Salada de ervilha, ovo e tomate – 15

Standard

Salada 15

Ervilha de folha, ovo de codorna e tomate cereja

Quantidade de calorias por porção (1 pessoa): 118

Quantidade de gramas desta salada: 130

A ervilha de folha, além dos benefícios da ervilha em grão – rica em vitamina K auxiliando na mineralização óssea – é ótima fonte de celulose, presente na folha, que auxilia o bom funcionamento das funções intestinais.

O ovo de codorna, assim como o ovo de galinha, é rico em vitamina A (retinol), essencial para a saúde dos olhos. Contém ferro que ajuda no combate à anemia e cálcio que participa da formação óssea. Comparando com ovo de galinha, o ovo de codorna contem maior teor proteico e é mais rico em ferro e cálcio. Porém, contem maior concentração de colesterol.

Ingredientes Quantidade Corte Gramas Calorias
Ervilha de folha 5 vagens Ao meio 30 30
Ovo de codorna 6 Ao meio 50 80
Tomatinho cereja 6 Ao meio 50 8

Corte as pontinhas da vagem da ervilha e puxe o fio lateral. Coloque-as em uma peneira de metal sobre um caneco com água para ferver até que a ervilha fique ao dente. Enquanto isto, cozinhe os ovos de codorna nesta mesma água por 8 minutos. Espere esfriar para tirar a casca.

Corte as vagens, os ovinhos e os tomatinhos ao meio.

Nossa consultora: nutricionista Letícia Menicucci

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Risotto ai funghi

Standard

Risotto ai funghi italiano legítimo nunca tem carne, é claro. Seria uma heresia! Nesta receita, abrasileiramos, virou risoto e misturamos carne cozida. Muito prático, pois assim, pode servir como prato único no jantar. Brasileiro, homem, se não tem carne na comida acha que o prato não sustenta. Se quiser ser tradicional, é só fazer o risoto sem a carne e servir a carne cozida separado, simples! Assim não ofendemos “i fratelli italiani, tutti buona gente!

Risoto de cogumelos com carne cozida

Para 2 pessoas vamos usar: 1 xícara de chá de arroz carnaroli ( pode se arroz comum), 1 xícara de café de cebola picadinha, 1 xícara de chá de cogumelo seco( funghi sechi), a mesma quantidade de cogumelo-de-paris in natura, 1 xícara de carne cozida já desfiada e 1 xícara de caldo de carne .

Primeiro faça a carne cozida de panela e desfie. Consideramos que já tenha também o caldo de carne com legumes pronto.

Em um caneco, coloque os cogumelos secos para ferver com uma xícara de chá de água. Assim que estiverem quase macios, junte os cogumelos frescos já fatiados. Deixe que acabem de cozinhar juntos. Retire os cogumelos e fatie as partes maiores do cogumelo seco. Reserve os cogumelos  e também o caldo do seu cozimento.

Coloque água para ferver. Em outra panela, doure a cebola picadinha e uma colherzinha de sal com alho em 2 colheres de sopa de azeite. Junte o arroz. Mexa. Acrescente o caldo da carne e o caldo do cogumelo. Abaixe o fogo. Continue mexendo o arroz. Junte os cogumelos e misture.

Acompanhe o cozimento do arroz e, se precisar, vá acrescentando água quente aos poucos até o arroz ficar ao dente. Então junte a carne cozida desfiada, misture bem e deixe o arroz terminar de cozinhar. O ponto certo do risoto é quando o arroz começa a ficar macio e o caldo da metade da panela para cima já secou.

Se for do seu agrado, jogue um pouquinho de queijo pecorino ou parmesão por cima do risoto depois que servir o prato.

Dica: para servir enformado como na foto, coloque o risoto dentro de uma cumbuca, coloque o prato que vai servir por cima da cumbuca virado para baixo e depois vire para cima os dois juntos. Retire a cumbuca.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Salada de baroa, cenoura e abobrinha – 14

Standard

Salada 14 – Baroa, cenoura e abobrinha

Quantidade de calorias por porção (1 pessoa): 315/4=78

Quantidade de gramas desta salada: 576/4= 144

A batata baroa ou mandioquinha é um alimento de alto valor energético, pois é rico em amido e, por conter baixos teores de amilopectina e ausência total de fatores antinutricionais, sua digestão é fácil e rápida, indicada para atletas no pré treino. Comparada aos outros tipos de batata é a que possui maior teor de fósforo e cálcio que auxiliam na formação de ossos e dentes.

Uma forma bonita de enfeitar sua mesa e variar a apresentação de suas saladas é dispor os legumes na forma de mandala, como na foto.

Esta porção dá pra 4 pessoas.

Ingredientes Quantidade Corte Gramas Calorias
Baroa* 2 Fatiada fina 200 160
Cenoura* 2 Fatiada fina 200 60
Abobrinha* 1/2 Fatiada fina 168 25
Azeite 1 colher de sopa 8 70
Vinagre 1 col. sobremesa
Ervas frescas 1 col. sobremesa

* Obs: são considerados alimentos de tamanho médio

Ponha água em um caneco para ferver. Raspe a pele da baroa e da cenoura e ponha para cozinhar, com a água cobrindo, até que fique ao dente, ou seja, cozida mais ainda bem firme. Depois, deixe esfriar completamente.

Fatie a abobrinha com casca em fatias finas. Grelhe as fatias em uma chapa ou frigideira de ambos os lados. Prepare um molhinho com azeite, vinagre, ervas frescas e sal. Misture e junte 2 colheres de água. Coloque a abobrinha em uma tigela de vidro ou louça e regue com o molho. Vede com um filtro pvc e deixe na geladeira por meia hora.

Fatie a baroa e a cenoura no processador.

Disponha em um prato redondo as fileiras de baroa e cenoura. No meio, coloque a abobrinha marinada. Jogue, com o saleiro, uma pitada de sal sobre tudo.

Nossa consultora: nutricionista Letícia Menicucci

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Torta waffle de chocolate

Standard

Torta waffle de chocolate

Esta torta é simplesmente maravilhosa, além de muito fácil de fazer. A receita deve ser preparada de véspera e dá para 8 pessoas.

Veja o que precisa comprar: 1 pacote de waffle de chocolate com recheio branco, 1 caixa de Bis com cobertura de chocolate branco, 1 lata de creme de leite, 1 lata de leite condensado, 1 barra de chocolate meio- amargo de 400 gr. , 1 sachê de gelatina incolor e manteiga.

Vai precisar de uma forma daquelas que o fundo solta, com 18 cm de diâmetro.

Primeiro despedace bem o waffle e misture com 1 colher de sopa rasa de manteiga até formar uma massa. Forre o fundo da forma com esta massa. Reserve. Use ½ do sachê de gelatina ( ou 1 colher de chá cheia) e ½ xícara de café de água para fazer a gelatina. Coloque na geladeira. Bata no liquidificador o leite condensado todo, ¾ da lata de creme de leite e ¾ do pacote de Bis. Acrescente a gelatina já endurecida, fora do liquidificador, e misture bem. Despeje este creme na forma. Misture a barra de chocolate já picada com o restante do creme de leite e leve ao fogo baixo para derreter e incorporar um ao outro. Deixe esfriar um pouco e cubra o recheio que já está na forma. Despedace o restante do Bis e cubra a torta para enfeitar. Leve à geladeira e deixe de um dia para o outro.

DSCN1176Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Empadão de frango da vovó

Standard

Esta é uma das mais tradicionais receitas mineiras e, por assim dizer, é a mãe das empadinhas de frango, pois a receita é a mesma, só varia o tamanho. É também uma mistura da culinária portuguesa com a mineira, pois as empadas nasceram em Portugal, porém eu nunca vi por lá empadinha de frango. A receita que passo hoje é a da minha avó, que por muitos anos teve um buffet e vendia tanto dessa torta quanto das suas famosas empadinhas, ou seja, tudo o que conseguia produzir.

Empadão de frango

Vai precisar de uma forma daquelas de aro de abrir, farinha de trigo, banha e ovos. Para o recheio, veja os ingredientes abaixo. O recheio é feito primeiro do que a massa.

A massa tradicional é feita no sentimento, sem receita de quantidades. Vou tentar colocar aqui as quantidades só para se ter uma ideia, mas sem compromisso de que sairá perfeita, pois tudo depende da qualidade dos ingredientes e da temperatura do dia.

Para uma torta de 26 cm. de diâmetro, use 3 xícaras de farinha de trigo, 1 xícara mal cheia de banha (gordura vegetal hidrogenada, aquela que vende em barra) e 1 ou 2 gemas, dependendo do tamanho. Primeiro, limpe a bancada e coloque a farinha. Junte aos poucos a banha e vá trabalhando a massa com a ponta dos dedos até fazer como se fosse uma farinha grossa. Estando bem misturado, faça um montinho, abra um buraco no meio e junte a gema de ovo. Sove até dar a consistência de massa de abrir. Se estiver esfarelando, junte um tiquinho de água. Se ficar muito mole, coloque mais farinha. Faça duas bolas com a massa, tendo 1/3 e 2/3 da massa cada bola. Tome a bola maior e passe o rolo até obter um círculo de pouco mais de 40 cm. de diâmetro, ou seja, que dê para forrar o fundo e as laterais da forma. Reserve o restante da massa para fazer o segundo círculo, este, um pouco maior do que a forma.

Recheio

Faça o frango refogado como recomendado na receita do blog, usando coxa e sobre-coxa e inclusive retirando a carne dos ossos e voltando com estes para o caldo do frango com mais cebola e tomate para fazer uma caldo bem gostoso como base do recheio. Coe o caldo e volte com ele para a panela. Pique cenoura e batata em cubinhos de 1 cm e coloque para cozinhar neste caldo, sendo que a batata vai primeiro porque cozinha mais rápido que a cenoura. Estes são os ingredientes tradicionais. Quando estiverem cozidos, retire um pouco do caldo e engrosse à parte com amido de milho ou maisena (misture-o antes com um pouquinho de água e depois junte ao caldo e mexa bem até ferver). Volte com o este caldo bem engrossado para a panela e misture delicadamente, para não quebrar a batata. Prove o tempero, junte sal e pimenta se precisar. Há dois outros ingredientes que eu gosto de usar. Você pode escolher entre um e outro ou colocar os dois, que são palmito e champignon-de-paris em conserva, ambos em fatias. Se for colocá-los, não precisam de cozimento, então são misturados no final. O recheio está pronto. Deixe esfriar.

Montagem da torta

Cubra a forma com o círculo maior de massa de modo que fique todo aderente ao fundo. Molde as beiradas, apertando delicadamente com os dedos e deixe sobrar de 1 a 2 cm para fora da forma. Coloque o recheio, deixando sobrar pelo menos 1 cm na altura da forma. Agora venha com o círculo menor e cubra o recheio. Aperte as bordas, colando os dois círculos, passe a faca cortando os excessos. Pegue um garfo e amasse as bordas – isto é para a torta não abrir ao ser assada. Com as sobras que cortou, torne a amassar e passar o rolo até que fique fina. Corte tiras para enfeitar a torta e, se tiver forminhas, pode fazer e colocar por cima flores, bolinhas, corações ou estrelinhas, tal como fazem no interior de Minas. Misture uma gema com um pouquinho de clara e pincele a cobertura da torta, para que, ao assar, dê aquela aparência corada.

Pré aqueça o forno a 200o graus e asse a torta até corar por cima. Desenforme depois de morna.

Pode ser servida morna ou fria.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Salada de milho, cenoura, tomate e ovo de codorna- 13

Standard

Salada 13 

Milho, cenoura, tomate e ovo de codorna

Quantidade de calorias por porção (1 pessoa): 168

Quantidade de gramas desta salada: 218

O milho é uma excelente fonte de carboidratos, fornecendo energia para o corpo. É rico em fibras benéficas à prevenção de doenças digestivas, como hemorroidas e prisão de ventre. É fonte de vitamina A, que auxilia na formação e manutenção dos ossos e da pele.

Ingredientes Quantidade Corte Gramas Calorias
Milho 2 colheres de sopa cheias 40 40
Cenoura 1/2 Ralada 50 15
Tomate cereja 3 un. médias Cortado em 4 60 9
Ovo de codorna 6 Metades 65 104
Cebolinha verde 1 colher de sobremesa Picadinha 3

 

Cozinhe os ovinhos de codorna na água por cerca de 8 minutos. Descasque e reserve. Raspe uma cenoura média e rale a metade. Corte os tomatinhos de comprido em 4 partes e retire o miolo. Escorra o milho (se for de lata). Corte os ovos ao meio. Pique a cebolinha. Misture todos os ingredientes.

Sirva acompanhada das folhas de sua preferência.

Nossa consultora: nutricionista Letícia Menicucci

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Involtini di zucchini

Standard

Por favor, não chame esta receita de canelone de abobrinha perto de uma italiana. Em homenagem à uma das cozinhas que mais adoro, resolvi colocar o nome em italiano, mas é receita da minha casa que eu nem lembro se fui eu que inventei. De toda forma, a gente chama de canelone só porque é enrolada.

 Abobrinha enrolada com carne (pode ser feita com berinjela)

Prepare a carne de panela antecipadamente. Depois, vai precisar de 1 abobrinha grande, molho de tomate caseiro e pesto ( ou azeite e ervas frescas)

 

Desfie a carne cozida miúda e junte molho de tomate, de modo que fique bem molhadinha. Corte fatias finas da abobrinha de comprido, usando um cortador. A abobrinha permanece com casca e sementes. Coloque as fatias em uma panela, salpique um tiquinho de sal e abafe (tampe) só para amaciar e ficar mais fácil de enrolar.

Coloque uma colher de café cheia da carne com o molho dentro de cada fatia e enrole. Disponha os rolinhos em uma travessa refratária. Se tiver pesto* pronto passe sobre os rolinhos. Se não tiver, pique miudinho ervas verdes frescas tipo salsinha, cebolinha e manjericão e salpique sobre os rolinhos. Cubra com um fio de azeite e leve ao forno até ver que a abobrinha está cozida.

Se preferir fazer com berinjela, a receita é a mesma. Porém, não se esqueça que berinjela escurece depressa e depois não presta mais. Para que isto não aconteça, assim que cortar as fatias, mergulhe-as em água. Depois escorra e prossiga o preparo da receita.

* para fazer o pesto: pique as ervas bem miudinho, geralmente é feito com manjericão sozinho, ou com salsinha e cebolinha junto. Misture azeite. Coloque no banho maria ( é quando você coloca uma panela com água fervendo e outra dentro com o que quer fazer, no caso, o azeite com ervas) e deixe ferver em fogo brando por um bom tempo, ou seja, até que o azeite fique verde. Se quiser sofisticar, adicione pinhole (ou nozes/ ou castanha do pará) picado bem miúdo.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.