Risoto para todo dia

Standard

Nossa publicação do Risotto de aspargos ( em italiano é com dois tês) tem sido uma das mais vistas e curtidas do blog.  Uma amiga me confessou que nunca havia cozinhado na vida e que vendo esta receita ficou com água na boca. Como pareceu-lhe fácil, ela se  animou a fazê-la. Surpreendida, me contou que tinha dado certo e que agora estava fazendo outras receitas – estava contentíssima pois finalmente vencera a resistência interna  e o complexo de não saber cozinhar! Outras pessoas me disseram que também esta foi a primeira receita que fizeram. Outra disse que aspargos não se compra todo dia, nem arroz importado. Certíssimo. Então vamos cozinhar um risoto delicioso, ainda mais fácil de fazer e com ingredientes que você sempre tem em casa. Na verdade, risoto na Itália é como o nosso mexido, faz-se com o que se tem à mão.

Risoto de abobrinha com queijo minas

Para 2 pessoas separe: 1 xícara de chá de arroz cru, ½ xícara de café de azeite ou óleo, ½ colherinha de sal com alho, um tico de açafrão, ½  abobrinha, ½ cebola pequena e  ½ xícara de queijo minas ralado grosso.

Faça o arroz como de costume, com a diferença de que irá fritar a cebola picadinha junto com o sal com alho e também irá colocar um tico de açafrão misturado na primeira água* em que refogar. Deixe que o arroz cozinhe mais que o normal, colocando mais água*. Assim que estiver bem cozidinho, começando a amolecer, acrescente 1 xícara de abobrinha cortada em tirinhas finas e mais um pouco d’água quente*. Tampe a panela e deixe que o arroz cozinhe até que a água seque, porém deixando o arroz úmido. Na hora de servir, acrescente o queijo minas***.

Você pode variar trocando a abobrinha por:

–       alho poró fatiado

–       cebola cortada em quartos ou cebolinhas pequenas inteiras

–       tomate em quadrinhos e manjericão (no final)

–       cogumelo-de-paris fatiado**

–       funghi sechi **( como é seco, antes é necessário hidratá-lo, ou seja, afervente com pouco água e use, inclusive, esta água no arroz)

–       damasco (idem , pois também é fruta desidratada)

*Dica 1: o risoto fica muito mais gostoso se, ao invés de água, você colocar caldo de legumes ou de frango ou carne no arroz)

**Dica 2: para um sabor especial, acrescente um pouco de bebida antes de colocar a primeira água no arroz e deixe que evapore. Para risotos leves coloque vinho branco ou espumante e para os risotos que vão acompanhar carnes vermelhas, use vinho tinto)

*** Dica 3: varie o queijo conforme os ingredientes do risoto, por exemplo, parmesão ou pecorino vão bem com quase todos, gorgonzola vai bem com damasco. Acrescente sempre ao final, sem exagero.

E, por último, por favor, nunca acrescente creme de leite ao risoto! Para os italianos trata-se de um pecado mortal!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Risotto ai frutti di mare

Standard

Dia destes publicamos uma legítima Paella, saída diretamente de uma cozinha espanhola. Alguns dias atrás, a filha casada nos convidou para irmos à casa dela. Nos deparamos com uma bela surpresa: tudo preparado para iniciarmos um autêntico risotto italiano. A receita original saiu do Giallozafferano, mas foi traduzida e adaptada por ela, que já morou na Itália. Desta vez, a redação é dela:

Hoje vou fazer uma receita italiana para a minha família (6 pessoas). Já deixei separados 500 gr. de cada um destes ingredientes do mar – camarãozinho rosa, vôngole, lula e mexilhão (já sem a concha, e em separado, deixei alguns com a concha para enfeitar). Além de limpos ( veja Dica – Como limpar frutos do mar) e escorridos, já foram temperados com sal e limão. Mais: 2 xícaras de chá de arroz canaroli, 2 cebolas picadinhas, 1 cenoura,1/2 caule de aipo ou salsão, 1 xícara de chá de azeite, a mesma quantidade de vinho branco, 1 litro de caldo de peixe já preparado, 1 dente de alho, 1 raminho de salsinha, sal e pimenta do reino branca.

Agora vamos ao preparo! Bata o aipo e a cenoura e frite a mistura, com pouco azeite, junto com um dente de alho inteiro, retirando-o depois. Acrescente a lula já cortada em anéis. Quando mudar de cor, junte um pouquinho do vinho branco e deixe cozinhar até ficar macia. O caldo de peixe já deve estar fervendo em outra panela.

Preparo do risotto: em uma panela já aquecida com um pouco de azeite, frite a cebola picadinha no fogo baixo. Quando a cebola ficar transparente, junte o arroz canaroli e frite mais um pouco, acrescentando azeite, se necessário. Quando o arroz tiver mudado de cor, coloque o restante do vinho branco. Depois que o álcool evaporar, vá acrescentando aos poucos o caldo de peixe, mexendo sempre, até que o arroz esteja na metade do cozimento. Volte à panela da lula, acrescente os camarões, metade da salsinha picadinha e cozinhe por uns 5 minutos. Se necessário, acrescente mais caldo de peixe até que estejam ambos macios.

 

Despeje o conteúdo da panela com a lula e os camarões na panela do risotto e misture tudo. Acrescente agora o vôngole e os mexilhões. Mexa com cuidado, para não estragar os mexilhões. Nivele o arroz e os demais ingredientes. Prove o sal e acrescente pimenta a gosto. Torne a provar. Disponha os mexilhões com casca sobre o arroz para decorar. Deixe terminar o cozimento. Quando todos os frutos do mar estiverem no ponto, desligue o fogo e deixe o risotto descansar por 10 a 15 minutos. Decore com mais salsinha picadinha e está pronto para ser devorado!

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Risotto – para cozinhar com alguém especial

Standard

Porque será que, pelo menos na minha imaginação, o “risotto” é um prato que inspira romance? Talvez por fazer-me recordar as adoráveis cantinas italianas, um jantarzinho à luz de velas, confidências, o doce torpor de um bom vinho.

Crie este clima em sua casa, hoje é sábado! Leve o(a) amado(a) para preparar um risotto à beira do fogão. Pouco tempo  de preparo e já vai armando o clima…

Escolha o vinho com certa antecedência para que possa resfriá-lo. Para a receita de hoje, e tratando-se de uma noite de verão, sugiro um Pinot Grigio ou um Sauvignon Blanc.

 O risotto é basicamente feito com arroz arbóreo que é ligeiramente frito no azeite ou manteiga com cebola ao qual você vai juntando caldo até o cozimento. Daí você pode inventar receitas, mas, per favore, use ingredientes com critério, respeite a pátria mãe do arrozinho! Já vi risottos muito loucos por aí, as pessoas acham que podem inventar qualquer coisa!

Vamos à um risotto tradicional e delicioso:

Risotto de aspargos

Escolha uma panela funda antiaderente e uma espátula de silicone. Sabe aquele caldo caseiro que preparou e guardou no refrigerador? Hoje é dia de usá-lo.

Para 2 pessoas separe: 1 xícara de arroz arbóreo, ¼ de xícara de café de azeite ou  1 colher de sopa de manteiga, ½ colher de café de sal com alho, ½ xícara de café de cebola ralada,  6 talos de aspargos, 1 xícara de café do vinho branco, 1 pitada de açafrão ou colorau, aproximadamente 1 litro do caldo caseiro (o meu preferido para este risotto é o caldo que faço com pato e legumes) e 1 xícara de café mal cheia de queijo pecorino ou parmesão ralado. Para sofisticar, você pode acrescentar camarões na receita.

Prepare um caldo ralo com água quente, caldo de legumes, sal e açafrão, o tempero deve estar bem suave e a cor ligeiramente amarelada. Deite metade do azeite ou manteiga ao fundo da panela antiaderente.  Frite o sal com alho e a cebola.  Corte os talos de aspargos em tronquinhos de 3 cm e junte à fritura a metade da porção cortada, escolhendo a parte inferior dos aspargos. Acrescente o arroz arbóreo e dê algumas reviradas até que os bagos fiquem translúcidos. Baixe o fogo. Remexa. Junte o vinho branco e deixe evaporar. A partir deste ponto, é necessário acrescentar o caldo fervente aos poucos, sempre tampando o nível do arroz e remexendo ligeiramente o arroz para que não agarre no fundo. Continue na beira do fogão vigiando a panela todo o tempo, foi por isto que sugeri companhia… Aproveite para namorar e bebericar o vinho! Quando o arroz estiver ao dente, junte a outra metade dos aspargos e deixe que cozinhe um pouco mais. Quando o arroz estiver cozido, deixe que o caldo seque, lembrando que risotto é sempre mais  molhadinho. Por último, acrescente o restante do azeite ou da manteiga e misture. Desligue. Agora, se já for servir de imediato, junte o queijo ralado. Segredinho italiano: balance a panela no ar, jogando-a para a frente e para cima, voltando e repetindo o movimento até que o queijo esteja misturado. Dica: os homens adoram fazer isto!

Se optar por acrescentar os camarões: limpe e tempere-os com sal e limão com 15 minutos de antecedência. Em uma frigideira, frite-os no azeite ou manteiga até que fiquem vermelhos. Junte ao risotto ao final do cozimento.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Arroz: a receita básica para quem quer amarrar seu par

Standard

Aprender a fazer arroz tem várias vantagens. Já pode casar. Pode mudar-se para qualquer parte do mundo que lá saberá fazer a comida local. É a comida pronta que mais dura na geladeira. Pode até aproveitar o arroz velho e colocar na panela no fim do cozimento do novo, mas não vá fazer disso um hábito. Vai que fica um baguinho do velho pra trás e você ficará anos servindo o mesmo arroz!

Vamos lá:  Arroz à brasileira para dois. Faça logo seis porções para três refeições.

Uma panela média, uma chaleira, uma colher grande.

Para cada duas porções (duas pessoas): uma xícara de chá (200 ml) de arroz cru,  uma colher de sobremesa de óleo e uma colherzinha de café rasa de sal com alho.

Coloque água para ferver na chaleira. Na panela, despeje o óleo e deixe esquentar um pouquinho, acrescentando o sal com alho e o arroz cru em seguida. Mexa bem, até o arroz ficar bem soltinho e o bago esbranquiçado. Nivele o arroz e abaixe o fogo. Despeje a água fervente até cobrir o arroz, deixando sobrar um dedo de água  por cima. Prove o tempero, deve ficar salgadinho, mas sem exagero. Tampe a panela e deixe a água secar. Quando observar uns furinhos na superfície, coloque a segunda água, no nível do arroz e mexa um pouco para a água descer. O tempo de cozimento depende de cada arroz, pode ser que precise acrescentar ainda mais água. Para saber se já está cozido, enfie um garfo e verifique se no fundo o arroz  está seco e permanece claro. Enquanto não estiver ao dente, continue colocando água, porém bem aos poucos.

Se o arroz for feito para guardar e ser servido depois, deixe-o um pouco mais  duro. Quando for reutilizar o arroz, acrescente um pouco de água fria e esquente no microondas.

Quer esta receita impressa? Clique aqui.