Dica – Frango desfiado pronto para mil receitas

Standard

 

O maior macete para quem não tem tempo de ficar na cozinha todo dia é preparar toda semana, ou de 15 em 15 dias, um boa quantidade de frango com seu molho, desfiar e guardar na geladeira (ou em porções no congelador) em uma vasilha com tampa hermética. Assim você terá sempre à mão frango que é base para várias receitas e ingrediente principal de outras receitas com massa, cuscuz e saladas e ainda serve como recheio para panqueca, sanduiches e wraps.

Se quiser fazer o frango de panela no capricho, à mineira, siga a receita do frango básico. Estando o frango pronto, retire da panela e deixe esfriar. Separe com cuidado a carne dos ossos. Volte só com os ossos e as gorduras que ainda sobraram para a panela, acrescentando uma colher de molho de tomate. Despeje mais água e deixe por 15 minutos em fogo baixo. No final, prove o caldo; pode temperar com mais sal e pimenta a gosto; se quiser acrescente ½ colher de café de molho inglês ou shoyo – deve ficar bem temperadinho. Retire tudo da panela e coe este caldo numa peneira grossa; retorne com o caldo coado para a mesma panela. Desfie a carne que tirou dos ossos do frango em lascas menores. Tire um pouco do caldo da panela para uma xícara e misture bem com um pouco de farinha de trigo torrada. Despeje no caldo e misture até ferver. Coloque o frango desfiado na panela e deixe cozinhar mais 5 minutos. Deixe esfriar e guarde na geladeira, ou use imediatamente.

Se quiser fazer o frango no forno, também pode, porém fica mais seco e sem molho Siga a receita do frango assado. Depois de frio, retire a carne dos ossos e desfie em lascas maiores. É ideal para saladas, como a Caesar, para salpicar sobre massas, e também para recheio de sanduiches, omeletes e wraps.

Se quiser simplificar mesmo sua vida, faça o frango na panela de pressão. Perde um pouco no sabor mas ganha muito no tempo. Coloque o frango com osso na panela de pressão. Para 4 coxas, junte 1 cebola, 1 cenoura e 1 talo de aipo ou de alho poró, 2 dentes de alho e 1 ramo de salsinha e cebolinha e 3 folhas de louro. Acrescente água até tampar o frango e os ingredientes ou até 3/4 da panela. Tempere com 1 colher de sobremesa de sal e 1 pitada de pimenta do reino. Pode colocar ½ copo de vinho branco ou tinto, se tiver. Deixe cozinhar na pressão por cerca de 15 a 20 minutos ( depende do fogão) ou até verificar que a carne já está soltando dos ossos. Retire tudo para uma travessa, separe a carne e desfie como quiser. Coe o resto do caldo, legumes e ossos e aproveite este precioso caldo para suas receitas com frango, risotos, pastas, caldos e muitas outras.

Quer esta dica impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Vaca atolada

Standard

Se você ou sua família é do interior de Minas já ouviu falar na vaca atolada. Quando eu era pequena, e desde que me entendo por gente invento histórias para mim mesma para justificar tudo, ficava imaginando (juro que de verdade!) que uma pobre vaca tinha atolado no barro e ali morrido. O fazendeiro então, para não dar a situação por perdida, vende a vaca para o açougue e fica com a parte pior, a costela. Na volta para casa passa pela roça e pega uma mandioca bem boa, daquelas amarelinhas. Quando chega em casa, pra consolo da família que perdeu a vaquinha querida que dava leite para as crianças, faz um cozido com a mandioca e a costela e a família vai dormir feliz de barriga cheia. Como aqui na cidade é difícil conseguir costela de vaca, a gente faz o caldo de mandioca com carne de panela desfiada. Porém, se conseguir a tal costela, o sabor não tem comparação. Aqui vão as duas versões.

Vaca atolada da roça ou

Caldo de mandioca com carne de panela

Receita para 6 pessoas

Para a Vaca atolada você vai usar 1 kg de costela (peça para cortar) e, se for para o caldo, vai precisar de 300 gr. de carne tipo patinho, chã ou músculo. Tempere com sal e alho. Na panela de pressão, frite a costela ou a carne picada em cubos no óleo quente até corar. Junte ½ cebola ralada, frite mais, depois vá pingando água quente e deixando a água secar até a carne ficar bem corada. Deite água fervendo até cobrir a carne e ponha na pressão para cozinhar de 20 a 30 minutos ou até a carne ficar escura e desmanchando de tão cozida. Para ficar mais gostoso, coloque uma cenoura inteira e um raminho de salsinha e cebolinha para cozinhar junto e no final, retire e despreze. Tire a carne e reserve o caldo.

Enquanto isto, cozinhe os pedaços de 1 mandioca (300 gr.) em outra panela ( se tiver duas de pressão, vai mais rápido).

Estando com a costela ou a carne e a mandioca cozidas, tome uma das panelas, deite uma colher de óleo, frite ½ cebola batidinha, junte 1 colher de molho de tomate, frite a mandioca e acrescente aos poucos o caldo da carne. Se ficar muito temperado, dose com água fervendo ao invés de só o caldo. Misture, prove o tempero, acrescente sal e pimenta a gosto, se necessário.

Para a Vaca atolada, junte a costela e o prato está pronto.

Para o caldo, bata a mandioca com o caldo no liquidificador, volte para a panela e junte a carne cozida desfiada.

Na hora de servir, enfeite, se quiser, com cheiro verde picadinho.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Salada de broto de feijão, cogumelos e tomates – 50 calorias! – 3

Standard

Salada 3

Broto de feijão, cogumelos-de-paris in natura, tomates cereja e molho oriental

Quantidade de calorias por porção (1 pessoa): 50

Quantidade de gramas desta salada: 189

O broto de feijão é um alimento leve, rico em minerais como fósforo, magnésio, zinco e cálcio, de alto teor nutritivo e de fácil digestão, por ter um baixo teor de gordura. Contém ainda os chamados compostos fenólicos que representam um importante papel no combate e no controle dos radicais livres, ajudando assim a retardar o processo de envelhecimento do corpo humano.

Ingredientes Quantidade Corte Gramas Calorias
Broto de feijão 1 xícara de chá In natura 30 11
Cogumelos 4 un. médio Fatiado 55 15
Tomate cereja 6 un. pequeno Metades 96 14
Molho shoyo 1 colher de sopa 2 1
Aceto balsâmico 1 colher de sopa 2
Mel 1 colher de sobremesa 3 9
Gergelim preto 1 colher de café 1

Fatie os cogumelos-de-paris, de preferência frescos ( pode ser conserva). Pode usar shitake também. Tome uma frigideira antiaderente, coloque os cogumelos, no caso, frescos, com ½ xícara de café de água para ferver. Deixe cozinhar até a água secar. Acrescente o broto de feijão in natura. Misture à parte o molho shoyo (de soja) de preferência picante, com o aceto balsâmico e o mel. Despeje na panela e misture. Abaixe o fogo , tampe a panela e deixe 1 minuto. Na hora de servir, coloque esta mistura por baixo, os tomatinhos por cima e salpique o gergelim. Acompanha, à parte, salada de rúcula ou agrião.

Nossa consultora: nutricionista Letícia Menicucci

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Dica – cortes de legumes para saladas

Standard

Se você, como muita gente, escolhe sempre os mesmos legumes para a sua salada e não aguenta mais ver a mesma coisa na frente todos os dias, varie o corte dos legumes. É surpreendente como o nosso cérebro fica entusiasmado com a simples mudança de forma e nos responde com uma vontade inovada de provar o que pensa que mudou. Acompanhe as saladas light que estamos publicando todas as semanas e veja também como poderá dispor os legumes e verduras no prato de forma diferente, dando uma renovada geral nas suas saladas de todo dia. Veja nas fotos cortes de alguns legumes mais comuns e use sua imaginação para experimentar estes cortes sugeridos com outros legumes e também novos cortes.

Se hoje não vai dar para mudar o corte ou a cor do cabelo, estrear uma roupa ou um sapato novo, fazer uma maquiagem exótica, invente! Renove na salada!

Quer esta dica impressa? Clique aqui para salvar o PDF e imprimí-lo.

Suflê de alho poró

Standard

Perto dos suflês do Taste Vin, restaurante de BH famoso por seus inigualáveis “souflets”, este suflezinho é um pobre coitado que nem merece este nome. Mas, fazer o quê ? Se o sabor e o aroma dos deliciosos suflês, que comi durante anos ficaram na memória? O jeito é me consolar com este, sem glúten e sem lactose, que posso comer à vontade.

Suflê de alho poró

Você vai precisar de 1 colher de sopa rasa de óleo (no lugar da manteiga), sal com alho, ½ xícara de chá alho poró fatiado fininho, ½ xícara de café de cebola fatiada, 3 ovos, 3 colheres de farinha mista sem glúten*, ½ xícara de leite zero lactose, noz moscada, pimenta do reino branca, 1 colher de café de fermento em pó. Separe a batedeira, uma espátula e uma travessa refratária.

Em uma panelinha, passe no óleo uma ponta de colher de café de sal com alho, a cebola e o alho poró. Assim que amolecerem, desligue e deixe esfriar. Coloque na batedeira estes ingredientes, a farinha, o leite e as gemas. Bata até obter uma massa lisa. Acrescente um tico de noz moscada e de pimenta do reino branca, se gostar. À parte, em outro recipiente, bata as claras em neve até que fiquem como uma espuma bem leve. Com uma espátula, junte as claras à mistura, bem de leve. Junte o fermento e misture, de leve, sem deixar que o volume diminua. Despeje a massa em uma travessa refratária que possa ir à mesa. Asse em forno pré-aquecido a 200 graus até que a massa suba e core por cima. Desligue, tire do forno e leve imediatamente à mesa.

* a melhor é o mix de farinha da Aminna que tem farinha de arroz, fécula de milho e de mandioca.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Salada de bócolis, palmito, manga e kani – 2

Standard

Salada 2

Brócolis, palmito, manga e kani com molho de iogurte e manga

Quantidade de calorias por porção (1 pessoa): 140

Quantidade de gramas desta salada: 278 + molho

O brócolis é considerado um super alimento, pois é uma excelente fonte de vitamina C, vitamina A e minerais como cálcio, selênio, potássio e ferro. Por essa riqueza de micronutrientes tem propriedades que auxiliam contra a baixa imunidade, as infecções, doenças cardiovasculares e anemias. Com alto teor de fibras, regula o trânsito intestinal.

Ingredientes Quantidade Corte Gramas Calorias
Brócolis 1 buquê Separar os buquês 30 8
Palmito 2 talos Fatias de 1 cm. 100 8
Manga ½ banda Lascas médias 100 51
Kani 3 unidades Cortar em 4 partes 48 47
Iogurte 1 colher de sobremesa 9 4
Suco de manga 1 colher de sopa 10 5
Azeite 1 colher de café 2 17
Vinagre 1 colher de café 2
Cebolinha 1 talo picadinha 5
Limão raspas 1

 

Retire do molho de brócolis uma porção equivalente ao tamanho da palma de sua mão. Coloque a porção em uma peneira de metal sobre um caneco com água para ferver, de modo que o brócolis cozinhe no vapor até ficar “ao dente”, pois assim não perderá seus nutrientes. Depois de cozido, separe os buquês, deve dar o equivalente a uma xícara de chá mal cheia. Corte os talos do palmito em fatias de 1 cm. de largura.

Ponha a manga na geladeira com antecedência para conseguir cortá-la sem despedaçar. Corte uma banda da manga, do caroço para fora, ainda com a casca. Tire a casca e corte em lascas. Corte cada pedaço de kani em 3 ou 4 partes. Disponha tudo intercalado em um prato, como na foto.

Molho: esprema uma parte da manga para obter uma colher de sopa de suco. Junte 1 colher de sobremesa de iogurte, 1 colher de café de azeite, a mesma quantidade de vinagre, cebolinha picada bem miudinha e raspas de limão. Misture tudo e sirva o molho à parte.

Acompanhe com salada de alface.

Nossa consultora: nutricionista Letícia Menicucci

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.

Caldo de Feijão

Standard

 

Tem coisa mais mineira do que caldo de feijão? Começou um friozinho, a gente já põe mais feijão pra cozinhar e logo à noitinha vem aquele cheirinho bom lá do fogão anunciando que o caldo está quase pronto! Não existe Festa Junina sem ele. Qualquer bar ou boteco que se preze serve um excelente caldo de feijão no fim da noite. A principal serventia é curar a ressaca da cachaça e também mata a fome com gosto, pro cara ir pra casa feliz e sossegado.

Caldo de feijão

O melhor feijão para o caldo é o jalo ou carioca, pois é mais macio e a casca some no cozimento. Além do feijão, vai precisar de óleo, sal com alho, cebola, bacon e cebolinha verde. Se nunca fez feijão na vida, veja primeiro a receita já publicada no blog em 28/11/2013.

Coloque o feijão de molho na água desde a véspera (cubra o feijão e deixe mais um dedo de água), para gastar menos gás e cozinhar mais rápido. Despeje o feijão e a água em que ficou de molho na panela e cozinhe na pressão. O tempo de cozimento vai depender do feijão. Deixe que os bagos cozinhem bem, mas sem arrebentar a casca. Preste atenção, pois é preciso que sobre caldo do cozimento do feijão. Se a água secou, despeje água fervente e deixe cozinhar mais, no fogo baixo, fora da pressão, para o caldo ficar encorpado.

Pique o bacon, a cebola, e a cebolinha. Em outra panela, deite um pouco de óleo e frite o bacon. Retire-o da panela com uma escumadeira, ponha para secar sobre papel absorvente e reserve. Doure o sal com alho e a cebola picadinha bem miúdo na gordura do bacon. Assim que corar, vá colocando na panela, com a ajuda da escumadeira, os bagos do feijão bem escorrido e mexendo o tempo todo com uma colher de pau. Mexa até que forme um purê. À parte, esquente o caldo do cozimento do feijão e vá despejando-o na panela aos poucos até que adquira a consistência de caldo. Se não estiver lisinho, pode bater o caldo no liquidificador para facilitar. Volte com o caldo para a panela; se ficar muito grosso, despeje mais caldo ou água fervente e continue mexendo até adquirir a consistência ideal de caldo. Se estiver ralo, deixe que o caldo seque , no fogo baixo, mexendo sempre. Agora tempere com molho de pimenta malagueta e um pouquinho de louro em pó. Verifique o sal. Se não for servir em seguida, deixe o caldo mais ralo, pois ao esfriar e esquentar de novo, engrossa bastante. Por favor, jamais coloque farinha de qualquer tipo no caldo de feijão!

Ao servir, coloque no prato, por cima do caldo, o bacon e a cebolinha verde. Há quem sirva o caldo de feijão acompanhado de linguiça de porco frita e torresmo.

Quer esta receita impressa? Clique aqui para baixar o PDF e imprimí-lo.