misture, volte ao fogo médio até o ponto que comece a soltar do fundo da panela. Desligue. Deixe esfriar.

Ótimo para servir de aperitivo com queijos de paladar forte, como parmesão e grana padano. Ideal para acompanhar carne de porco, como lombo, pernil ou joelho. Veja aqui a receita de joelho de porco acompanhado de chutney de kinkan e farofa de castanhas.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.