Bife rolê!

Standard

Finalizamos o cardápio de um mês inteiro, almoço e jantar para 20 dias e mais 8 pratos mais elaborados para os fins de semana. Já estamos preparando os pdfs e em breve publicaremos o cardápio da 4a. semana para fechar este ciclo. Tem também mais de 20 saladas para preceder os pratos do cardápio. Esta semana começamos com as sopas para enriquecer suas refeições. Também teremos a linha light e a seção para alérgicos e intolerantes a glúten e lactose. Um blog completo!

O único dia que repetimos uma receita foi na 4a. feira da 3a. semana, que fizemos repeteco do bife. Pois aqui vai uma variação que todo mundo adora e que é muito fácil de fazer.

Bife rolê

Compre carne para bife – filé ou miolo de alcatra são as melhores. Calcule de 150 a 200 gr. por pessoa. Tire os bifes no sentido vertical, sem atravessar o fio da carne. Veja em Dicas de como cortar carne. Bata os bifes e tempere com sal, alho, cebola batidinha e pimenta do reino a gosto. Corte uma cenoura em tiras compridas e a mesma quantidade de bacon, também em tirinhas. Pique tomate e cebola na mesma proporção. Pique também o cheiro verde para finalizar. Veja foto.

Dentro de cada bife coloque cenoura e bacon. Enrole e prenda com um palito. Deite um pouco de óleo em uma panela e deixe esquentar. Coloque água para ferver em um caneco. Quando o óleo já estiver aquecido, frite a cebola, o tomate e o que sobrar da cenoura e do bacon cortados. Junte os bifes enrolados e continue fritando até que a carne mude de cor e core.

Agora despeja água fervente, pelas beiradas, aos poucos. Não jogue sobre a carne, senão vai lavar o tempero. Abaixe o fogo, tampe a panela e deixe cozinhar até que os bifes estejam macios. Deixe que o caldo seque até ficar um molho de boa consistência. Jogue salsinha e cebolinha verde picadinhas por cima e está pronto para servir. Fica ótimo com arroz , purê de batatas ou polenta para acompanhar.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

 

Bife à parmegiana

Standard

No Brasil, instituiu-se que “parmegiana” significa algum alimento que foi empanado, ou seja, passado no ovo e depois na farinha de pão ou de trigo torrada. Esta receita era feita em minha casa desde quando eu era menina e a maior parte de vocês deve conhecê-la.

No hotel onde trabalhei por 9 anos, fui, entre outras funções, Gerente de Alimentos e Bebidas, ou seja, a chefe do Chef, entre 2002 e 2011. Quando comecei nesta função eu já cozinhava quase de tudo, mas dentro do que se pode chamar de comida caseira – exatamente a que estamos passando as receitas para vocês desde que o blog começou, com algumas exceções. Desde que me iniciei nesta função, precisei ser autodidata porque não tinha tempo para fazer um curso especial de culinária para restaurante, se é que existe um. Então comprei muitos livros, nacionais e importados, e me dispus a estudar e experimentar e adaptar o que achava bom. A consequencia foi que montei um cardápio bem sofisticado para servir aos hóspedes, tanto nos eventos em que se serviam coquetéis e jantares, quanto no cardápio à la carte e até no buffet, que chegou a servir uma média de 200 pessoas por dia no almoço. Os cardápios precisavam ser mudados a cada seis meses e, passados alguns anos, eu não tinha mais o que inventar. Pois um dia resolvi começar a fazer as receitas caseiras da minha infância e coloquei este bife à parmegiana no cardápio do buffet. O Chef ( bem metido) ficou indignado como eu poderia colocar uma comida tão caseira no cardápio! Pois foi o maior sucesso! A ponto de clientes habituais sempre perguntarem que dia teria de novo aquele bife tão gostoso. Tornou-se então um dos pratos preferidos dos nossos clientes homens ( não sei porquê).

Bife à parmegiana

Para 2 pessoas considere 300 a 400 gr. de carne para bife ( filé ou miolo de alcatra), separe 4 fatias de presunto e 4 de queijo muçarela, 3/4 de xícara de molho de tomate e 1/2 xícara de farinha de pão torrado e 1 ovo. Corte os bifes com 1 cm. de espessura e bata-os ligeiramente. Tempere com sal e alho e deixe por 15 minutos.

Quebre um ovo, misture a clara com a gema, passe os bifes rapidamente no ovo e depois na farinha. Aqueça a frigideira e passe os bifes de um lado e outro, sem esfregar até que corem. Tome uma travessa refratária, passe um pouco de molho no fundo e assente os filés empanados. Cubra com outra camada de molho de tomates. Distribua as fatias de presento e depois da muçarela. Espalhe por cima a terceira camada de molho.

Pré-aqueça o forno a 180 graus e leve ao forno a conta do queijo derreter. Sirva, individualmente, sobre uma camada de arroz misturado com molho de tomate ou de purê de batata.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para  baixar o PDF e imprimí-lo.

Dica – Preparo e cortes de filé mignon

Standard

 O filé é um dos cortes de carne mais caros, porém é o que dá mais opções de preparo e o melhor rendimento. A relação custo x benefício se torna ótima, por isto é a carne de boi mais conhecida e usada nos bons restaurantes.

Compre um filé inteiro, peça ao açougueiro para limpar a carne das gorduras brancas excessivas, deixando o cordão, ou então compre já aparado e embalado no supermercado.

Separe a cabeça do filé, que é a parte diferente do resto, e a ponta fina do lado oposto. Com uma faca afiada retire o cordão. Da cabeça e da ponta poderá fazer cortes menores, como para picadinho ou sopa. Da sobra poderá ser aproveitada para um bom caldo de carne.

Cortes: se for fazer um filé inteiro, como para rosbife, a parte central já está pronta e dará para 6 a 8 porções. Se for fazer o famoso filé Chateaubriand, dará para 3 porções, pois você corta calculando cada pedaço da largura de 4 dedos.  Para o tornedor, corte a peça em 4 ou 5 partes, cada uma deve ter a largura de 3 dedos. Para o medalhão, ou bife largo (ancho), a largura é de dois dedos ligeiramente espaçados. Para o escalope ou bife comum, a largura é de 1 dedo.

A partir deste último corte, poderá cortar a carne para filé aperitivo ou strogonof: deite o bife e corte em tirinhas, mas atenção – o sentido do corte é muito importante – se a peça inicial estava paralela à você, então o corte do bife é perpendicular ao seu corpo e o corte em tiras continua no mesmo sentido da peça, ou seja, paralelo à você. Desta forma terá uma carne super macia. Para picadinho, corte as tirinhas em 3 ou 4 partes.

O filé já é uma carne macia e não precisa bater. A única exceção é o bife Paillard. Para este você vai cortar a carne como para medalhão e depois abri-la ao meio, como se cortasse pão para sanduiche e então obter um bife baixo e bem grande. Nunca coloque aquele veneno chamado amaciante.

Quer esta dica impressa? Clique aqui.

Dica – Caldo de Carne com legumes

Standard

É muito prático e super saudável ter este caldo pronto para usar. Torna as suas receitas muito mais saborosas e você ganha um tempo enorme no preparo!

Sabe aquelas aparas de carne que ia jogar fora? Guarde. Sabe aquelas cascas e restos de legumes crus que também iriam para o lixo? Não vão mais. Coloque dentro da panela de pressão: ½ quilo de aparas de carne fresca (ou acabada de descongelar), 1 cenoura, 1 cebola, 3 dentes de alho, ½ tomate. Cascas de batata, de baroa, de abóbora, folhas de alho poró e o que mais tiver de resto de legumes. Encha a panela de água até ¾ da altura. Não ponha sal. Pronto, coloque para cozinhar até a carne ficar macia – depois que a panela apitar deixe mais uns 20 minutos.

Ponha a panela sob o jato d’água e deixe que acabe a pressão. Coe o caldo depois que esfriar. Aí tem duas opções: guarde o caldo no congelador dentro de um pote de plástico ou entorne dentro de uma forma de gelo e ponha para gelar. O pote ocupa menos espaço, mas você terá que se lembrar de descongelá-lo antes de usar e isto nem sempre acontece. Na forma, tem a vantagem de tirar na hora só o que vai usar.

O resto de carne e legumes que ficou na peneira vão pra barriga do seu cachorro, assim não desperdiça nadinha.

O Planeta Terra agradece!

Quer esta dica impressa? Clique aqui.

Primeiro cardápio: Brasileiríssimo

Standard

Sal com Alho

Arroz, feijão, bife, batata frita, salada a gosto.

Agora que você já sabe fazer estas receitas básicas, pode servir recém-preparado e quentinho aquele prato com o inigualável gosto de infância.

Vamos ao primeiro teste: terminar e colocar tudo junto na mesa. Pensa que é fácil? Hum, hum. Tente!

1. A primeira coisa a fazer é cozinhar e fazer o feijão. Prepare a salada e ponha a mesa enquanto o feijão cozinha. Depois, enquanto o feijão ferve, corte e tempere a carne. Deixe o feijão pronto, porém com bastante caldo. Desligue.

2. Faça o arroz; assim que colocar a água e tampar a panela, já pode descascar e cortar as batatas. Vigie a água do arroz.

3. Faça o picadinho. Enquanto seca a água da carne, coloque o óleo na panela para a batata, espere esquentar, coloque as batatas. Assim que mudarem de cor, reduza o fogo e tampe a panela. Volte para o picadinho e termine-o.

4. Esquente o feijão no fogo fraco; o arroz ainda deve estar bem quente. Escorra as batatas. Faça o molho do picadinho e volte com o picadinho para a panela para pegar o molho e esquentar.

Tudo pronto! Agora é só servir e receber os elogios.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Aquele bife que você sempre sonhou

Standard

Quem gosta de carne sempre tem uma lembrança de algum bife especial que comeu algum dia em algum lugar. Mesmo que você não tenha esta lembrança (que pena…pode até gerar uma baita frustação….) e finge que tem, de hoje em diante você poderá proporcionar esta deliciosa recordação a você e aos seus amigos mais queridos.

Primeiro terá que aprender como se corta uma carne – isto é fundamental!!!

Tipo de carne: bife bom é feito de contra-filé, miolo de alcatra ou filé. Vamos começar pelo filé que já vem limpinho da loja e é o mais fácil de cortar.

Corte: sobre uma tábua própria, coloque o filé inteiro de comprido na sua frente, paralelo ao seu corpo. Pegue uma faca grande e afiada. Muito importante: o corte sempre será perpendicular ao comprimento da carne, sempre em ângulo reto.

A largura dos pedaço vai depender do seu gosto ou da receita do dia. Para o bife tradicional temos dois cortes: para quem gosta daquele bife boi berrando, corte os bifes da largura de dois dedos. Para quem gosta rosinha ou bem passado, corte da largura de um dedo.

Tempero: pode ser só sal ou então sal com alho. Pode incrementar com molho inglês, molho de soja, pimenta do reino (ou outra, tipo zimbro) e vinho tinto, cada um de uma vez, combinado ou tudo junto. É melhor fazer seu tempero à parte – sempre na hora – e só depois temperar cada bife em separado, passando os dedos no tempero e espalhando suavemente por toda a superfície de cada bife. Pode deixar no tempero entre quinze minutos e meia hora.

Preparo: escolha uma tachinha baixa, larga e de fundo grosso. Separe um garfo grande com cabo de madeira. Coloque a panela no fogo forte e deixe esquentar bem. Despeje um fio de óleo, que deve soltar um halo de fumaça. Imediatamente coloque o bife usando o garfão. Nunca coloque mais do que quatro bifes de uma vez, porque a carne precisa fritar sem soltar o caldo. Não esfregue a carne na panela, se estiver grudando coloque um tiquinho de óleo a mais. Quando observar que a metade da lateral da carne já ficou marrom, vire os bifes, um por um. Deixe que fiquem corados. Se gostar do bife mal passado, conserve o fogo forte, se gostar mais cozido, baixe o fogo. Assim que estiverem corados, retire do fogo e coloque na travessa que vai servir, de preferencia de louça branca para conservar o calor.

Agora o caldinho delicioso: antes de tirar os bifes, já abaixe o fogo. Assim que tirar os bifes, despeje água fervente na borra que ficou no fundo da tachinha e mexa bem até que solte tudo.

1. Para um molho ao vinho, despeje uma colher de sobremesa rasa de vinho (tinto ou madeira) por bife e deixe que o álcool evapore.

2. Se quiser fazer um molho mais espesso, torre um pouquinho de farinha de trigo em uma panela à parte e misture no caldo até ficar homogêneo.

3. Se gostar de bife acebolado, corte uma cebola em fatias finíssimas e doure-a no caldo ( sem farinha).

Pode acrescentar, sempre aos poucos, molho inglês e pimenta a gosto (prove!) Em qualquer destas opções, sempre volte com a carne para a panela a fim de esquentá-la antes de servir.

Quer esta receita impressa? Clique aqui.