Carbonade Flamande 

Standard

O pais à noroeste da Europa hoje conhecido como Bélgica, é vizinho da França, da Alemanha e da Holanda.  Na antiguidade, foi habitado por povos celtas e germânicos – cuja tribo dos francos invadiu a região e a colonizou. É uma federação composta por três regiões políticas distintas – ao sul fica a Valônia ( habitada pelos belgas de língua francesa), ao norte a região de Flanders ( habitada pelos flamencos) e, inserida nesta última como um enclave bilingue, a terceira – a região metropolitana da capital  Bruxelas. Hoje a cidade conta com imigrantes de todo o mundo, tendo sido escolhida como sede da Comunidade Europeia. Composta por 19 comunas, tem uma população urbana de pouco mais de 1 milhão de habitantes, formando, junto com sua periferia, uma grande mancha urbana com cerca de 1,8 milhão de pessoas.

Naturalmente, sua gastronomia sofre profunda influência francesa e também algo da culinária alemã, não esquecendo a popularidade da culinária italiana e, mais recentemente, a influência do fast-food americano e das comidas típicas de seu vasto contingente de imigrantes, sobretudo marroquinos e paquistaneses. Pois neste caldeirão gastronômico, resolvemos pesquisar qual poderia ser eleito o prato típico do país. Tarefa difícil, mas nos chamou a atenção a frequencia com que um prato de nome Carbonade Flamande estava presente na maioria dos cardápios dos restaurantes de comida que poderia ser chamada de belga. Traduzindo, é uma preparação de carne de origem flamenca antigamente feita sobre carvão, ou seja, cozida. Pedi o prato em três restaurantes diferentes e em cada um foi apresentada de um jeito diferente. Recorri aos livros tradicionais de receitas e, enfim, cheguei ao que pode ser o mais perto possível da receita tradicional. Testamos com todo o empenho e carinho e, sem falsa modéstia, ficou muito mais gostoso que nos restaurantes. Aqui vai a receita:

Carbonade Flamande

Para 4 pessoas compre ou separe os seguintes ingredientes: 400 gr. de carne de boi para cozinhar (no Brasil, escolha patinho ou chã-de-dentro). Para temperar a carne:  1 colher de sobremesa rasa de sal com alho, 1 pitada de pimenta do reino e 2 a 3 folhas de louro. Para o cozimento da carne: 3 colheres de sopa de azeite, 1 colher de sopa cheia de bacon picadinho, 1 a 2 cebolas, 1 a 2 cenouras, 2 colheres de sopa de molho de tomate (ou passata), 1 colher de sopa de mostarda Dijon em grão (já preparada), 1 colher de sobremesa de molho inglês, 1 garrafinha de 330 ml de cerveja artesanal loura de dupla fermentação – aqui na Bélgica eu usei a Leffe.

Corte a carne em cubos e tempere-a de véspera.

Em uma panela funda, deixe o azeite esquentar e frite a carne (no fogo alto) até ficar bem coradinha. À parte, ponha água para esquentar.

Junte o bacon e deixe fritar junto com a carne. Abaixe o fogo. Acrescente a cebola picada em fatias finas. Deixe dourar. Se precisar, para não queimar a cebola, pingue um pouquinho de água quente. Junte a cenoura cortada em juliana (lascas finas e regulares). Acrescente imediatamente água fervente, pelas laterais da panela – sem deixar cair sobre a carne – até a cobrir parcialmente. Tempere o caldo com o molho de tomate, a mostarda em grão, o molho inglês e a pimenta do reino. Prove o sal.

No fogo baixo, com a panela semi tampada, deixe que o caldo seque até a metade do nível da carne. Neste ponto, a carne já deve estar quase cozida. Se não estiver, junte mais água fervente e deixe a carne amaciar. Acrescente então a cerveja e deixe que a carne acabe de cozinhar. Se precisar, junte mais água, sempre quente. Prove, retifique o tempero. Se já tiver desaparecido o gosto de cerveja e a carne estiver bem macia, está pronto!

Sirva com batatas cozidas com casca e temperadas com uma pitada de sal e pimenta do reino – uma por pessoa.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

 

 

 

 

De volta a Bruxelas !

Standard

Estou de volta a Bruxelas, onde o blog Sal & Alho tem, desde 21 de fevereiro último, sua filial européia. Neste dia, preparamos um prato típico belga – coelho ao molho de cerveja – para marcar a data. Hoje, vamos falar da cidade. E, nos próximos dias, voltamos às nossas receitas de inspiração européia, preparadas com ingredientes frescos na cozinha de nosso apartamento na linda capital da Bélgica, situado bem próximo ao Parque do Cinquentenário.

Quer saber qual a origem da cidade de 1,8 milhões de habitantes que hoje é a sede da União Européia? Por volta do ano 580, construiu-se uma capela dedicada a São Gaugérico em uma ilhota do rio Sena, no caminho fluvial entre as cidades de Gante e Bruges, na região de Flandres, a noroeste da Europa. A partir daí floresceu uma aldeia dedicada ao comércio, sobretudo de víveres para os viajantes. É interessante notar que a belíssima Grand Place (foto acima) – o primeiro lugar da cidade que o turista visita – foi construída sobre a antiga praça do Mercado. Fui dar uma volta e comecei a observar os nomes das ruas ao redor da praça: Rue du Marché aux Herbes (rua das ervas), Rue du Poivre (rua da pimenta), Rue du Marché aux Fromages ( rua do mercado de queijos), Rue au Beurre ( rua da manteiga),Rue du Marché aux Poulets ( rua do mercado dos frangos), Rue du Bouchers ( rua dos açougueiros), Rue des Harengs ( rua dos arengues – um tipo de peixe), Rue des Brasseurs ( rua dos cervejeiros) e por aí vai. Alguém conhece origem mais gastronômica para uma cidade?

E hoje, o que existe de comércio nestas mesmas ruas? Ah! De olhos fechados já se sabe – todo o centro histórico cheira a manteiga, mel e chocolate! As lojas de chocolate dominam – o chocolate belga é sabidamente o melhor do mundo. É de enlouquecer!

 

A cada cem metros vende-se waffle feito na hora com coberturas de chocolate, frutas vermelhas, castanhas e outras delícias.

A batata frita é uma instituição nacional, inclusive alegam que a invenção das famosas french fries é deles ! É servida em cartuchos de papel com diversos molhos à escolha. Os jovens adoram, vêm-se filas enormes mesmo debaixo de temperatura negativa.

 

E a cerveja? Sem dúvida é o produto mais consumido na Bélgica, famosa pela fabricação das melhores cervejas artesanais do mundo. Os primeiros fermentados de cevada – gueuze – eram fabricados por monges trapistas. Hoje continuam com a mesma receita, como uma das mais conhecidas – a Leffe – fabricada desde o ano de 1240! Outras famosas: Chimay, Duvel, Delirium, Mort Subite, La Choufe, Karmeliet, Grimbergen. Há louras, morenas e escuras, destiladas duas ou três vezes. Tem também cerveja fabricada com cereja, chamadas Kriek, que são rosadas e docinhas. Todas ótimas para temperar um prato e para beber enquanto cozinhamos, é claro!

Coelho belga para inaugurar filial européia

Standard

O Blog Sal com Alho está se tornando internacional de verdade! Nada mais natural ter uma segunda sede para um blog que, hoje, é acessado em mais de 90 países e curtido por quase 150 mil pessoas. Além do nosso espaço gourmet em Belo Horizonte, no Brasil, de agora em diante teremos outra cozinha experimental na Europa, em Bruxelas, capital da Bélgica. A blogueira filha mudou-se para cá e será a nossa correspondente na Europa, experimentando e postando receitas da cozinha européia, notadamente a francesa – ponto fortíssimo aqui nesta terra onde os belgas adoram cozinhar – sempre com o perfil de receitas práticas e rápidas para 1 ou 2 pessoas. Como ela prefere levar sua refeição preparada em casa para a universidade, vamos ter muitas receitas para a nossa seção MB – Marmita Business.

No início do mês de fevereiro, as blogueiras mãe e filha estiveram juntas em Bruxelas, vivendo a experiência de morar em um flat ao lado do centro histórico da cidade. Aproveitamos para mostrar, aos que nos seguem, que é possível preparar deliciosos jantarzinhos em uma mini cozinha. Veja as receitas postadas entre 4 e 9 de fevereiro.

Logo depois, já bem instaladas em um apartamento com uma bela vista da cidade, resolvemos inaugurar nossa cozinha européia com uma receita típica belga, que comemos em um ótimo restaurante dia destes e que agora experimentamos, aprovamos com louvor e passamos para vocês.

Coelho belga ao molho de legumes e cerveja

Para 2 pessoas, compre 2 coxas de coelho. Separe: ½ alho poró, ½ cenoura já aferventada, 1 tomate fresco + 1 tomate pelado bem maduro (destes de lata italianos que vendem no Brasil) ou 3 colheres de molho de tomate concentrado, 1 dente de alho, sal, pimenta do reino, molho inglês, 2 colheres de sopa de azeite. Aqui na Bélgica usamos a cerveja Leffe brune para esta receita.

Tempere a carne do coelho com sal e pimenta do reino e deixe por 1 hora no tempero.Pique o alho poró, a cenoura, o tomate fresco e o alho. Esquente 1 colher de azeite na panela, doure o alho, o alho poró, a cenoura e o tomate. Em outra panela, esquente a outra colher de azeite e doure, de um e outro lado, as coxas de coelho até ficaram coradas.

Abaixe o fogo e acrescente ½ garrafinha de 330 ml de cerveja escura. Deixe o álcool evaporar. Junte o refogado de legumes e acrescente ½ xícara de café de água fervendo. Junte o tomate pelado ou o concentrado de tomate, misture até dissolver. Tempere com 1 colher de café de molho inglês e uma pitada de pimenta do reino. Prove o sal. Assim que ferver, tampe a panela e deixe cozinhar no fogo baixo até verificar que a carne está bem macia.

Se precisar, acrescente água fervendo, aos poucos. A carne de coelho leva um pouco mais de tempo que a de frango para cozinhar e fica rosada quando pronta.

Para acompanhar, escolhemos batatinhas baby e couve de bruxelas. Ambas devem ser aferventadas em separado e depois passadas no azeite com um pouco de sal e ervas aromáticas.

Valeu a experiência, pois o coelho ficou delicioso!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Páscoa em Berlim

Standard

Para encerrar o passeio do Sal & Alho pela Europa Central, fomos à grande feira que é montada todos os anos atrás da famosa Porta de Brandemburgo, em Berlim, no feriado de Páscoa, que lá vai de 6a. a 2a. feira, inclusive. Além de feira de comida e bebida, apresentaram este ano variados shows diários com artistas de 23 países diferentes.  No meio da ampla avenida ao centro do parque Tiergarten foi montado um imenso parque de diversões para crianças, com todos os brinquedos e barraquinhas que você possa imaginar. Haviam milhares de pessoas, a maioria famílias alemãs trazendo suas crianças e aproveitando o ensolarado feriado de temperatura amena.

Como não podia deixa de ser, o ponto alto são as tendas das cervejarias. Algumas até montam uma mini fábrica. Outra mania são os Bretzel gigantes servidos doces e salgados, com muitas variedades e formas. Tradição que não pode faltar são as castanhas carameladas vendidas em cartuchos coloridos. Para acompanhar a cerveja, tomada em canecas de até 1 litro, são oferecidos pães e preparados com carnes. Os principais são: boulettes ( hamburger) , knakauer ( salsicha branca), bratwurst ( pão com salsicha) e nakensteak ( steak) 

Hoje os turcos somam uma parcela considerável da população de Berlim. Com suas grandes famílias participavam da festa agregados em grandes mesas comunitárias. O que mais comem é um sanduiche de pão árabe grosso e gigante, recheado com salada de alface e tomate bem temperada e uma almôndega achatada. Para acompanhar, tomam o tradicional café turco, servido em copinhos de vidro.

 

Frango assado rápido e fácil

Standard

Já publicamos várias receitas de frango, tanto as do tipo filé grelhado como as do tipo refogado ou feito na panela. Faltam receitas de frango feito no forno. Estas são bem mais práticas, pois você coloca para assar, marca o tempo e vai fazer outras coisas. Volta e eis que o frango está prontinho!

Para assar, prefiro usar coxa e sobrecoxa, pois a carne é mais saborosa que a do peito, por estar perto do osso. Se for usar peito, deixe com o osso e corte em 3 ou 4 partes. Há várias receitas de frango assado, uma de nossas prediletas é esta:

Frango assado na cerveja

Para 2 pessoas: 2 coxas (vem com a coxa e a sobrecoxa, que devem ser separadas), 4 fatias de bacon, 1 garrafa pequena de cerveja preta – uso a Caracu; tempero: sal, alho, pimenta do reino moída, molho inglês.

Lave o frango e deixe de molho na água fervente por 5 minutos. Escorra e tempere. Deixe no tempero por 15 minutos, se estiver com tempo. Antes de colocar no forno, enrole cada pedaço em 1 fatia de bacon e prenda com palitos, de modo que fiquem mais da metade para fora, para facilitar a retirada depois do frango assado.

Unte o fundo da travessa refratária com um pouco de óleo, ajeite as partes do frango e despeje a cerveja. Deve cobrir o frango e metade da travessa. Aqueça o forno a 250o. Cubra a travessa com papel alumínio e coloque para assar por 15 a 20 minutos –  vai depender de cada forno. Quando fincar o garfo e a carne estiver macia, tire o papel alumínio e deixe corar, sem que o caldo seque por completo.

Pode tirar ou não o bacon antes de levar à mesa.

Sirva acompanhado de arroz ou batata.

Uma boa opção de acompanhamento é a batata ao murro.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo