Pão de frigideira

Standard

Este pão é baseado no pão Naan indiano que é um pão chato, parecido com o pão sírio e muitos dos pães mediterrâneos. São normalmente servidos como entrada ou acompanham o prato principal, sendo o acompanhamento perfeito para pastas e molhos típicos desta região. O indiano é levemente adocicado, para contrapor aos temperos fortes desta culinária. Tradicionalmente são assados em fornos de pedra ou cerâmica e são muito rápidos de preparar. Dependendo do forno, gasta-se até segundos para assar e ele já sai cheiroso e delicioso do forno para a boca! Como não temos um desses fornos em casa, podemos fazer na frigideira, rapidinho, sem ficar esperando na frente do forno!

Listinha dos ingredientes: 3/4 de xícara de chá de água fervida, 1 colher de sopa de mel, 7 gramas de fermento biológico instantâneo (ou uma colher de sobremesa rasa), 2 xícaras de chá bem cheias de farinha de trigo, 1/2 xícara (ou 100gr) de chá de iogurte grego tradicional, 2 colheres de sopa de óleo de canola, 1 colher de sobremesa cheia de sal.

Misture o mel e o fermento à água quente e deixe descansar por 10 minutos até formar uma espuminha. Misture então o líquido do ferment, levemente, para que o fermento que ficou no fundo suba. Despeje em uma tigela grande de vidro e acrescente a farinha, o iogurte, o óleo e o sal. Mexa até formar uma massa. Usando as mãos, sove a massa até ficar macia, por cerca de 5 minutos. Comece no próprio recipiente e quando tomar forma, passe para uma superfície lisa e limpa, polvilhada com farinha de trigo. A massa não deve grudar nas mãos mas deve ficar ainda úmida. Se precisar, acrescente mais farinha. Dica: se a massa continuar grudando (na verdade grudando na massa que está na suas mãos) lave-as bem, seque e volte a amassar. Verifique o ponto.

Volte com a massa para a travessa de vidro, ainda suja de farinha de trigo e cubra-a com um pano molhado. Deixe descansando até dobrar de tamanho, por cerca de uma hora.

Transfira a massa para uma superfície lisa e divida-a em 10 pedaços. Polvilhe a superfície com farinha de trigo e, com um rolo, também polvilhado na farinha, abra um pedaço de cada vez, em círculos de cerca de 20 cm de diâmetro.

Esquente uma frigideira anti-aderente. Coloque um círculo de massa de cada vez, deixando por 2 a 3 minutos de cada lado. Quando começar a formar bolhas, está na hora de virar.

Sirva ainda quente, molhando o pão no azeite, na pasta ou no molho de sua preferência.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Bolinho de espinafre

Standard

Mineiro adora um bolinho. Para servi-los como aperitivo, acompanhando cerveja ou caipirinha, faça-os pequenos e em forma de bolinha. Como guarnição, combina com bife de lombo, carne de panela, frango e por aí vai. Para esta finalidade, pode também moldá-los maiores e alongados, como na foto. É muito fácil de fazer, veja a receita.

Bolinhos de espinafre

Vai usar um molho de espinafre, 1 ovo, 1 xícara de farinha de trigo, sal e alho. Para a fritura, usará 3 xícaras de óleo, que será reaproveitado. Vai precisar de 1 bacia pequena de cozinha, 1 batedor, 1 tábua, 1 panela média, 1 escumadeira, 1 peneira de metal e papel toalha.

Retire as folhas de espinafre dos galhinhos e lave-as. Coloque-as em uma panela e leve-as ao fogo com 2 colheres de sopa de água. Tampe a panela e espere que a água evapore, tendo cuidado para a água não secar completamente, pois não pode deixar as folhas escurecerem. Retire as folhas da panela e, sobre uma tábua, bata-as com um batedor até formarem uma pasta homogênea.

Em uma bacia ou travessa redonda, misture a farinha de trigo com o ovo, tempere com 2 dentes de alho amassados com 1 colherinha de café de sal. Junte o espinafre batido e misture bem. Acrescente 1 colher de café de fermento em pó.

Misture tudo e prove o sal. Faça os bolinhos com a medida de uma colher de sobremesa, se for fazer bolinhas para aperitivo ou 1 colher de sopa, se for preparar bolinhos alongados para guarnição. Coloque a colherada de massa na palma da mão e molde-os um a um. Dica: se tiver as mãos quentes e a massa começar a grudar, mantenha uma xícara com gelo a seu lado e vá passando-o nas mãos.

Esquente 3 xícaras de óleo em uma panela funda. Assim que o óleo estiver quente, teste com o primeiro bolinho. Se espumar é porque o ponto do óleo está certo. Coloque os bolinhos para fritar de modo que um não encoste no outro. Assim que corarem por baixo, vire-os. Quando corarem por igual retire-os com a escumadeira e coloque-os na peneira para escorrer. Em seguida, coloque-os sobre o papel toalha, com outra folha por cima até ficarem bem sequinhos.

Sirva-os bem quentinhos.

Para variar, coloque dentro de cada bolinho um quadrinho de queijo minas, fica delicioso!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Pasta caseira – Lasagna

Standard

Coragem, você é capaz! Não se impressione achando que fazer uma pasta em casa é coisa de italiano e especialista, pois você pode fazê-la perfeitamente bem. Só tem um problema: é tão divertido e relaxante que vai ficar viciado! Tem outro porém: vai ter de ficar zen o tempo todo, claro, é para divertir e não para se estressar. O tempo de preparo é em torno de duas horas e meia. Colocar uma boa música de fundo e um cálice de vinho do lado torna tudo mais prazeroso. Outra ajuda boa é ter uma maquininha para abrir a pasta – a não ser que queira aproveitar para fazer musculação nos braços. Juro, é um excelente exercício. Não pense no trabalho que vai dar, concentre-se na recompensa pois hoje vai comer muito bem! Agora, mãos à obra. Siga as etapas pelas fotos.

Pasta caseira – corte para lasagna

A medida padrão é: para cada ovo,100 gr. de farinha de trigo. Para um pirex grande de uma receita pronta, que dá para 12 a 15 pessoas, vamos usar: 6 ovos e 600 gr. de farinha de trigo, mais 2 colheres de sopa de azeite e 2 colheres de chá de sal.

 

Limpe a superfície da bancada e coloque  a farinha de trigo pesada – 600 gr. Faça um monte como se fosse um vulcão e coloque os 6 ovos inteiros dentro da cavidade central. Com um garfo, bata ligeiramente os ovos, incorporando as gemas às claras, com cuidado para não romper as laterais do “vulcão”. Neste ponto, acrescente o azeite e o sal. Misture. Continue batendo com o garfo e aos poucos, com a outra mão, traga um pouco dessa farinha para o centro, misturando-a com os ovos, até formar uma massa homogênea. Quando a massa começar a tomar forma, largue o garfo e coloque as mãos na massa, literalmente. Faça uma bola com a massa e deixe-a descansando por cerca de uma hora, coberta com um pano.

Se tiver uma máquina de preparar massa, molde a massa em formato de bisnaga, com uma espessura que preencha a palma da mão. Com uma faca grande e afiada, corte-a, sobre a bancada, em pedaços de dois dedos de largura, como quem parte um pão. Deite cada pedaço e achate-os com a palma da mão, preparando-os para passar no cilindro. Se a massa não estiver seca, polvilhe-a com farinha de trigo antes de passá-la no cilindro. Isto é muito importante, pois se a massa estiver úmida, vai grudar na máquina e danificá-la. Agora chame um assistente, pois esta parte requer quatro mãos – duas para controlar a máquina e duas para controlar a massa. Comece pela medida mais larga da máquina. Insira a massa na parte de cima e recolha a massa espichada por baixo, com cuidado para mantê-la esticada. Para obter uma massa mais homogênea, dobre-a em três partes, no sentido do comprimento e passe-a novamente na mesma medida de cilindro, por três vezes. Atenção: a massa a ser inserida não deve ser mais larga do que a máquina, sobrando de um a dois dedos de cada lado. Prossiga diminuindo a espessura, repassando a massa uma vez em cada número, até obter uma massa fina e bem comprida. Reserve uma superfície grande e seca, polvilhada com farinha de trigo para descansar a massa. Ao repousá-la, polvilhe também um pouco de farinha por cima. Repita o mesmo procedimento com todos os pedaços. Ao terminar, recorte as fatias nas laterais, para um melhor acabamento. Observe a travessa em que vai montar e tente recortar suas grandes lâminas em pedaços que se encaixem na mesma.

Se não tiver a máquina, abra a massa com o bom e antigo rolo de massa, sempre com o cuidado de polvilhar a bancada e também o rolo sempre que necessário. Neste caso, o objetivo é obter lâminas de massa aproximadamente da mesma espessura. Corte em retângulos ou quadrados que se encaixem na sua travessa.

Para cozinhar as lâminas da massa: ponha água para esquentar em uma panela grande. Quando a água ferver, coloque 4 lâminas de cada vez e deixe por cerca de 3 minutos ou até que fiquem esbranquiçadas e se partam com o garfo. Durante o cozimento, mexa com um garfão para não agarrarem umas nas outras. Quando estiverem ao dente (oferecendo ligeira resistência ao corte), retire-as separadamente usando o garfão e disponha-as abertas sobre um pano de prato. Esta é a parte mais difícil: é importante abrí-las por completo, mesmo muito quentes, usando a ponta dos dedos, de pouco em pouco. Agora sua massa está pronta e você poderá usá-la imediatamente, tal como usa as compradas prontas.

Se, por acaso, achar que tem mais massa do que vai precisar, separe-as antes do cozimento, embrulhe bem com plástico filme e guarde por até três dias em ambiente seco ou até uma semana na geladeira.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Berinjela à milanesa

Standard

Ainda bem pequena, muito antes de saber que existia uma cidade chamada Milão, tudo que se fazia na minha casa que era à milanesa, eu achava o máximo! Adorava quando me deixavam subir no banquinho para lambuzar as mãozinhas com os ovos e a farinha. Depois, quando aprendi mais sobre o mundo, achei muito engraçado este preparo ser chamado de milanesa – que vem ou que é de Milão – ainda mais porque lá nunca ninguém ouvir falar que tivesse este nome! Quem terá sido o primeiro a inventar isto? Parabéns pra ele. Duas das receitas são as minhas favoritas, mas, já que é assim, você pode inventar o que quiser!

Berinjela à milanesa

Corte a berinjela em fatias bem finas, de comprido e, à medida que for cortando, deixe as fatias de molho na água com sal. Quando terminar, escorra bem e seque-as. Bata um ovo, clara e gema junto, em um prato fundo e acrescente um pouquinho de sal. Forre outro prato fundo com farinha de trigo. Passe todas as fatias da berinjela no ovo batido.  Coloque uma panela no fogo com 1 dedo de óleo e deixe esquentar. Vá passando as fatias na farinha, de um lado e outro – uma camada bem fina – e vá colocando no óleo para fritar. O nível do óleo deve apenas cobrir as fatias, que devem ser fritas aos poucos, de modo a não colocar umas sobre as outras. Assim que começar a corar, tire-as da panela e coloque sobre papel absorvente para secarem.

Banana à milanesa

Corte 2 a 3 bananas em quatro fatias  no sentido do comprimento. Bata um ovo, clara e gema junto, em um prato fundo. Forre outro prato fundo com farinha de trigo. Passe todas as fatias das bananas no ovo batido.  Coloque uma panela no fogo com 1 dedo de óleo e deixe esquentar. Vá passando as fatias na farinha, de um lado e outro – uma camada bem fina – e vá colocando no óleo para fritar. O nível do óleo deve apenas cobrir as fatias, que devem ser fritas aos poucos, de modo a não colocar umas sobre as outras. Assim que  estiverem douradas, tire-as da panela e coloque sobre papel absorvente para secarem.

Excelentes para acompanhar carne, frango ou peixe.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.