Jantar marroquino

Standard

Que tal sair da tradicional culinária de influência européia e preparar um jantar com os sabores exóticos do Marrocos?

Culinária marroquina

A gastronomia do Magreb, a parte ocidental do mundo árabe localizada ao noroeste da África, é considerada como uma das mais saborosas e requintadas do mundo. Apesar de fortes influências mediterrânea e africana, a comida é preparada segundo as normas do islamismo. Portanto, não se come carne de porco, preferindo-se a carne de cordeiro e as aves. Uma característica marcante é o uso da tagine, uma panela feita de barro cozido e esmaltada, com a tampa em forma de cone, possibilitando que o líquido do cozimento não se evapore completamente e volte a umedecer o alimento em preparo. O cozimento é lento, em fogo baixo, o que torna a comida tenra e saborosa. A tagine, sempre levada à mesa, também dá nome a pratos tradicionais, variando conforme os ingredientes. Outra característica marcante da culinária magreb é o uso de temperos de sabor marcante e ervas aromáticas. Para o nosso cardápio marroquino ( serve 6 pessoas), escolhemos uma entrada de influência mediterrânea mas com sabor local, uma tagine tradicional, o onipresente cuscuz, que acompanha todos os pratos e uma sobremesa que traduz a doce essência do Marrocos.

 

Purê de tomates confitados

Ingredientes: 4 tomates italianos bem maduros ( ou 1 lata de tomate pelati), 1 colher de café de canela em pó, 1 colher de sopa de azeite, ½ xícara de café de açúcar mascavo, 1 colher de sobremesa de gergelim torrado.

Modo de fazer: Tire a pele e as sementes dos tomates e corte-os em cubinhos. Leve-os à panela com o azeite, a canela e uma pitada de sal. Em fogo brando, deixe que se desfaçam. Junte o açúcar, em movimentos de vai-e-vem até formar um purê. Sirva frio, decorado com o gergelim e folhas de hortelã, para comer com pão árabe.

 

Tagine de carne com cebolas e tomates

Ingredientes: 1,5 kg de carne de boi em cubos (pode ser cordeiro), 3 colheres de sopa de azeite, 2 kg de cebolinhas, 3 colheres de chá de canela em pó e ½ pau de canela, 2 colheres de sopa de açúcar, 1,5 kg de tomates cereja bem maduros sem pele e sem sementes, 5 a 8 tomatinhos inteiros, 1 colher de café de açafrão, ¾ xícara de café de salsinha e coentro picadinhos.

Modo de fazer: tempere a carne com sal e pimenta-do-reino. Sele, no azeite, na panela quente ( tagine, de preferência). Retire e reserve. Na mesma panela, doure as cebolinhas cortadas em quatro. Pingue água quente, junte a canela à borra. Acrescente o açúcar, pingue mais água e apure. Junte os tomates macerados e deixe que amoleçam. Pingue água quente, aos poucos, para formar o molho. Volte com a carne. Complete com água fervente até a metade da panela. Abaixe o fogo. Quando a carne estiver quase cozida, junte os tomates inteiros e o açafrão. Misture. Assim que a carne estiver bem macia, desligue e acrescente as ervas. Sirva na tagine.

 

Cuscuz de legumes

Ingredientes: 2 xícaras de chá de cuscuz, 2 xícaras de chá de caldo de legumes caseiro, 2 colheres de azeite, 2 xícaras de chá de ingredientes picados, de sua escolha, como cebola, alho poró, abobrinha, ervilha, vagem, cenoura, favas ou lentilhas pré-cozidas. Azeite e sal. Ervas aromáticas, como salsinha, cebolinha e hortelã.

Modo de fazer: Esquente o caldo e despeje-o em uma tigela. Junte o azeite. Acrescente o cuscuz, aos poucos, mexendo até incorporar. Deixe descansar por 5 minutos. Em uma panela, deite o azeite, passe a cebola (e o alho poró), e vá acrescentando os legumes, do mais duro para o mais mole, até que todos fiquem cozidos. Junte o cuscuz e mexa. Antes de servir, sempre bem quente, acrescente as ervas aromáticas.

 

Tâmaras recheadas

Ingredientes: 18 tâmaras graúdas e macias, 500 gr. de amêndoas despeladas, 100 gr. de açúcar refinado, 2 colheres de sopa de água de flor de laranjeira ( compre em um empório árabe), 1 colher de café de essência de baunilha.

Modo de fazer: bata no miniprocessador as amêndoas com o açúcar e os outros ingredientes. Recheie as tâmaras.

Carne de panela com cerveja preta e especiarias

Standard

Minha filha mais velha, nossa ≠colaboradoracasada, nos convidou para jantar uma noite dessas. Ela inventa as receitas conforme o que lhe dá vontade de comer e esta ficou deliciosa e bastante diferente, portanto, passo a receita para vocês. Além de fácil de fazer ainda é bem econômica! Ela brilhou!

Ingredientes para 8 pessoas: 1,6kg de músculo bovino, 1  1/2 cebola picada em cubinhos, 10 cebolinhas baby , 3 dentes de alho amassados, 1 lata de cerveja preta, 1 lata de pomodorini pelati ( tomate sem pele e sem semente), 1 colher de sopa de ras el hanout* . Opcional: 10 cogumelos Paris fatiados e 1 colher de sopa de mel

*Ras-el-hanout é o nome dado à uma mistura de especiarias feita no Marrocos que normalmente contém, entre outras: gengibre, cardamomo, canela, coentro, cúrcuma, páprica, cominho, noz-moscada, cravo, pimentas e sal. Se não achá-lo para comprar, tente fazer seu próprio tempero com os ingredientes que conseguir.

Dica: Esta receita foi feita no tagine, que é ótimo para fazer carnes cozidas. Se não tiver esta panela especial, faça em alguma outra que seja funda, de preferência de ferro, pois fica no mínimo 3 horas no fogo baixo.

Primeiro separe os ingredientes. Descasque os dentes de alho e as cebolas. Pique a cebola branca em cubinhos bem pequenos para que sumam no molho ao cozinhar. As cebolas baby, deixe inteiras. Amasse os dentes de alho, deixando-os inteiros. Aqueça 1 litro de água.

Esquente a panela e deite azeite para fritar a carne. Retire-a e reserve em um recipiente a parte.  Acrescente a cebola picadinha e deixe que absorva a borra da carne que ficou na panela; se precisar verta um pouco de água quente e mexa até formar um caldo. Coloque os alhos amassados mas inteiros e misture o ras el hanout. Agora acrescente a cerveja e espere que o álcool evapore. Volte com a carne para a panela, abaixe o fogo, tampe a panela e deixe cozinhar por 2hs. Verifique sempre o nível do molho: se secar, vá acrescentando, aos poucos, água quente pelas beiradas (nunca em cima da carne!)

Após 2:30hs de cozimento, acrescente os tomates pelados. Aproveite o molho precioso da lata misturando um pouco de água quente e então despeje-o na panela. Junte as cebolinhas baby inteiras.

Quando completar 3hs de cozimento, caso queira, acrescente os cogumelos fatiados e o mel. Deixe cozinhar por mais 30 minutos e está pronto!

Sirva com gnocchi de mandioquinha e um bom vinho francês.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

carne cozida Mariana

Cordeiro com favas, figos e amêndoas

Standard

No último final de semana, a minha filha mais velha recebeu a irmã blogueira para um jantar ousado: queria reproduzir um prato que havia comido em Istambul, na Turquia.  Não achando a receita em lugar algum, guiou-se pela lembrança do prato e dos truques de sempre para reinventá-la. Soube que ficou divino! Vamos à receita – que me foi passada por minha filha – feita para 4 a 6 pessoas. 

Anote os ingredientes para a marinada, ou seja, o preparo, na véspera, da carne com o tempero: 1 kg de pernil de cordeiro cortado em cubos, sal e pimenta do reino, 2 cebolas médias cortadas em quatro, 2 dentes de alho, o suco de 1 limão siciliano, 1 xícara de chá de azeite, 1 xícara de chá de vinho branco seco e 1 colher de sopa rasa de alecrim fresco. 

Para o preparo da receita:   2 xícaras de chá mal cheias de caldo de carne (feito na véspera com o osso do pernil), 20 unidades de cebolinhas baby, 1 colher de sopa cheia de bacon picado, 2 xícaras de favas brancas já cozidas, 1 colher de sopa de bacon picadinho, 100 gr de figos secos e 50 gr de amêndoas com casca.

Na véspera, separe a carne do osso do pernil, corte-a em cubos e tempere com sal e pimenta do reino. Corte as cebolas, amasse um pouco os dentes de alho e misture-os à carne em um recipiente (gosto de usar a assadeira para a marinada). Deite por cima o suco de limão, o azeite e o vinho e distribua o alecrim de forma igual. Misture e espalhe tudo com as mãos pois a marinada deve envolver toda a carne. Cubra com filtro plástico e deixe na geladeira por, no mínimo, doze horas, virando a carne na metade do tempo para que toda ela absorva o tempero.

Aproveite o osso (e a carne grudada à ele) para fazer um bom caldo de carne. Você vai precisar dele para o  preparo do prato no dia seguinte, mas veja a dica: faça o caldo usando pouca cebola ou restará com gosto demasiado forte para esta receita. Depois de pronto, guarde-o na geladeira. 

Também de véspera deixe as favas de molho. Facilitará o seu cozimento no dia seguinte.

O preparo deve começar pelo menos três horas antes de seus convidados chegarem. Tire a marinada da geladeira e deixe a carne alcançar a temperatura ambiente. Separe-a do tempero e reserve.

Cozinhe as favas na água quente até ficarem ao dente. Retire da panela e reserve ( favas e caldo). Enquanto isso, descasque as cebolas baby e esquente o caldo de carne feito na véspera.

Prepare a carne: aqueça bem uma panela para selar a carne. (Dica: usei um tagine pelas vantagens no cozimento deste tipo de receita, mas você pode fazer a receita em outra panela qualquer – se for de ferro, tanto melhor. Apenas lembre-se que deve ter tampa). Para dourar a carne, deite um pouco de óleo e acrescente os cubos de carne aos poucos, a fim de não dar água. Se necessário, retire os pedaços já corados e reserve-os à parte. Quando terminar, retire toda a carne da panela e reserve. Aproveite a borra da panela para dourar as cebolas baby, acrescentando mais um pouco de óleo. Retire as cebolas já douradas e reserve-as. Volte com a carne toda para a panela. Acrescente o caldo já quente. Tampe a panela com um alumínio e por cima coloque a tampa. Abaixe o fogo. O cozimento da carne se dará, no mínimo, em duas horas.

Faça o ensopado de favas: pique ligeiramente a metade das cebolas já douradas na borra da carne e reserve um dente de alho da marinada. Deite um pouco de óleo em outra panela, esquente-o e frite o bacon e o alho. Em seguida, acrescente as cebolas e junte as favas com o caldo do seu cozimento. Deixe em fogo baixo até que as favas amoleçam e incorporem o caldo. Reserve. 

Junte tudo: na metade do cozimento da carne (cerca de 1 hora depois que abaixou o fogo), misture o ensopado de favas à carne. Acrescente os figos secos e as amêndoas. Cozinhe por mais, no mínimo, uma hora ou até que a carne esteja quase desfiando – tente parti-la com uma colher. Dica: o tempo irá variar de acordo com o seu fogão, a panela usada, etc. – então confira aos poucos se o caldo está secando e neste caso, vá acrescentando água quente, pelas beiradas, até o completo cozimento da carne. 

Quando tudo estiver cozido, desligue o fogo e deixe a panela tampada. Estará perfeito quando for servir aos seus convidados!

Como opções de entradas sugerimos: pão árabe com homus e salada de romã. O homus você já aprendeu como fazer aqui no blog, a salada ensinaremos em breve!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Lombo de porco com damasco e especiarias

Standard

Outro dia minha filha casada, que mora em Belo Horizonte, prometeu à alguns amigos uma receita exclusiva para um almoço especial. Como sempre está muito ocupada, deixou as compras para a véspera e precisava de alguma preparação simples, porém original e deliciosa. Com saudade do sabor da receita com especiarias que fizemos outro dia –  cordeiro no tagine – ela resolveu testar uma receita nova de lombo de porco. Como toda vez que inventamos uma receita nesta família, nos reunimos para a festa!

Ingredientes: 1,5 kg de lombo,  3 cebolas, 100 gr. de bacon, 10 damascos, 6 colheres de sopa de azeite de oliva e o seguinte temperinho especial: 1/2 colher de café de gengibre em pó, 1/2 colher de café de coentro, 1 colher de café de salsinha picadinha, 1 colher de café de açafrão, 1 colher de sopa de canela e 2 colheres de sopa de açúcar refinado. Misture tudo com capricho até formar uma massa homogênea.

Tempere a carne de porco de véspera, com uma mistura de sal com alho e pimenta-do-reino. Para 1,5 kg de carne, basta uma 1 colher de sopa. Fure o lombo com um garfo para o tempero entranhar. Coloque o lombo em um saco plástico e despeje dentro 1 xícara de café de vinho branco (melhor ainda se for rosé), para que o tempero se distribua de forma uniforme. Feche o saco bem apertado e deixe-o na geladeira.

Vamos começar o preparo. Antes de tudo aqueça um caneco de água. Água fria estraga qualquer receita. Corte o lombo de porco, na transversal, em fatias de 1 dedo de espessura e depois cada fatia em tirinhas de 1 dedo. Corte as cebolas em oito partes cada e o bacon em fatias grossas.

Como na receita do cordeiro, usamos a panela que tem o nome de  tagine. Se tiver oportunidade, compre um pra você – costuma ter em lojas de produtos para casa e cozinha em países onde há população árabe ou muçulmana. Nem precisa ser na África ou no Oriente Médio. Em Bruxelas, por exemplo, é fácil de achar, tem até na Ikea, aquela super loja com preços ótimos. A vantagem é que o tempo de cozimento é reduzido, como em uma panela de pressão, com a diferença que acentua o sabor dos alimentos e conserva todas as propriedades naturais. Para receitas com especiarias então é uma maravilha, recomendo!

No prato fundo do tagine ou em uma panela de fundo grosso, deite metade do azeite e frite a metade do bacon. Acrescente a cebola toda e quando esta estiver quase translúcida e dando água, misture o tempero. Veja na foto que o tempero deve colorir a cebola de forma uniforme. Se estiver sem caldo, acrescente água quente pelas beiradas. 

Em uma frigideira, frite o restante do bacon e sele a carne ( doure até mudar de cor) Quando estiver corada, misture a carne à cebola no tagine, tampe a panela e deixe em fogo baixo até que fique macia. No tagine leva cerca de 20 minutos para cozinhar, em uma panela normal, pelo menos 40. Quando estiver quase pronta, junte os damascos e misture. Retire os pedaços de bacon que estiverem inteiros e deixe os damascos amolecerem.

Sirva com arroz branco.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Cordeiro marroquino no tagine

Standard

Desde que chegou do Marrocos, minha filha queria estrear a panela de barro trazida de Safi. A panela tem um prato fundo embaixo, uma tampa em formato de cone com um furo superior (para sair o vapor) e se chama tagine. Ela queria fazer uma receita de cordeiro igual à que comeu (e adorou) em um dos restaurantes que frequentou mas, apesar de lembrar-se do visual e do sabor da iguaria, não sabia como prepará-la. Pois a menina pesquisou várias receitas e até me pediu para traduzir uma do francês para o português. Analisou todas e depois de juntar uma ideia daqui e outra dali, resolveu testar à sua maneira. Novamente a família blogueira se reuniu. Não só o cordeiro ficou quase igual ao prato original como nos surpreendeu pelo delicioso sabor e aroma. Mais uma excelente receita para o nosso repertório!

Tagine de cordeiro com ameixas e tâmaras

Para 4 pessoas considere 800 gr. de pernil de cordeiro em cubos, sal, pimenta do reino, 3 colheres de sopa de azeite, 1 cebola, 2 dentes de alho amassados, 1 colher de sopa cheia de ras-el-hanout*, 2 colheres de sopa de mel, 1 pauzinho de canela, 12 ameixas e 12 tâmaras.

Para o molho, separe os ingredientes usuais de um bom caldo de carne: 1 colher de azeite, 1 cebola, 3 talos de salsão, 1 cenoura e 1 bouquet garni.

Preparo da carne: se comprar o pernil inteiro, congelado e com osso, deve pesar aproximadamente 1,5 quilos. Deixe descongelar na geladeira e retire o osso cuidadosamente: com a ponta da faca faça um corte longitudinal até encontrar o osso e a partir daí, vá cortando ao redor e abrindo a peça. Guarde o osso e as aparas da carne para o caldo. Corte a carne que retirou dos ossos em cubos e tempere-a com 1 colher de chá cheia de sal e 1 uma boa pitada de pimenta-do-reino, deixando descansar por, pelo menos, 1/2 hora.

Preparo do caldo: coloque a panela de pressão aberta no fogo e quando estiver quente, deite 1 colher de azeite e frite as aparas da carne com o osso. Quando estiverem coradinhas, frite a cebola e acrescente os talos de salsão e a cenoura. Cubra com água pré-aquecida, acrescente o buque garni e tampe a panela. Conte uns 20 minutos depois que começar a apitar para desligar o fogo. Coe o caldo, desprezando os restos. Coloque o caldo de carne coado para aquecer em um caneco.

Na tagine, ou em uma panela comum, deite 3 colheres de azeite. Deixe esquentar e frite a carne até corar, no fogo forte, sem deixar dar água (se precisar passe-a aos poucos). Retire a carne e reserve, deixando a borra com o caldo da carne na tagine.

Pique a cebola em pedacinhos e amasse os dentes de alho grosseiramente. Frite a cebola e depois o alho na borra da carne. Acrescente o mel e o ras-el-hanout e mexa bem.

Agora volte com a carne já corada para a tagine e despeje um pouco do caldo quente pelas beiradas até que a carne fique semi-coberta. Tampe e deixe cozinhar por aproximadamente 30 minutos ou até verificar que a carne está macia (na panela normal deve demorar um pouco mais, neste caso, vá pingando o caldo aos poucos).

Quando a carne estiver quase no ponto, coloque as ameixas e tâmaras (sem os caroços) de modo que fiquem entremeadas com a carne. Acrescente mais caldo quente pelas beiradas se necessário. Coloque também o pauzinho de canela e feche novamente a tampa. Deixe que as frutas amoleçam e cozinhem junto com a carne por mais uns 10 minutos. Quando a canela começar a perfumar o ambiente é hora de tirar o pauzinho. Prove o sal e veja se é necessário acrescentar mais tempero. Está pronto!

Sirva o cordeiro acompanhado de cuscuz marroquino.

Preparo do cuscuz:

Aproveite o caldo da carne que você preparou e misture-o no preparo do cuscuz: coloque em uma panela funda 1 copo de cuscuz, 1 copo de água e 1 copo do caldo de carne. Cubra com um pano limpo e espere que absorva o líquido. Depois é só esquentar e salgar a gosto.

*Ras-el-hanout é o nome dado à uma mistura de especiarias feita no Marrocos que normalmente contém, entre outras: gengibre, cardamomo, canela, coentro, cúrcuma, páprica, cominho, noz-moscada, cravo, pimentas e sal. Se não achá-lo para comprar, tente fazer seu próprio tempero com os ingredientes que conseguir.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.