Frango assado na cerveja de cereja

Standard

Com a chegada da primavera, a seção de frutas e verduras do supermercado da Filial Bruxelas logo mudou de cara. Vi esses tomatinhos coloridos e não resisti! Eu já tinha ouvido falar de tomates verdes, ou dos famosos “tomates verdes fritos” mas amarelo eu nunca tinha visto. Andei perguntando por aí e parece que é uma especialidade belga. E então não perdi tempo e quis logo experimentar.

Provei o amarelo e o laranja – e que delícia! São bem docinhos e suaves, bem a cara do verão. Achei que o sabor suave com leve acidez ia combinar com a cerveja Kriek de cereja, que já usamos por aqui em outras receitas. Combinei também com o frango ao molho de mostarda, que também já passou por aqui, pois frango preparado no forno é o meu prato predileto quando tenho outros afazeres em casa – domésticos ou no computador – e quero deixar a comida no forno e (quase) esquecê-la.

Então vamos aos preparos, tudo bem simples e rápido.

Frango com tomatinhos assado na cerveja Kriek

Separe uma assadeira, tempere 4 peças de frango (2 coxas e 2 sobrecoxas) com 1 colher de sobremesa cheia de sal com alho e mais 1 colher de chá de mostarda. Reserve.

Enquanto o frango absorve o tempero, lave 1 xícara de café de tomatinhos (se não achar os coloridos, vá de tomate cereja mesmo) e descasque 2 ou 3 cebolas baby.

Depois de meia hora no tempero, coloque as peças de frango na assadeira e despeje a cerveja até cobrir o frango pela metade. Leve ao forno a 180 graus.

Quando o frango já estiver branco por fora – a meio cozimento – retire do forno, escorra o caldo da cerveja que sobrou e reserve-o para depois. Espalhe as cebolas e os tomatinhos ao redor e volte para o forno.

Quando o frango estiver corado, os tomates enrugados e a cebola transparente, despeje o caldo reservado, volte para o forno e deixe até que reduza, sem deixar queimar!

Para servir, coloque o frango sobre purê de batatas ou purê de mandioquinha e os acompanhamentos nos espaços vazios. Com cuidado, retire o caldo que sobrou na assadeira com uma colher e despeje sobre tudo.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Salmão com brócolis e aspargos, combinação perfeita

Standard

Temporada de pratos rápidos aqui no blog. Aproveitando meus últimos dias na Bélgica, passeando com a filha (que estuda em Leuven) por Bruxelas, Leuven, Gant e Bruges, mal temos tempo para comer. Mas nada como chegar em casa cansadas e prepararmos uma refeição bem gostosa para terminar o dia. Hoje vamos mostrar uma receita tripla, para você fazer tudo ao mesmo tempo e rapidinho.

Salmão com mostarda Dijon, aspargos e tomates na manteiga de ervas e arroz de brócolis

Para 2 pessoas separe: 2 postas de salmão de 150 gr.,1 colher de café rasa de sal, 1 colher de sobremesa rasa de pasta de mostarda Dijon (em grãos) e 1 colher de sopa de manteiga. Legumes: 4 talos de aspargos brancos, 1 tomate tipo italiano bem maduro, 1 colher de chá de ervas picadinhas mais 1 colher de sobremesa de manteiga. Arroz de brócolis: 2 xícaras de chá de buques de brócolis, 1 colher de sobremesa de cebola ralada, 4 alhos picadinhos, 1 xícara de chá de arroz cru, 1 colher de sopa de azeite.

Lave as postas do salmão, seque-as com um pano e espalhe ligeiramente o sal. Reserve.

Lave os aspargos. Corte o tomate em quatro e tire as sementes. Pique as ervas ( salsinha e cebolinha) e o alho. Passe 1/2 cebola no processador.

Coloque água para ferver. Lave e pique o brócolis. Bata metade do brócolis no liquidificador com um pouco de água quente. Tome uma panela, deite o azeite e doure a cebola e o alho. Coloque o arroz e frite-o até os bagos ficarem translúcidos. Despeje o brócolis batido e complete com água quente até 1 dedo acima do nível do arroz. Prove o sal. Abaixe o fogo, tampe a panela e deixe a água secar. Quando o nível da água estiver abaixo do arroz, misture os buquês de brócolis com delicadeza, ponha mais água se o arroz ainda estiver duro e deixe que acabe de cozinhar. Finalize salpicando e misturando levemente metade das ervas.

Enquanto o arroz cozinha, coloque 2 frigideiras sobre o fogão. Na primeira, deite 1 colher de sopa de manteiga e a mostarda misturadas. Coloque o salmão com a pele virada para baixo. Vá banhando a parte de cima com a manteiga até que o salmão fique corado. Espete o garfo para ver se já está macio e desligue. Se começar a queimar por baixo, abaixe o fogo.

Ao mesmo tempo, na segunda frigideira, deite 1 colher de sobremesa de manteiga e coloque os aspargos e o tomate, um de cada lado. No fogo baixo, vire-os de um lado e outro até amaciarem. Salpique o restante das ervas.

Sirva o prato colocando o salmão, o arroz de brócolis , os aspargos e o tomate como na foto. Ficou bonito! Bom apetite!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Carbonade Flamande 

Standard

O pais à noroeste da Europa hoje conhecido como Bélgica, é vizinho da França, da Alemanha e da Holanda.  Na antiguidade, foi habitado por povos celtas e germânicos – cuja tribo dos francos invadiu a região e a colonizou. É uma federação composta por três regiões políticas distintas – ao sul fica a Valônia ( habitada pelos belgas de língua francesa), ao norte a região de Flanders ( habitada pelos flamencos) e, inserida nesta última como um enclave bilingue, a terceira – a região metropolitana da capital  Bruxelas. Hoje a cidade conta com imigrantes de todo o mundo, tendo sido escolhida como sede da Comunidade Europeia. Composta por 19 comunas, tem uma população urbana de pouco mais de 1 milhão de habitantes, formando, junto com sua periferia, uma grande mancha urbana com cerca de 1,8 milhão de pessoas.

Naturalmente, sua gastronomia sofre profunda influência francesa e também algo da culinária alemã, não esquecendo a popularidade da culinária italiana e, mais recentemente, a influência do fast-food americano e das comidas típicas de seu vasto contingente de imigrantes, sobretudo marroquinos e paquistaneses. Pois neste caldeirão gastronômico, resolvemos pesquisar qual poderia ser eleito o prato típico do país. Tarefa difícil, mas nos chamou a atenção a frequencia com que um prato de nome Carbonade Flamande estava presente na maioria dos cardápios dos restaurantes de comida que poderia ser chamada de belga. Traduzindo, é uma preparação de carne de origem flamenca antigamente feita sobre carvão, ou seja, cozida. Pedi o prato em três restaurantes diferentes e em cada um foi apresentada de um jeito diferente. Recorri aos livros tradicionais de receitas e, enfim, cheguei ao que pode ser o mais perto possível da receita tradicional. Testamos com todo o empenho e carinho e, sem falsa modéstia, ficou muito mais gostoso que nos restaurantes. Aqui vai a receita:

Carbonade Flamande

Para 4 pessoas compre ou separe os seguintes ingredientes: 400 gr. de carne de boi para cozinhar (no Brasil, escolha patinho ou chã-de-dentro). Para temperar a carne:  1 colher de sobremesa rasa de sal com alho, 1 pitada de pimenta do reino e 2 a 3 folhas de louro. Para o cozimento da carne: 3 colheres de sopa de azeite, 1 colher de sopa cheia de bacon picadinho, 1 a 2 cebolas, 1 a 2 cenouras, 2 colheres de sopa de molho de tomate (ou passata), 1 colher de sopa de mostarda Dijon em grão (já preparada), 1 colher de sobremesa de molho inglês, 1 garrafinha de 330 ml de cerveja artesanal loura de dupla fermentação – aqui na Bélgica eu usei a Leffe.

Corte a carne em cubos e tempere-a de véspera.

Em uma panela funda, deixe o azeite esquentar e frite a carne (no fogo alto) até ficar bem coradinha. À parte, ponha água para esquentar.

Junte o bacon e deixe fritar junto com a carne. Abaixe o fogo. Acrescente a cebola picada em fatias finas. Deixe dourar. Se precisar, para não queimar a cebola, pingue um pouquinho de água quente. Junte a cenoura cortada em juliana (lascas finas e regulares). Acrescente imediatamente água fervente, pelas laterais da panela – sem deixar cair sobre a carne – até a cobrir parcialmente. Tempere o caldo com o molho de tomate, a mostarda em grão, o molho inglês e a pimenta do reino. Prove o sal.

No fogo baixo, com a panela semi tampada, deixe que o caldo seque até a metade do nível da carne. Neste ponto, a carne já deve estar quase cozida. Se não estiver, junte mais água fervente e deixe a carne amaciar. Acrescente então a cerveja e deixe que a carne acabe de cozinhar. Se precisar, junte mais água, sempre quente. Prove, retifique o tempero. Se já tiver desaparecido o gosto de cerveja e a carne estiver bem macia, está pronto!

Sirva com batatas cozidas com casca e temperadas com uma pitada de sal e pimenta do reino – uma por pessoa.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

 

 

 

 

Salmão com risotto siciliano

Standard

Havia algum tempo que eu andava afastada do salmão, sem nenhuma vontade de comer este peixe das águas frias do litoral do Pacífico, hoje de consumo tão popular no nosso país. Das últimas vezes que pedi salmão em restaurantes aqui no Brasil, o sabor não me agradou e já estava quase concordando com os argumentos de certas pessoas que detestam salmão. Mas resolvi ensinar a preparar salmão em uma das minhas aulas de culinária e aí o compromisso de fazê-lo bem feito ficou sério. Fui então ao Mercado Central e lá comprei um peixe inteiro bem bonito, com cara de fresco ( bem, na verdade, descongelado, pois moro em Belo Horizonte, a quilômetros de um mar ou rio de água fria). Na aula, preparei um Salmão à Belle Meunière ( para ver a receita neste blog clique aqui) com 2/3 do peixe.  As alunas adoraram! Guardei o restante para fazer no domingo para a família. Fiz um salmão assado ao mel e mostarda acompanhado de risotto ao limão siciliano. Ficou delicioso, merecendo ser colocado nesta seção Gourmet, embora o preparo seja bastante fácil. Mesmo que você não tenha muita experiência em cozinha, pode arriscar-se a prepará-lo para os seus convidados, pois estou certa de que fará sucesso!

Salmão crocante ao mel e mostarda

Preparo do peixe:

Compre, de véspera, um peixe inteiro e peça para limpá-lo bem, raspando a pele e cortando-o ao meio no sentido horizontal, retirando a espinha. Pode deixar a cabeça e a ponta do rabo na peixaria e levar para casa o peixe já aberto. Prepare, em uma bacia, uma salmoura, usando, para cada quilo de peixe, 1 colher de sobremesa de sal, suco de 1/4 de limão siciliano, 1 colher de sobremesa de vinagre de vinho branco e 1 xícara de café de espumante rosé (pode ser vinho branco, se não tiver). Passe o peixe pelo lado da pele na salmoura e depois assente-o, pelo lado da carne, sobre a salmoura. Tampe a bacia com um plástico grosso e leve-o à geladeira de um dia para o outro.

Meia hora antes de servir o almoço ou jantar, ligue o forno a 250 graus. Unte uma assadeira com óleo e coloque o peixe com a pele para baixo. Leve ao forno até que o peixe fique corado ( dependendo do forno, pode levar de 20 a 30 minutos). Teste com um garfo se a carne está macia. Tire o peixe do forno e coloque-o tampado em um local fechado.

Preparo do molho:

Separe, para cada quilo de peixe, 1 colher de sobremesa de manteiga, a mesma quantidade de mel e uma colher de café de mostarda de Dijon em grãos. Quando o peixe dourar, tome uma frigideira e derreta a manteiga no fogo médio. Junte o mel e depois a mostarda. Misture bem e pincele sobre o peixe ainda quente. Volte ao forno por 3 minutos só para tostar.

DSCN2868

 

Risotto ao limão siciliano

Primeiro, antes de colocar o salmão no forno, prepare um bom caldo de legumes. Ponha para cozinhar em 1,5 lt. de água: 1 cenoura, 2 caules de aipo (ou salsão), 1 cebola, 1 cabeça de alho, 1 buquê de salsa e cebolinha, 1 xícara de café de repolho cortadinho. Deixe fervendo.

Assim que colocar o salmão no forno, inicie o preparo do arroz.

Para 6 pessoas você irá precisar de: 2 xícaras de chá de arroz carnaroli ou arbóreo, 1/2 xícara de café de azeite, 1 xícara de café de cebola ralada, 1 xícara de chá de espumante brut ( pode ser vinho branco), 1 limão siciliano, 1 colher de café de sal com alho, 1 colher de sobremesa de sal, 100 gr. ou 1 xícara de café de queijo pecorino ralado grosso.

Passe o limão no ralador e reserve as raspinhas.

Tome uma panela média, coloque metade do azeite e frite a cebola até começar a dourar. Frite o sal com alho, acrescente o restante do azeite e depois o arroz. Mexa com uma colher de pau. Quando o arroz mudar de cor (fica translúcido), junte o espumante e deixe que o álcool evapore. A esta altura, coe o caldo de legumes. Acrescente-o ao arroz até cobri-lo. Abaixe o fogo. Mexa, de tanto em tanto, para que não agarre no fundo da panela e vá acrescentando o caldo quente até verificar que o arroz está começando a amolecer. Acrescente então o suco de 1 limão siciliano. Tempere com sal, um pouquinho de pimenta do reino branco e um tico de açafrão. Prove o tempero. Deixe que a água do arroz diminua até que os grãos fiquem de al dente para menos e comecem a formar uma pasta. Neste ponto, ainda com o arroz molhado, jogue o queijo e dê a última misturada.Desligue e tampe a panela. Se não for servir imediatamente, deixe o arroz ainda com algum caldo, que irá secar sozinho. Ao servir, salpique as raspinhas do limão.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Almoço mineiro em Tiradentes

Standard

No último final de semana fomos à cidade histórica de Tiradentes, em Minas Gerais, para a inauguração do Museu de Sant’Ana. É mais um presente que Minas ganha do Instituto Cultural Flávio Gutierrez, criado e presidido por sua dinâmica e dedicada filha Ângela Gutierrez. Em 1998, Ouro Preto ganhou o Museu do Oratório; em 2005, Belo Horizonte recebeu o Museu de Artes e Ofícios. Neste último 19 de setembro foi a vez de vermos a antiga Cadeia de Tiradentes transformada no esplêndido museu dedicado às 291 imagens de Sant’Ana, descobertas e trazidas pela colecionadora de vários estados do Brasil e agora doadas por esta extraordinária mulher ao Patrimônio Histórico para constituir este museu.

Vá conhecer os dois outros museus (se ainda não foi) e o novíssimo Museu de Sant’Ana, pois têm obras belíssimas e são muito interessantes.

Porém este é um blog de gastronomia! Aqui compartilhamos os deliciosos pratos e doces da tradicional culinária mineira servidos no almoço de sábado, após nossa visita ao museu.

O conhecido chef Cantídio Lanna preparou para esta ocasião especial – vejam por ordem das fotos:

1- Cuscuz com açafrão, linguiça defumada e feijão roxinho, acompanhado de crespinho de couve;

2- Galinhada (nesta sou craque, passarei a receita em breve);

3 – Lombo de pirarucu (peixe grande encontrado nos rios da Amazônia) com ora-pro-nobis ( folha de uma trepadeira do mato muito comum no interior) e purê de banana da terra ( este estava divino, vou tentar repetir e passarei a receita);

4- Jarré de porco com angu (preparado de fubá com água) e mostarda (trata-se de uma folha de horta um pouco amarga muito apreciada no interior de Minas).

Vejam a maravilha dos doces mineiros – nome nas fotos:

IMG_5332

Doces cristalizados: laranja, mamão verde, abóbora moranga, abacaxi e figo

Estes doces merecerão receitas feitas uma a uma: com tempo iremos preparando e publicando. Minha avó, nascida em Ouro Preto, fazia muitíssimo bem todos eles e tive a chance e a sorte de aprender com ela.

Frango macio e suculento

Standard

Há certas receitas que fazemos um belo dia por mero acaso – ou com os ingredientes que achou na sua frente – e ficam tão deliciosas que se tornam prediletas. Quando é fácil de preparar então se torna perfeita! Esta só tem um defeito: como é de forno leva quase duas horas para ficar mesmo especial. Mas…qual o problema? Faça assim: tempere o frango de véspera ou na hora que for em casa almoçar e deixe na geladeira.  Quando chegar em casa ao fim da tarde é só colocar no forno. Aí você vai tomar um banho, ver Tv, cuidar da sua vida e… Oh! o frango já deve estar pronto!

Frango assado com mostarda e mel

Para 2 pessoas, compre 2 coxas. Veja se tem em casa: cebola, mostarda ( pode ser aquela amarela cremosa comum ou a tipo Dijon, que vem com os grãozinhos em uma pasta). Separe cada coxa em duas partes ( coxa e sobre-coxa) e passe na água fervente. Prepare um tempero com sal e alho, cebola batidinha e mostarda. Passe no frango e deixe no tempero por, no mínimo, meia hora. Pré- aqueça o forno a 180 graus. Vai precisar de um pedaço de papel alumínio. Pegue uma assadeira e unte o fundo com 2 fios de óleo. Coloque as coxas, tampe com o papel alumínio e leve ao forno por uma hora e meia a duas. Mantenha um caneco com água quente no fogão, pois caso notar que o frango está secando, não deixe! Pingue água quente. Se for fazer outras coisas, já ponha um pouco de água na assadeira assim que a carne mudar de cor. Quando o frango estiver corado e macio ( espete o garfão para verificar) , retire do forno. Esquente o mel no microondas para que ele fique bem líquido e misture com um pouco de mostarda – aí é melhor você misturar a mostarda Dijon. Espalhe a mistura sobre o frango, vire as peças do lado contrário ao que estava e volte para o forno, sem o papel alumínio, para terminar de corar.

Se quiser fazer um prato único, coloque na assadeira um ou dois destes ingredientes: batata crua cortada em quatro, cebola cortada em quatro ou cebola baby inteira ou tomate maduro cortado em quatro ( sendo que o tomate e a cebola você vai colocar só na última meia hora de cozimento e a batata desde o princípio).

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

 

 

Batata na salada, curinga na mão

Standard

Uma salada de batatas é um curinga que você tem na mão. Pode ser servida fria, como tira-gosto para uma cerveja bem gelada ou como entrada, junto à salada de folhas verdes. Servida quente, é uma excelente guarnição para acompanhar carnes.

Batata combina com cebola e com frios, tipo salaminho ou salames picantes e também com embutidos, tipo salsicha e linguiça. E, claro, nos lembra a culinária alemã. Então, vamos chamar esta receita que preparamos agora de

Salada alemã de batatas

Separe um caneco para cozinhar as batatas e uma frigideira para fritura.

Para 2 pessoas escolha 2 batatas médias e separe ½ cebola e 1 colher de sobremesa de bacon picadinho. Escolha um destes ingredientes: salaminho fatiado (o que eu prefiro), mortadela em cubos, salsichão ou linguiça aferventada e cortada em pedaços (de tamanho que dê para colocar na boca sem ter que partir).

Para o molho, misture: 1 gema, 1 colher de sobremesa de cada um desses: azeite, vinagre de vinho tinto e mostarda amarela. Tempere com 5 gotas de molho inglês, pimenta do reino e sal.

Cozinhe as batatas ao dente, despele e corte em cubos.  Frite a cebola e o bacon picadinhos em um fio de azeite. Tire do fogo, junte os cubos de batata e mexa com cuidado. Junte o salaminho (ou outro ingrediente que escolher), acrescente o molho e misture com cuidado para não desmanchar a batata.

Quer esta receita impressa? Clique aqui e baixe o PDF pra imprimí-lo.