Pãozinho de batata doce

Standard

Nestas tardes frias de maio dá tanta vontade de tomar um chá quente e comer um pãozinho recém comprado na padaria! Mas para quem tem intolerância à leite e à glúten não é nada fácil, pois dá a maior tristeza quando passamos por uma padaria: não se acha um único pão que possamos comer! Não se aflija, aprenda a fazer este bolinho! Assim nem precisará ir à padaria e terá, feito por você, um pãozinho quentinho e delicioso à qualquer hora. E mais, se você ama comida fitness, este será um de seus pãezinhos prediletos!

Pãozinho de batata doce

Esta receita rende 24 pãezinhos no formato de pão-de-queijo.

Ingredientes: 1 ½ xícara de batata doce bem cozida e amassada, 1 ½ xícara de polvilho doce, 1 ½ xícara de polvilho azedo, 2 colheres de sopa de azeite, 2 colheres de sopa de biomassa de banana verde. Cúrcuma para dar cor e manjericão e sal para temperar.

Primeiro, pré-aqueça o forno a 200 graus.

Misture todos os ingredientes em uma tigela funda e vá acrescentando água, aos poucos, até formar uma pasta com consistência suficiente para enrolar.

Acrescente cúrcuma (cuidado, é pouco!), manjericão desidratado e sal a gosto. Misture bem.

Molde as bolinhas com as mãos, calculando uma colher de sopa bem cheia para cada pãozinho. Disponha-as em uma assadeira grande, untada com um pingo de azeite. Leve ao forno. Retire após 30 minutos ou quando começar a dourar.

Dica: se quiser congelá-los para uso posterior, disponha-os separadamente sobre uma superfície plana (uma assadeira, por exemplo) e leve-os ao congelador por 3 horas. Depois é só colocá-los em saquinhos plásticos e voltar para o congelador.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Pão saudável na omeleteira

Standard

Ganhei uma omeleteira bem na época quando descobri minha intolerância a ovos. Então deixei-a guardada, esperando um dia poder fazer uso dela. Pois, fazendo experiências, descobri um jeito de usá-la e ainda fazer um pão saudável de maneira super rápida! Mas mesmo se você não tiver intolerância a ovo é uma ótima opção para quem tem intolerância a glúten e também a lactose. Ou quer um pão feito em casa muito saudável.  Em minha casa estamos tentando diminuir o consumo de pão de forma industrializado e esta receita é uma opção bem gostosa.

Misture bem: 1 colher de sopa de farinha de arroz, 1 colher de sopa de amaranto, 1 colher de sopa de polvilho doce, 1 colher de sopa de linhaça dourada em pó, hidratada em 2 colheres de sopa de água (ou 1 ovo). 1/2 colher de sopa de azeite, 2 colheres de sopa de água, sal a gosto e por último 1/2 colher de chá de fermento.

Coloque a mistura na omeleteira e leve-a ao fogo baixo. Verifique o ponto de virar: o pão vai corar um pouquinho e soltar sozinho. Vire e core o outro lado também. Está pronto!

Nota: receita feita pela blogueira filha

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Bolinho de frutas secas sem gluten e sem lactose

Standard

Na família das blogueiras, enquanto a mãe inventa e cozinha um pouco de tudo, as duas filhas estão se tornando verdadeiras mestras confeiteiras e padeiras, criando a cada dia novas receitas de bolos e pães. Enquanto uma adora inventar receitas fit a outra está ficando tão especializada em pães que criou o seu próprio processo de fermentação natural. Aqui neste blog gostamos de usar os produtos da forma mais natural possível!

Esta nova receita de bolo é o que se pode chamar de receita genérica pois se adapta muito bem à diversas variações de sabores. O mais importante é ter sido criada especialmente para pessoas com restrição a glúten, lactose, açúcar e ovo, pois usa seus respectivos substitutos.

Além disso, é ideal para quem quer levar um lanchinho saudável para o trabalho ou variar o café da manhã. É muito fácil de fazer e todos os ingredientes estão dentro da linha fit ou super saudável.

Bolinhos de nozes e bolinhos de mirtilos ( que também pode ser de qualquer outro tipo de castanha ou fruta seca)

Esta receita rende 12 bolinhos. Fizemos 6 de cada sabor. Separe os ingredientes: 2 xícaras de chá de farinha sem glúten* (pode ser 1 xícara de farinha de arroz e outra de fécula de batata), 1 xícara de chá de açúcar demerara, 1 xícara de café de óleo de côco ( ou o de sua preferência), 1 xícara de leite de arroz, 3 ovos ou, como substituto dos ovos, use 3 colheres de sopa de linhaça dourada + 6 colheres de sopa de água (misture e deixe crescer antes de juntar aos outros ingredientes). Para o bolinho de nozes separe 1 xícara de café de nozes picadas à mão. Para o de mirtilos, 1 xícara de café das frutinhas inteiras.

Misture todos os ingredientes na ordem em que foram citados. Sempre que for fazer um bolo, misture primeiro os ingredientes sólidos (ou em pó, no caso) e depois junte os líquidos, sendo os ovos por último. Acrescente o sabor a gosto: nesta receita usamos 1 colher de extrato de baunilha e fizemos variações com nozes picadas**e mirtilos secos***.

**Pode variar com macadâmia, nozes pecãs, castanha do pará, castanha de cajú, amêndoas ou avelãs.

** Varie com passas, damascos, tâmaras, figos, cranberries ou outro tipo de frutas secas.

Por fim, acrescente 1 colher de sopa de fermento.  Misture gentilmente. Escolha a forma (ou formas individuais) que for usar e unte-a, pincelando óleo e passando uma fina camada de farinha. Coloque a massa do bolo na forma às colheradas. Coloque para assar no forno pré aquecido a 200 graus. Deve assar por aproximadamente 30 minutos. Faça o teste do palito: enfie-o em um bolinho – se sair limpo é porque está assado e no ponto!

* A melhor é a FSG de Amina

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Pasta sem gluten ao molho de camarões

Standard

Para quem tem alergia a glúten e ama pasta como eu, é sempre uma tentação ver alguém comendo não só pasta como pizza, pão, bolos, tortas e salgadinhos ( ou seja, boa parte do que é muito gostoso) e ficar ali do lado só olhando, com a boca cheia d’água. Não se lastime, nunca – pois sempre há uma alternativa. Provavelmente, se não fosse essa minha alergia a glúten e às proteínas de qualquer leite ( o que inclui todos os produtos lácteos, seus derivados) este blog nem existiria! Foi justamente pela minha dificuldade de comer fora de casa foi que animei a cozinhar em casa e passar as receitas para vocês. Viu? Tudo tem seu lado positivo!

Hoje temos uma boa variedade de pastas feitas com farinha de arroz ( e também de milho) no mercado, que são a melhor opção alternativa para os alérgicos. Dica: a pasta não tem sabor e é quebradiça, então sempre há que ser envolvida em um molho suculento – seja à base de tomate ou um bom molho bechamel ou branco ( se não tover alergia à lactose ou às outras proteínas do leite). Aqui no blog há uma grande variedade de receitas com penne, spaguetti, tagliatelli e outras pastas.

Spaguetti ao molho de tomates com camarão, alcaparras e alho poró

Considerando uma receita para 2 pessoas, separe 2 porções de pasta –  para penne considere 2 pratos de sopa; para tagliatelli e semelhantes pode ser de 2 a 3 ninhos por pessoa e para spaguetti e outras pastas do tipo a porção por pessoa é um feixe da largura de um polegar. Para o molho: 300 gr. de camarão, 2 a 3 corações de alcachofras, 1/3 de talo de alho poró, 6 tomatinhos cereja, 1 xícara de café de pomodoro pelati ( que vem em lata), molho de tomate ou spremutta de tomate (que vem na garrafa), 1 colher de sopa de ervas picadinhas  (salsinha e cebolinha), 1/2 limão para temperar o camarão, azeite, sal e pimenta.

Retire as tripas, lave e escorra os camarões. Tempere-os com 1 colher de café de sal e 1/2 limão. Deixe por 15 minutos. Enquanto isto, corte os legumes como na foto. Coloque 1/2 litro de água para esquentar à parte. Deite 1 colher de sobremesa de azeite na frigideira e espere esquentar. Frite primeiro os camarões até ficarem vermelhos. Junte o alho poró, frite os dois juntos. Acrescente a alcachofra e os tomatinhos. Misture. Despeje a água quente aos poucos, pelas beiradas, até quase cobrir os ingredientes. Junte o molho de tomates. Prove o sal, salpique as ervas. Tempere à gosto com sal e pimenta.

Faltando 20 minutos para servir a refeição, coloque bastante água para ferver em  uma panela alta ( cerca de litro e meio) . Assim que ferver, junte um punhado de sal. Logo que começar a borbulhar, coloque a pasta para cozinhar. Observe o tempo recomendado na embalagem. Para testar se já está no ponto, tente partir a pasta com um garfo – se partir oferecendo alguma resistência, está no ponto certo. Escorra-a bem dentro de uma peneira e coloque-a sobre o molho fervente. Salpique as ervas. Envolva-a com o molho e desligue o fogo. Está pronta! Sirva imediatamente. Já com o prato servido, salpique queijo ralado – parmesão, grana padano ou pecorino ( queijo de cabra para quem tem alergia a leite de vaca).

Acompanhe pastas sempre com um bom vinho tinto.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Leite de amêndoas caseiro, já pensou?

Standard

Já pensou em fazer o seu próprio leite vegetal em casa? É possível! Fica uma delícia, é uma ótima alternativa aos de supermercado, muito mais saudável, muito mais nutritivo e, no meu caso aqui na filial Bruxelas, mais barato. (O litro sai a 1,60E enquanto no supermercado custa 2,20E)

Tive a ideia quando uma amiga me contou de um amigo que tem uma super máquina em casa que faz tudo sozinha em 20 minutos, com qualquer castanha. Fiquei maravilhada com a ideia e quase saí correndo para comprar a tal máquina, mas ela não é tão baratinha assim. Pensei duas vezes, achei algumas receitas na internet e resolvi fazer eu mesma, manualmente. E não é que é fácil? Fiz uns ensaios e passo minha experiência para vocês.

A proporção que mais gostei foram 50gr de amêndoas para 600ml de água ou 1 xícara de amêndoa para 4 xícaras mal cheias de água. A medida não precisa ser super exata, pois você pode preferir mais diluído ou mais grossinho. O meu fica um pouco encorpado, ideal para comer com cereais no café da manhã.

Não posso dizer que seja um substituto para o leite de vaca em absolutamente tudo, ainda não testei com comida salgada, mas posso afirmar que fica excelente para o preparo de bolos, doces, caldas de chocolate e vitaminas.

O preparo é super simples:

Deixe as amêndoas de molho em água filtrada por, no mínimo, 4 horas, de preferência da noite para o dia, até cerca de 8 horas. No dia seguinte, coloque uma água nova para ferver. Escorra as amêndoas e quando a água estiver fervendo, coloque-as na panela e deixe por 1 minuto em água fervendo – não mais do que isso. Escorra e lave com água fria. Essa fervura não é necessária para o leite, mas para retirar a casca vai ficar um milhão de vezes mais fácil. Basta dar um ‘apertinho’ que ela logo pula. Faça isso com todas as amêndoas, colocando-as depois no liquidificador.

No liquidificador, despeje 1 xícara de água e bata por cerca de 30 segundos. Coloque o restante da água e bata por mais 3 minutos no mínimo. Se desejar, pode acrescentar açúcar, baunilha, canela, chocolate, o que quiser.

Coloque um filtro de pano próprio (se não achar, use um pedaço de linho branco) sobre uma tigela. Se não estiver muito seguro, coloque o pano sobre uma peneira e esta sobre a tigela. Eu já faço sem, menos uma louça para lavar.

Derrame o leite, feche as pontas do pano e amasse bem com as mãos para retirar todo o líquido. Está pronto!

Como por aqui não gostamos de desperdiçar nada, pode guardar o resíduo para usar para bolos e biscoitos, ou até mesmo fazer uma farinha torrada para usar em crostas doces ou salgadas. Andei fazendo uns testes de bolo e fica uma delícia, depois posto por aqui.

Atenção: como o leite é natural e sem conservantes, ele dura somente 4 a 5 dias na geladeira e depois começa a azedar. Então não faça grandes quantidades se não for usar logo.

Agora que já aprendeu, pode também experimentar fazer o de castanha de caju, o de castanha do pará, o tradicional de soja e até o de arroz. Quem se anima?

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

Bolinho de maçã para intolerantes

Standard
No mês passado nos inspiramos na campanha Food Revolution Day, organizada pelo famoso Jamie Oliver e seus amigos, que lutam contra a obesidade infantil e a favor da educação alimentar compulsória nas escolas. De acordo com o site, há hoje no mundo 42 milhões de crianças abaixo dos 5 anos de idade que estão acima do peso ou obesas. Esse número é assustador não é? Se você não assinou a petição ainda, clique aqui e assine, é muito importante e leva apenas alguns segundos.
Na França, a hora da merenda das crianças, quando chegam da escola, é chamada de Gôuter (que vem da palavra gôut, que significa gosto, sabor – então em português seria como a hora de saborear!). Esse lanche é tradicionalmente de comidas saudáveis porém doces, para agradar ao paladar infantil. No resto do dia, a alimentação corre bem saudável, com frutas e legumes; o doce vem só nessa hora do dia. Então é usual comer-se um bolinho, um croissant, um pain au chocolat, uma torrada com geléia de frutas ou chocolate – todas essas delícias francesas!
Por outro lado, as intolerâncias alimentares de toda a nossa família blogueira nos leva a constantemente buscar por receitas sem glúten, sem lactose e também com pouco açúcar e, portanto, naturalmente saudáveis.
Por estas duas boas razões, criamos uma receita de bolinho de maçã que vai muito bem no lanche das crianças ou dos adultos, e que também serve de sobremesa.
Separe: uma tigela, uma espátula, um fouet ou a batedeira, o liquidificador e forminhas de muffin ou cupcakes (gostamos de fazer nessas forminhas pois já saem porções para o dia-a-dia e também para servir com sorvete, como na foto)
Você vai precisar de: 2 xícaras de mix de farinha sem glúten, 1 xícara de açúcar demerara, 1 colher de sopa de canela em pó, 1 pitada de sal, 3 maçãs pequenas (ou duas grandes) descascadas e picadas em cubinhos, 3 ovos (ou 3 colheres de sopa de linhaça e o dobro desde volume de água), 1 xícara de óleo vegetal, 1 colher de sopa fermento em pó.
Antes de começar, pré-aqueça o forno a 180 graus e unte as forminhas com óleo ou spray desmoldante.
Se for usar ovos e quiser um bolo bem fofinho, separe as claras das gemas e coloque só as gemas na tigela. Depois acrescente o óleo e bata um pouco com o fouet ou espátula. Se não for usar ovo, misture a farinha de linhaça com a água em um pote separado e junte ao óleo. Depois acrescente a farinha, o sal e a canela e misture até formar uma massa semi-liquida homogênea. Despeje tudo no liquidificador e, por cima, jogue os pedaços de maçã, para que bata parcialmente mas ainda sobrem uns pedaços sólidos. Se precisar, acrescente um pouquinho de água. Volte com a mistura para uma tijela, acrescente o fermento e misture. Se estiver usando ovo, bata as claras em neve e adicione-as imediatamente à mistura, mexendo com muita delicadeza em movimentos circulares – você não quer perder todo o ar que entrou nas claras!
Despeje a massa nas forminhas e leve ao forno por 30 minutos ou até passar no teste do palito.
Para uma sobremesa light que agrade ao maridão, sirva com uma bola de sorvete e, se quiser abusar, calda de chocolate! Veja aqui como fazer.
Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.

bolomaçã6 Esta é uma colaboração da #colaboradoracasada

Bolo de Cenoura para Intolerantes

Standard
Esta receita de bolo foi feita especialmente para os intolerantes ao glúten e à lactose (ou ao leite) mas, ainda que você não tenha restrições, experimente substituir a farinha de trigo por outras farinhas mais saudáveis no seu dia-a-dia. A rotatividade alimentar é muito importante para evitar intolerâncias futuras.
Separe uma forma de cupcakes ou muffin, uma espátula de silicone, uma tigela grande e o liquidificador.
Você vai precisar de: 2 cenouras médias, 1  xícara de óleo vegetal, 3 ovos*, 1 xícara e meia de açúcar demerara, 1 xícara de mix de farinha sem glúten,
1 xícara de fécula de batata, 1 pitada de sal, 2 colheres de sopa de fermento em pó (sem glúten).
*Substituimos os ovos pela linhaça mas você pode fazer como quiser (para cada ovo misture a parte 1 colher de sopa de linhaça moida e 2 colheres de sopa de água).
Antes de tudo, pré-aqueça o forno a 180 graus. Unte a forma que irá usar com óleo ou spray desmoldante e polvilhe com farinha para não grudar.
Rale a cenoura e bata no liquidificador com os ovos** (ou a linhaça misturada com água) o óleo e o açúcar. Passe a mistura para uma tigela, junte as farinhas e uma pitada de sal misturando tudo. Ao final, junte o fermento.
Agora é só despejar a massa na forma e colocar para assar. Deixe no forno por cerca de 20 minutos ou até passar no teste do palito – insira um palito de madeira no bolo, se sair limpo está pronto.
Apesar de não ter glúten esse bolo cresce bastante, mas ficam aqui duas dicas preciosas para deixar qualquer bolo mais fofinho:
** – se usar ovos, misture as gemas com os ingredientes secos e acrescente as claras batidas em neve à parte aos poucos, no final de tudo.
– misture 1/2 maçã batidinha à massa para um bolo mais fofinho e úmido (ajuda também a fazer crescer a massa pois bolos sem glúten tendem a ficar ressecados).
-se o seu forno não for de convecção (que faz circular o ar por dentro), coloque uma assadeira maior embaixo no andar de baixo do forno, abaixo da forma do bolo na hora de assar pois isso impedirá que o bolo queime por baixo e nas laterais antes de dourar por cima.
Faça na forma de cupcakes e use para o lanche das crianças! Apesar de não ser criança levo na marmita para o meu trabalho. Com um chá gelado tenho um lanche saudável no meio da tarde!
Uma contribuição da #colaboradoracasada

 

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimi-lo.